Insunorm N Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Insunorm N é indicado para tratamento do diabetes mellitus. As pessoas que tem diabetes mellitus necessitam de insulina para manutenção dos níveis normais de glicose no organismo.

Como o Insunorm N funciona?


A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas (glândula situada perto do estômago). Ela é necessária, principalmente, para a utilização do açúcar pelo nosso corpo. O diabetes ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente para suprir as necessidades do organismo. Para controlar o diabetes, o médico receita injeções de insulina para manter a taxa de glicose (açúcar) no sangue próximo do normal. O controle adequado do diabetes requer rigorosa e constante cooperação do paciente com o médico.

Apesar do diabetes, o paciente pode levar uma vida ativa normal, saudável e útil e seguir uma dieta diária balanceada, exercitar-se regularmente e tomar as injeções de insulina exatamente como determinadas pelo médico.

O diabético deve fazer regularmente testes para controle da glicose no sangue ou na urina. Se os testes mostrarem taxas de glicose no sangue (glicemia) acima ou abaixo do normal, o paciente deve procurar um médico, pois, nesses casos, não está havendo controle do diabetes.

O paciente deve manter sempre à mão um suprimento extra de insulina e um conjunto de seringa e agulha. Além disso, ele deve usar uma identificação de que é diabético para que se possa prestar um atendimento adequado, caso ocorra qualquer complicação quando estiver fora de casa.

Insunorm N é uma insulina de ação intermediária, seu efeito se inicia 1h à 1h e meia; atinge sua intensidade máxima entre 4 e 12 horas, e dura até 24 horas. A suspensão estéril de Insunorm N contém 100 UI de insulina/mL e é apropriada para injeção subcutânea. Não deve ser usada por via intravenosa ou intramuscular.

Você não deve usar Insunorm N durante episódios de concentração anormalmente baixa de glicose no sangue (hipoglicemia) ou se você for alérgico a qualquer um dos componentes da fórmula do medicamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Deve-se usar Insunorm N por via subcutânea (debaixo da pele), incluindo o uso em bombas de infusão subcutânea contínua. O uso subcutâneo deve ser na parte superior dos braços, coxas, nádegas ou no abdome.

Alterne os locais de injeção, de maneira que o mesmo local não seja utilizado mais que uma vez por mês aproximadamente. Ao injetar Insunorm N tome cuidado para não atingir nenhum vaso sanguíneo.

Verifique sempre, na embalagem e no rótulo, o nome do produto e a letra que identifica a insulina para ter certeza de que é a mesma receitada pelo médico.

Antes de retirar cada dose, examine sempre a aparência do frasco:

O frasco de Insunorm N deve ser cuidadosamente agitado com movimentos rotativos antes de cada aplicação, de forma que o conteúdo seja uniformemente misturado. Após suave agitação, o conteúdo deve estar turvo ou leitoso. Não usar se, após a agitação, a insulina (material branco) permanecer no fundo do frasco, se houver grumos (pequenos grãos) suspensos no líquido ou se as partículas no fundo ou na parede derem ao frasco a aparência de embaçado. Verifique sempre o frasco de insulina antes de usar. Se você notar qualquer diferença na aparência ou alterações marcantes nas características da insulina, consulte o seu médico.

Uso de seringa adequada:

As doses de insulina são medidas em Unidades Internacionais. O número de unidades em cada mililitro (mL) está claramente impresso na embalagem do produto. Cada tipo de insulina está disponível na concentração de 100 unidades/mL. É importante entender as graduações na seringa porque o volume a ser injetado depende da concentração, que é o número de unidades por mL. Por esta razão, deve-se utilizar sempre uma seringa graduada para a concentração de insulina. Erro no uso da seringa pode levar a um erro na dose, causando sérios problemas, como variação na taxa de glicose no sangue, que pode ser muito baixa (hipoglicemia) ou muito alta (hiperglicemia).

Importante: para evitar qualquer contaminação e consequente infecção, siga estritamente estas instruções.

Use somente seringas e agulhas descartáveis. Elas dispensam esterilização e devem ser usadas apenas uma única vez. Depois de usadas devem ser cuidadosamente descartadas em local adequado.

Não use agulhas, refis e/ou canetas de insulina em mais de uma pessoa.

