Iopidine 0,5% Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Indicação

Para que serve?

Tratamento adjuvante de curta duração em pacientes sob terapêutica máxima tolerada que requeiram uma redução adicional da PIO (pressão intra-ocular). Os pacientes que estejam sob terapêutica máxima tolerada e que estão sendo tratados com Iopidine Solução Oftálmica 0,5% para retardar a cirurgia devem ser examinados com freqüência, devendo o tratamento ser interrompido se houver uma elevação significativa da PIO. O uso de Iopidine Solução Oftálmica 0,5% em pacientes que já estejam sob tratamento com duas drogas supressoras aquosas (ex.: betabloqueador e inibidor da anidrase carbônica) como parte da terapêutica máxima tolerada pode não ser de benefício adicional. Isto porque Iopidine Solução Oftálmica 0,5% é uma droga supressora aquosa e a adição de um terceiro agente supressor aquoso pode não reduzir significativamente a PIO. A eficácia de Iopidine Solução Oftálmica 0,5% em reduzir a PIO diminui com o tempo em alguns pacientes. Esta perda de efeito ou taquifilaxia, parece ser uma ocorrência individual com o tempo de início variável, devendo ser cuidadosamente monitorizada. O benefício do tratamento para a maioria dos pacientes é de menos que um mês.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Pacientes com hipersensibilidade à apraclonidina, bem como à clonidina por via sistêmica. É também contra-indicado em pacientes sob tratamento com inibidores da monoaminoxidase. - Advertências: não deve ser injetado nem ingerido. Exclusivamente para uso tópico oftálmico.

Posologia

Como usar?

