Insetivac SL Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Insetivac SL é indicado no tratamento dessensibilizante específico de todas as manifestações de hipersensibilização ocasionadas pelas picadas de insetos (abelhas, vespas, mosquitos, formigas e pulgas).

Dentre essas manifestações figuram as seguintes:

  • Reações cutâneas, locais imediatas e tardias (urticária, estrófulo, vesículas, eczematização);
  • Reações sistêmicas tipo doença do soro;
  • Reações anafiláticas.

Dentre todas, as mais freqüentes na clínica são o estrófulo na criança, devido a picada de pulga e as manifestações sistêmicas (urticária generalizada, edemas e choques) provocadas pelas picadas de abelhas e vespas.

Como o Insetivac SL funciona?


Os insetos com seus antígenos podem induzir pelo menos três formas de hipersensibilidade:

  • Tipo reagínico ou anafilático;
  • Tipo Arthus ou doenças do soro, pelo complexo antígeno anticorpo;
  • Tipo tardio ou tuberculínico.

O mecanismo da hipossensibilização específica que se instala em pacientes tratados com Insetivac SL dependerá, portanto, da modalidade de hipersensibilidade em causa. Na hipersensibilidade do tipo reagínico, ou anafilático, a teoria mais aceita é a de que esses antígenos, quando administrados em doses e vias adequadas, dão origem ao aparecimento de anticorpos humorais (imunoglobulina das classes IgA e IgE) chamados “bloqueadores”, o que teriam propriedade de combinar e de neutralizar, especificamente, os respectivos antígenos.

Em face dessa propriedade, os anticorpos “bloqueadores”, impediriam o contato e combinação dos antígenos com os anticorpos (imunoglobulina da classe IgE) fixados na superfície de células receptoras (mastócitos), responsáveis pela liberação de histamina e pela reação inflamatória local (dilatação venular, edema e espasmos de músculos lisos).

Em pessoas hipersensíveis a alguns dos seus princípios ativos, recomenda-se antes do tratamento realizar o teste por puntura (Prick-test) e nos casos de reação negativa, proceder o teste intradérmico.

Nas pessoas altamente sensíveis a insetos sugadores o médico assistente deve ter sempre à mão o material de urgência:

Seringa de 1 mL, corticóide ou antihistamínicos para bloquear as reações alérgicas graves. Iniciar o tratamento com doses menores e intervalos mais longos, de acordo com o médico assistente.

Após o uso Sublingual do produto, recomenda-se aguardar ao menos 30 minutos, para ingerir líquidos ou alimentos para que ocorra perfeita absorção. Quanto maior o tempo de permanência da vacina no local de aplicação, maior e melhor será sua absorção e efeito.

Para evitar reações adversas não deixe de avisar ao seu médico se está tomando algum outro medicamento, antes do início, ou durante o tratamento.

Caso ocorram reações adversas com o uso do Insetivac SL informar ao seu médico.

Via Sublingual - SL.

Posologia do Insetivac SL


Adultos

Aplicar 3 gotas pela manhã e 3 gotas à tarde.

Crianças abaixo de 10 anos

Aplicar 2 gotas, uma vez ao dia. Usar o medicamento diariamente até que ocorra a dessensibilização desejada.

Este esquema poderá ser modificado à critério do médico. Após terminar a 1ª Série, seguir o mesmo critério com a 2ª Série e depois com a 3ª Série. Sempre sob os cuidados do médico assistente.

Siga a orientação do seu médico, respeitando os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Durante os estados febris evitar a administração do Insetivac SL.

Ainda não são conhecidas a intensidade e freqüência das reações adversas.

O tratamento deverá durar até que ocorra a dessensibilização desejada. Este esquema poderá ser modificado à critério do médico assistente.

Em caso de dúvidas, informar ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

Idosos

Não existem recomendações especiais sobre o uso do produto por pacientes idosos.

Gravidez

Informar ao médico em caso de gravidez, amamentação ou se ocorrer gravidez durante o tratamento.

Apresentação

Frasco plástico com gotejador, com 15mL da solução, contendo 1,25, 12,5 e 125mcg/mL, respectivamente 1ª, 2ª e 3ª série.