Preparo da dose:

  1. Lave as mãos.
  2. Verifique a insulina. Não a use se você notar qualquer alteração na aparência.
  3. Se for usar um frasco novo, retire a proteção, mas não remova a tampa de borracha. Limpe a superfície da rolha de borracha com algodão estéril embebido em álcool.
  4. Aspire uma quantidade de ar na seringa igual à dose de insulina a ser usada. Perfure a tampa de borracha do frasco de insulina e injete o ar.
  5. Inverta o frasco e a seringa. Segure firme o frasco e a seringa com uma das mãos e agite suavemente.
  6. Ao se certificar que a ponta da agulha está dentro do frasco de insulina, aspire a dose correta.
  7. Antes de retirar a agulha do frasco, verifique se houve formação de bolhas. Estas podem induzir a erro na dose de insulina. Se houver bolhas, segure a seringa com a ponta para cima. Depois toque os lados da seringa levemente com os dedos para que as bolhas atinjam a parte superior do líquido, para serem expulsas comprimindo-se o êmbolo. Retire a dose correta.
  8. Retire a agulha do frasco e coloque a seringa sobre uma superfície adequada de maneira que a agulha não toque em nada.

Aplicação da dose:

  1. Limpe a pele, com algodão embebido em álcool onde você for aplicar a injeção.
  2. Pinçe a pele entre dois dedos, pressionando o local.
  3. Insira a agulha de acordo com as instruções médicas.
  4. Antes de injetar a insulina, aspire a seringa puxando o embolo para trás certificando-se assim de que a agulha não penetrou em um vaso (portanto não deverá refluir sangue para dentro da seringa). Uma vez confirmado isso, comprima o êmbolo até o fim. Em caso de refluxo de sangue, ou seja, a agulha está dentro de um vaso sanguíneo, retire a agulha e comprima o local. Repita os procedimentos anteriores (1,2,3,e 4) e aplique em outro local.
  5. Retire a agulha e pressione o local da injeção suavemente por alguns segundos com o chumaço de algodão. Não esfregue a área.
  6. Para evitar danos à pele, aplique a próxima injeção a uma distância de pelo menos um centímetro da anterior, alternando os locais de injeção, de maneira que o mesmo local não seja utilizado mais que uma vez por mês aproximadamente. Com uma das mãos, prenda a pele entre dois dedos, pressionando ou segurando uma grande área.
  7. Aplicar Insunorm N por via subcutânea.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar, observe o prazo de validade e o aspecto do medicamento.

Não use qualquer outro tipo de insulina sem orientação médica.

Posologia do Insunorm N


Você encontra Insunorm N em frasco ampola de vidro com 10 mL de suspensão injetável que contém 100 UI de insulina humana (origem DNA recombinante) por mL.

O médico determinará a dose de Insunorm N que você deve usar, de acordo com as suas necessidades. As alterações emocionais, o tipo de alimentação e a atividade ou esquema de trabalho podem afetar a dose usual de Insunorm N Siga cuidadosamente as instruções médicas para adequar-se a essas mudanças.

Outros fatores que podem afetar a dose de Insunorm N são:

Doença:

Qualquer distúrbio acompanhado de enjoo e vômito, pode causar alteração na necessidade de insulina. Mesmo se você não comer, ainda assim necessitará de insulina. Você e seu médico devem estabelecer um plano para os dias em que estiver doente. Quando você se sentir mal, teste sua glicose no sangue/urina e procure seu médico, como combinado anteriormente.

Gravidez:

Se você está grávida ou planeja engravidar, saiba que o controle do diabetes é especialmente importante para você e seu bebê. Você pode ter mais dificuldades de controlar a diabetes durante a gravidez. Se você planeja ter um bebê, está grávida ou está amamentando, consulte seu médico. Caso você esteja amamentado, você pode necessitar fazer ajustes de doses, de dieta ou ambos.

Crianças:

Não foram realizados estudos de segurança e eficácia em pacientes pediátricos.

Pacientes idosos:

Devem usar com cuidado pelo risco aumentado de hipoglicemia.

Pacientes com insuficiência renal (mau funcionamento dos rins):

Não foram realizados estudos de segurança e eficácia em pacientes com insuficiência renal. Precauções devem ser tomadas durante o uso do produto nestes pacientes. Ajuste na dosagem poderá ser requerido.