Não deve ser injetado nos olhos, nem ingerido. Instilar 1 ou 2 gotas de Iopidine Solução Oftálmica 0,5% nos olhos afetados 3 vezes por dia. Ao usar Iopidine Solução Oftálmica 0,5% com outras terapêuticas antiglaucomatosas, um intervalo de aproximadamente 5 minutos entre as instilações dos medicamentos deve ser observado para prevenir o efeito washout da dose anterior. - Superdosagem: sinais de superdosagem com a clonidina por via oral: hipotensão, hipertensão transitória, astenia, vômitos, irritabilidade, diminuição ou ausência de reflexos, letargia, sonolência, sedação ou coma, palidez, hipotermia, bradicardia, defeitos de condução, arritmias, secura da boca, miose, apnéia, depressão respiratória, hipoventilação e convulsão. Tratamento para uma superdose oral: terapia de suporte e sintomática. Hemodiálise é de valor limitado, uma vez que é removido um máximo de 5% da droga circulante.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Oculares: hiperemia, prurido, desconforto, lacrimejamento. Em menos que 3% dos pacientes: edema palpebral, visão borrada, sensação de corpo estranho, olho seco, conjuntivite, secreção, palidez. Em menos que 1% dos pacientes: escamas na margem palpebral, folículos conjuntivais, edema conjuntival, edema, visão anormal, dor, eczema, ceratite, blefarite, fotofobia, coloração corneana, eritema das pálpebras, blefaroconjuntivite, irritação, erosão corneana, infiltrado corneano, ceratopalia, crostas nas pálpebras, refração das pálpebras. Gerais: dor de cabeça, astenia, dor no peito, problemas de coordenação, mal-estar, edema facial. Cardiovasculares: edema periférico, arritmia, bradicardia. Sistema nervoso central: sonolência, tontura, nervosismo, depressão, insônia, parestesia. Aparelho digestivo: boca seca, constipação, náusea. Musculoesquelético: mialgia. Aparelho respiratório: secura nasal, rinite, dispnéia, faringite, asma. Pele: dermatite de contato, dermatite. Sentidos especiais: perversão do paladar, parosmia.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Gerais: os pacientes com glaucoma que estejam sob terapêutica máxima tolerada e que estão sendo tratados com Iopidine Solução Oftálmica 0,5% para retardar a cirurgia devem ter seus campos visuais monitorizados periodicamente. Embora Iopidine Solução Oftálmica 0,5% para uso tópico não tenha sido estudado em pacientes com insuficiência renal, a clonidina experimenta um aumento significativo na meia-vida em pacientes com insuficiência renal grave. Recomenda-se uma observação rigorosa dos parâmetros cardiovasculares em pacientes com insuficiência renal se a estes for prescrito um tratamento com apraclonidina por via tópica. Recomenda-se também uma observação rigorosa dos parâmetros cardiovasculares em pacientes com insuficiência hepática, uma vez que a clonidina administrada por via sistêmica é parcialmente metabolizada no fígado. Enquanto a administração tópica de Iopidine Solução Oftálmica 0,5% produziu um efeito mínimo na freqüência cardíaca ou pressão arterial em estudos clínicos nos quais se avaliaram pacientes com glaucoma, o perfil farmacológico pré-clínico desta droga sugere que se deve ter cautela ao tratar pacientes com doença cardiovascular grave não controlada, inclusive hipertensão. Iopidine Solução Oftálmica 0,5% deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência coronária, infarto do miocárdio recente, doença cerebrovascular, insuficiência renal crônica, doença de Raynaud ou tromboangeíte obliterante. Recomenda-se cautela e observação de pacientes depressivos, uma vez que a apraclonidina, embora não freqüentemente, tem sido associada com depressão. A apraclonidina pode causar tontura e sonolência. Pacientes que exerçam atividades perigosas que exijam alerta mental devem ser advertidos do potencial de diminuição da agilidade mental quando sob tratamento com apraclonidina. O uso de Iopidine Solução Oftálmica 0,5% pode levar a uma reação alérgica caracterizada por sintomas de hiperemia, prurido, desconforto, lacrimejamento, sensação de corpo estranho e edema das pálpebras e conjuntiva. Na ocorrência desses sintomas, o uso de Iopidine Solução Oftálmica 0,5% deve ser interrompido. Gravidez: não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. Iopidine Solução Oftálmica 0,5% deve ser usado durante a gravidez somente se o benefício potencial justificar o risco potencial ao feto. - Mães lactantes: não se sabe se a apraclonidina é excretada no leite humano. Como muitas drogas são excretadas no leite humano, deve-se ter cautela ao se administrar Iopidine Solução Oftálmica 0,5% em mulheres lactantes. - Uso pediátrico: a segurança e a eficácia do uso em crianças não foram estabelecidas. - Interações medicamentosas: deve-se ter cautela ao se administrar Iopidine Solução Oftálmica 0,5% em pacientes sob tratamento com antidepressivos tricíclicos, os quais podem afetar o metabolismo e o aumento de aminas circulantes. A apraclonidina pode reduzir a pressão arterial e a freqüência cardíaca, devendo os pacientes em uso de drogas cardiovasculares concomitantemente com apraclonidina ter a pressão arterial e o pulso freqüentemente monitorizados. Deve-se considerar a possibilidade de potencialização do efeito com o uso concomitante com depressores do SNC (álcool, barbitúricos, opiáceos, sedativos, anestésicos). Deve-se ter cautela também com o uso de clonidina e outros agentes farmacológicos similares.

Composição

Cada ml da solução oftálmica contém cloridratode apraclonidina (equivalente à apraconidina base 5 mg) 5,75 mg em veículo constituído de acetato de sódio, cloreto de sódio, cloreto de benzalcônio e água destilada.

Apresentação

0,5% em frasco conta-gotas contendo 5 ml de solução oftálmica.

Laboratório

Alcon

Alcon Laboratórios do Brasil Ltda.: Av. N.S. da Assunção, 736 05359-001, São Paulo - SP; CNPJ 60.412.327/0013-36 - Indústria Brasileira; -sacbrasil@alconlabs.com; - SAC: 0800 7077908.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.