Solução oral.

Uso sublingual. 

Uso adulto e pediátrico. 

Composição 

Cada mL de Insetivac SL 1ª série contém: 

Extratos Alergênicos de Insetos Sugadores*

1,25 mcg

Cloreto de Sódio

0,009 g

Glicerina

0,30 mL

Água Destilada Estéril

1,000 mL

Cada mL de Insetivac SL 2ª série contém: 

Extratos Alergênicos de Insetos Sugadores*

12,5 mcg

Cloreto de Sódio

0,009 g

Glicerina

0,30 mL

Água Destilada Estéril

1,000 mL

Cada mL de Insetivac SL 3ª série contém: 

Extratos Alergênicos de Insetos Sugadores*

125 mcg

Cloreto de Sódio

0,009 g

Glicerina

0,30 mL

Água Destilada Estéril

1,000 mL

*Abelhas (Apis), vespas (Polistes), formigas (Solenopsis), mosquitos (Culex), pulgas (Pulex).

No advento de reações focais (agravamento dos sintomas), reduzir as doses do Insetivac SL e prosseguir mais lentamente com a dessensibilização (diminuir o números de gotas por dia). Uma vez conseguido o controle das manifestações alérgicas com hipossensibilização, o paciente deverá ser instruído a retornar a posologia do inicio do tratamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a saúde.

Os insetos com seus antígenos podem induzir pelo menos três formas de hipersensibilidade:

  • Tipo reagínico ou anafilático;
  • Tipo Arthus ou doenças do soro, pelo complexo antígeno anticorpo;
  • Tipo tardio ou tuberculínico.

O mecanismo da hipossensibilização específica que se instala em pacientes tratados com Extratos Alergênicos de Insetos Sugadores (substância ativa) dependerá, portanto, da modalidade de hipersensibilidade em causa.

Na hipersensibilidade do tipo reagínico, ou anafilático, a teoria mais aceita é a de que esses antígenos, quando administrados em doses e vias adequadas, dão origem ao aparecimento de anticorpos humorais (imunoglobulina das classes IgA e IgE) chamados “bloqueadores”, que teriam propriedade de combinar e de neutralizar, especificamente, os respectivos antígenos. Em face dessa propriedade, os anticorpos “bloqueadores”, impediriam o contato e a combinação dos antígenos com os anticorpos (imunoglobulina da classe IgE) fixados na superfície de células receptoras (mastócitos), responsáveis pela liberação de histamina e pela reação inflamatória local (dilatação venular, edema e espasmos de músculos lisos).

O valor dos antígenos precipitados pelo alginato é reconhecido (toxóides ou anatoxinas), principalmente pelo fato de possibilitar absorção lenta do material inoculado. Essa absorção lenta dos antígenos exerce um pronunciado efeito adjuvante na hipossensibilização, possibilitando teores mais elevados de anticorpos bloqueadores e protetores, aumentando a ação imunogênica dos antígenos. O número de aplicações do antígeno poderá ficar grandemente reduzido, usando o alginato, o que constitui uma grande vantagem para o paciente, tornando o tratamento mais rápido, mais cômodo e mais econômico.

Deve ser conservado na embalagem original, em local seco, ao abrigo da luz direta em temperatura ambiente entre 15º e 30ºC.

O prazo de validade deste medicamento é de 36 meses, a partir da data de fabricação, desde que observados os cuidados de conservação.

Ao adquirir o medicamento confira sempre o prazo de validade impresso na embalagem do produto.

Nunca use o medicamento com prazo de validade vencido.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Reg. M.S. nº 1.1729.0012.001-1/002-8/003-6

Farm. Responsável.:
M. Queiroz da Cruz
CRF-RJ nº 1560

Fabricante:
Laboratório de Extratos Alergênicos Ltda.
Endereço: Av. Rio Branco, 277 s/1101-1201
Rio de Janeiro – RJ
CNPJ: 28.614.626/0001-07
Indústria Brasileira

SAC.:
(21) 2220-4763

Venda sob prescrição médica.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.