Pacientes com insuficiência hepática (mau funcionamento do fígado):

Não foram realizados estudos de segurança e eficácia em pacientes com insuficiência hepática. Precauções devem ser tomadas durante o uso do produto nestes pacientes. Ajuste na dosagem poderá ser requerido.

Medicamentos:

Muitos medicamentos podem interferir na necessidade de insulina, tais como os listados na parte desta bula que trata das Interações Medicamentosas.

Converse com o seu médico a respeito disso.

Exercícios:

A prática de exercícios pode diminuir a necessidade de insulina, durante e algum tempo depois deles. Os exercícios podem acelerar também o efeito de uma dose de Insunorm N especialmente, se, na prática, houver envolvimento da área do local da injeção. Converse com seu médico sobre o ajuste da dose para o período de exercícios.

Viagem:

Pessoas que viajam para locais com diferença de mais de 2 fusos-horários devem consultar o seu médico a respeito dos ajustes do esquema de insulina.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Insunorm N? 


Tome a dose perdida o mais cedo possível. Se já estiver quase na hora da próxima dose, então pule a dose esquecida e retorne ao seu esquema regular.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou do seu médico ou cirurgião-dentista.

Os pacientes que utilizam Insunorm N poderão requerer alteração da dose em relação às doses de outras insulinas usadas anteriormente. Ao fazer qualquer mudança de insulina, consulte o seu médico.

Alterações na concentração, tipo (regular, NPH, lenta etc.), espécie (animal, humana) e/ou método de fabricação (insulina derivada de DNA recombinante, animal) podem resultar na necessidade de uma alteração na dose prescrita de Insunorm N.

O consumo de bebidas alcoólicas pode causar hipoglicemia em pacientes que estejam usando insulina.

Mulheres grávidas ou que estejam amamentando não devem usar este medicamento sem orientação médica.

Informe ao seu médico se ocorrer gravidez durante o tratamento com Insunorm N. As pacientes diabéticas que estejam grávidas ou amamentando podem necessitar de ajuste na dose de insulina ou na dieta ou em ambas.

Informe ao seu médico ou ao cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Informe ao seu médico ou ao cirurgião-dentista sobre o aparecimento de reações indesejáveis.

Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Certos medicamentos podem alterar o controle do diabetes.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir e operar maquinário:

A capacidade de concentração e reação do paciente pode ser prejudicada como resultado de hipoglicemia. Isto pode constituir um risco em situações onde estas habilidades sejam de especial importância, como, por exemplo, dirigir carro e operar maquinário. Os pacientes devem ser instruídos a tomar as precauções para evitar a ocorrência de hipoglicemia enquanto estiverem dirigindo. Isto é particularmente importante no caso de pacientes que costumam ter dificuldade de perceber os sintomas de alerta de hipoglicemia ou naqueles que têm episódios frequentes de hipoglicemia. A incapacidade de dirigir automóveis nestas circunstâncias deve ser considerada.

Informe ao seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis durante o tratamento. A hipoglicemia é uma das reações desagradáveis mais frequentes da terapia com insulina.

Os sintomas da hipoglicemia, de leves a moderados, podem ocorrer de repente e incluem os seguintes sinais:

Sudorese (suor), tontura, palpitação, tremor, fome, incapacidade de concentração, dor de cabeça, distúrbios do sono, ansiedade, visão embaçada, humor deprimido, irritabilidade, comportamento anormal, movimentos instáveis, alterações de personalidade, entre outros.

A hipoglicemia grave pode levar à perda da consciência e, em casos extremos, à morte.

Pode-se tratar a hipoglicemia, leve a moderada, por meio da ingestão de um alimento ou de bebida que contenha açúcar. Os pacientes devem sempre levar consigo uma fonte rápida de açúcar, tais como, balas ou tabletes de açúcar. Há necessidade de assistência de outra pessoa quando a hipoglicemia é grave.

A hiperglicemia (alta concentração de glicose no sangue) pode ocorrer se o organismo tiver pouca insulina. A alergia e a atrofia (diminuição acentuada) do tecido subcutâneo (lipodistrofia), no local da aplicação de insulina, são outras reações desagradáveis que podem ocorrer.

Reação incomum (> 1/1.000 e ≤1/100: > 0,1% e ≤ 1%):

Hipoglicemia (0,41%).

Reações raras (> 0,01% e ≤ 0,1%):

Cefaleia (0,016%) e urticária (0,016%).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

Apresentação:

Cada embalagem contém:

1 frasco-ampola com 10 mL de suspensão injetável, contendo 100 Unidades Internacionais (UI*) de insulina humana (DNA** recombinante ) por mL.

*Cada UI corresponde a 0,035 mg de insulina humana anidra.
**Ácido desoxirribonucleico.

Insunorm N (NPH, de ação intermediária).

Uso subcutâneo.

Uso adulto.

Composição:

Cada mL da suspensão injetável de Insunorm N contém:

Insulina humana (derivada de dna recombinante)

100 UI

Excipiente* q.s.p

1 mL

*Metacresol, glicerol, fenol, sulfato de protamina, fosfato de sódio dibásico, óxido de zinco e água para injeção. 

Uma dose elevada de insulina provoca hipoglicemia, acompanhada por sintomas que incluem apatia, confusão, palpitações, sudorese, vômitos e cefaleia (dor de cabeça). A hipoglicemia pode ocorrer como resultado de um excesso de Insunorm N em relação à ingestão de alimentos, ao gasto energético ou ambos. Pode-se tratar os episódios leves de hipoglicemia geralmente com glicose (açúcar) oral.

Podem ser necessários ajustes na dose da insulina, na dieta alimentar ou nos exercícios físicos. Pode-se tratar episódios mais graves, como coma, convulsões ou dano neurológico com glucagon por via intramuscular/subcutânea ou com glicose concentrada por via intravenosa. Pode ser necessária uma ingestão contínua de carboidratos (açúcares e amido) e observação cuidadosa, uma vez que a hipoglicemia pode recorrer após uma aparente recuperação clínica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve à embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

As necessidades de insulinas podem ser alteradas em decorrência do uso concomitante de outros medicamentos, como, por exemplo, anticoncepcionais orais (medicamentos que evitam a gravidez), corticosteroides (hormônios), terapia de reposição de hormônio da tireoide (medicamentos para tireoide), hipoglicemiantes orais (medicamentos que reduzem a concentração de glicose no sangue), salicilatos (como o ácido acetilsalicílico), antimicrobianos do tipo sulfa e antidepressivos inibidores da monaminoxidase (medicamentos para tratamento de depressão).

Alimento:

Ervas/Suplementos nutricionais:

Recomenda-se cautela no uso de produtos contendo cromo (frequentemente presente na forma de picolinato de cromo, em alguns suplementos nutricionais), alho (óleo de alho) ou gimnema (Gymnema sylvestre), pois podem aumentar o risco de hipoglicemia em pacientes usando insulina.

Álcool:

Pequenas quantidades de álcool, tomadas numa refeição, geralmente, não causam problemas. Contudo grandes quantidades de álcool tomadas por um tempo longo ou numa única ocasião, sem alimento, pode aumentar o efeito hipoglicemiante da insulina. Isto pode manter os níveis baixos de glicose no sangue por um período maior do que o normal.

Exames laboratoriais:

O uso de insulina interfere nos resultados de alguns exames laboratoriais, que servem como parâmetros de monitorização da insulinoterapia.

São eles:

Exame de urina:

Glicose e cetona;

Exame de sangue:

Glicose, eletrólitos (a insulina desloca o potássio do espaço extracelular para o intracelular, diminuindo, consequentemente, a concentração sérica de potássio), HbA1c (hemoglobina glicosilada).

Não foram realizados estudos de segurança e eficácia com pacientes pediátricos

Este medicamento pode causar doping.

O álcool pode intensificar ou reduzir o efeito hipoglicemiante da Insulina Humana (substância ativa).

Resultados de Eficácia


Em estudo clínico realizado com portadores de diabetes tipo 2, verificou-se que a Insulina Humana (substância ativa) de ação intermediária, quando administrada antes de dormir, reduz a hipoglicemia e leva a um maior controle glicêmico.

Referências

CUSI, K.; CUNNINGHAM, G.R.; COMSTOCK, J.P. Safety and efficacy of normalizing fasting glucose with bedtime NPH insulin alonein NIDDM. Diabetes Care, v. 18, n. 6, p. 843-51, 1995.

Dados de segurança pré-clínicos

Nenhuma informação clínica revela risco para seres humanos, baseado em estudos convencionais de farmacologia de segurança, toxicidade de repetição de dose, genotoxicidade, potencial carcinogênico, toxicidade na reprodução.

Características Farmacológicas


Propriedades farmacodinâmicas

O efeito da Insulina Humana (substância ativa) de redução da glicemia ocorre devido à absorção facilitada de glicose após a ligação da Insulina Humana (substância ativa) aos seus receptores das células musculares e adiposas e à inibição simultânea da produção de glicose pelo fígado.

Insulina Humana (substância ativa) é uma Insulina Humana (substância ativa) de ação prolongada.

O início da ação ocorre dentro de 1 hora e 30 minutos, o efeito máximo é atingido dentro de 4 a 12 horas e a duração total da ação é de aproximadamente 24 horas.

Propriedades farmacocinéticas

A Insulina Humana (substância ativa) na corrente sanguínea tem uma meia-vida de alguns minutos. Consequentemente, o perfil do tempo de ação de uma preparação de Insulina Humana (substância ativa) é determinado unicamente por suas características de absorção.

Este processo é influenciado por vários fatores (por exemplo, dose de Insulina Humana (substância ativa), via e local de administração, espessura da gordura subcutânea, tipo de diabetes). A farmacocinética dos produtos contendo Insulina Humana (substância ativa) é, portanto, afetada por variações intra e interindividuais.

Absorção

A concentração plasmática máxima da Insulina Humana (substância ativa) é alcançada dentro de 2 - 18 horas após a administração subcutânea.

Distribuição

Não foi observada nenhuma ligação intensa às proteínas plasmáticas, exceto anticorpos de Insulina Humana (substância ativa) circulante (quando presentes).

Metabolismo

Relata-se que a Insulina Humana (substância ativa) é degradada pela protease de Insulina Humana (substância ativa) ou enzimas de degradação da Insulina Humana (substância ativa) e possivelmente proteína dissulfeto isomerase. Uma série de sítios de clivagem (hidrólise) na molécula de Insulina Humana (substância ativa) humana foi proposta; nenhum dos metabólitos formados após a clivagem é ativo.

Eliminação

A meia-vida terminal é determinada pela taxa de absorção a partir do tecido subcutâneo. A meia-vida terminal (t ½) é, portanto, uma medida da absorção e não da eliminação propriamente dita da Insulina Humana (substância ativa) do plasma (a Insulina Humana (substância ativa) na corrente sanguínea tem uma t ½ de alguns minutos).

Estudos indicam uma t ½ de cerca de 5 - 10 horas.

Insunorm N não deve ser exposto ao calor excessivo ou à luz solar direta. O seu frasco deve ser guardado sob refrigeração, entre 2 e 8°C, mas nunca colocado no congelador.

Não utilizar o produto caso tenha sido congelado. Se não for possível a refrigeração, o frasco de Insunorm N, em uso, poderá ser mantido em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), longe de fonte de calor e de luz solar direta, por até 6 semanas. Após este período, qualquer conteúdo do frasco deverá ser descartado.

O prazo de validade do medicamento, a partir da data de fabricação, é de 24 meses, desde que não esteja em uso e mantido fechado, sob refrigeração (entre 2 e 8°C). Após a primeira utilização, o Insunorm N se mantém válido por 6 semanas.

Número do lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aspectos físicos:

O frasco de Insunorm N contém uma suspensão que, após suave agitação, apresenta conteúdo branco leitoso ou turvo.

Não use se, após a agitação, a insulina (material branco) permanecer no fundo do frasco, se houver grumos (pequenos grãos) suspensos no líquido ou se as partículas no fundo ou na parede derem ao frasco a aparência de embaçado.

Verifique sempre o frasco de insulina antes de usar. Se você notar qualquer diferença na aparência ou alterações marcantes nas características da insulina, consulte o seu médico.

Após aberto, válido por 6 semanas.

Antes de usar, observe o aspecto desse medicamento.

Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

M.S.: 1.3764.0115.

Farm. Resp.:
Dra. Viviane L. Santiago Ferreira.
CRF-ES n° 5139.

Fabricado por:
Biocon Limited.
Plot no.2-4, Phase-IV, Bommasandra - Jigani Link Road Bangalore 560099.
Índia.

Importado por:
Aspen Pharma Indústria Farmacêutica Ltda.
Av. Acesso Rodoviário, Quadra 09, Módulo 01, TIMS- Serra - ES.
CNPJ: 02.433.631/0001-20.

Venda sob prescrição médica.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.