Hypoverin Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Hypoverin é indicado em todo tipo de espasmos intestinais e gástricos, em espasmos bronquiais, angina de peito e disrritmias cardíacas.

Por ser um poderoso vasodilatador é usado em embolia arterial, periférica e pulmonar.

Como Hypoverin funciona?

O cloridrato de papaverina é relaxante inespecífico do músculo liso. Produz ação antiespasmódica nos vasos sangüíneos, aliviando assim, o espasmo arterial causado pelo fechamento dos vasos.

Hypoverin é contraindicado no bloqueio coronariano atrioventricular completo.

Instruções para a abertura da ampola de vidro de Hypoverin

  1. Fazer o líquido eventualmente contido na parte superior da ampola passar para a parte inferior por meio de movimentos circulares ou pequenos golpes de dedo.

  1. Segurando firmemente o corpo da ampola numa mão, aplicar com a outra uma força sobre a parte superior, em direção contrária ao ponto (ou seja, para baixo), até o rompimento do gargalo da ampola.

  1. Após aberta a ampola, insira a seringa a ser utilizada na abertura. Inverta a ampola de vidro e retire o seu conteúdo, puxando o êmbolo da seringa adequadamente.

É comum permanecer um discreto volume de líquido no interior da ampola.

Quando esvaziada, remova a ampola da seringa, mantendo o seu êmbolo puxado.

Posologia

Adultos

Intra-arterial:

40 mg durante 1 a 2 minutos.

Intramuscular ou intravenosa:

30 a 120 mg a cada 3 horas.

Intravenosa (só em casos urgentes):

100 mg lentamente durante 2 minutos a cada 3 horas.

Crianças

6 mg/kg de peso corporal, a cada 6 horas.

O produto é compatível com os diluentes cloreto de sódio 0,9% e glicose 5%.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Você deve tomar os seguintes cuidados antes de administrar este medicamento

  • Verificar o prazo de validade;
  • Não utilizá-lo se o recipiente estiver violado e se a solução apresentar turvação;
  • Descartar imediatamente o volume não usado após abertura da ampola.

Hypoverin deve ser administrado por via intravenosa lentamente pois pode causar arritmias cardíacas.

A administração intravenosa é contraindicada em pacientes com obstrução atrioventricular.

Deve-se ter atenção em pacientes com glaucoma ou depressão funcional de miocárdio, que estiverem fazendo uso de cloridrato de papaverina.

Hypoverin pode reduzir a eficácia da levodopa, utilizado no tratamento do mal de Parkinson.

Pacientes sob tratamento com Hypoverin devem evitar fumar, pois pode haver diminuição do efeito terapêutico da papaverina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Hypoverin pode causar reações de hipersensibilidade, tais como

  • Náuseas;
  • Desconforto abdominal;
  • Anorexia;
  • Constipação;
  • Diarreia;
  • Vertigens;
  • Cefaleia;
  • Hiperemia cutânea;
  • Reações hepáticas.

Podem ocorrer ainda:

  • Sonolência;
  • Debilidade;
  • Distúrbios da visão (diplopia);
  • Icterícia;
  • Irritação no local da injeção.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do serviço de atendimento ao consumidor (SAC).

Uso na gravidez e lactação

Em pacientes grávidas, Hypoverin só deverá ser prescrito em casos de extrema necessidade. Essa recomendação é especialmente aplicável nos três últimos meses de gravidez, pois não está provado que o uso do produto neste período esteja isento de risco e, portanto, só deve ser feito sob criteriosa avaliação médica.

Os efeitos para o lactente, caso existam, não são conhecidos. Portanto, a administração em mulheres que estejam amamentando somente deve ser realizada segundo criteriosa avaliação médica.

Uso em pacientes idosos

Cuidados especiais devem ser tomados para pacientes idosos, pois estes podem se apresentar mais sensíveis ao medicamento, assim como pacientes com comprometimento renal e/ou hepático.

Apresentação

Solução injetável, estéril e apirogênica.

Cartucho com 10 ampolas de vidro âmbar de 2 ml.

Uso intravenoso, intramuscular ou intra-arterial.

Uso adulto e pediátrico.

Composição

Cada ml da solução injetável contém:

Cloridrato de paraverina

50 mg*

Excipientes

1 ml

*Equivalente a 30 mg de papaverina base.
**Bissulfito de sódio, edetato de sódio e água para injeção.

Em caso de superdosagem os sinais clínicos incluem

  • Sonolência;
  • Fraqueza;
  • Distúrbios da visão (nistagmo, diplopia);
  • Incoordenação e fadiga;
  • Progredindo para o coma com cianose;
  • Depressão respiratória.

Para retardar a absorção, é recomendado dar carvão ativado, leite e então proceder a uma lavagem estomacal ou indução ao vômito, seguida de administração de catártico.

Na ocorrência de coma ou depressão respiratória, tomar medidas de suporte apropriadas, de forma a manter a pressão sanguínea.

Após tomadas as medidas acima, e dependendo do quadro clínico apresentado, considerar a possibilidade de hemodiálise.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Cloridrato de Papaverina (substância ativa deste medicamento) pode reduzir a eficácia da levodopa.

O fumo pode interferir no efeito terapêutico do cloridrato de papaverina.

Resultados de eficácia

A papaverina, um dos derivados do ópio, teve como ultilidade primária promover o relaxamento do músculo liso dos vasos sanguíneos. Numerosos relatos podem ser encontrados na literatura quanto à sua eficácia no tratamento de condições oclusivas e espasmáticas do pulmão, coronárias e artérias periféricas. Nota-se que grande parte do reconhecimento adquirido pela papaverina como vasodilatador é baseado em estudos clínicos em vez de estudos experimentais. Na doença arterial coronariana a droga é relatada como sendo altamente eficaz no alívio da angina.

Em doenças oclusivas das artérias periféricas, muitos autores têm relatado a papaverina como sendo um agente altamente eficaz, especialmente no alívio do vasoespasmo associado a episódios obstrutivos agudos. Nos últimos anos, estudos clínicos têm relatado a papaverina como uma droga eficaz no tratamento de doenças dos vasos cerebrais. Russek e Zohman relataram 46 casos de encefalopatia vascular devido à hipertensão, glomerulonefrite aguda e estados de doença similares, os quais a administração da papaverina demonstrou efeitos benéficos definitivos.

O sucesso do uso de papaverina intra-arterial para o tratamento de vasoespasmo tem sido relatado em estudos que demonstraram que a vasodilatação satisfatória pode ser alcançada em muitos casos, o que é altamente sugestivo de que o estreitamento arterial no início do curso de vasoespasmo sintomático humano é predominantemente causado pela contração do músculo liso, em vez de mudanças citoarquitetural ou perda de distensibilidade da parede do vaso.

A infusão intra-arterial de papaverina demonstrou-se eficaz na dilatação das artérias espasmáticas, na maioria dos pacientes com vasoespasmo sintomático após a hemorragia subaracnóidea.

Características farmacológicas

O cloridrato de papaverina (substância ativa deste medicamento) é relaxante inespecífica do músculo liso. Produz ação antiespasmódica nos vasos sangüíneos, aliviando assim, o espasmo arterial causado por oclusão vascular aguda. Sugere-se que inibe a fosfodiesterase nas células do músculo liso e deste modo, interfere com o mecanismo da contração muscular. É capaz de produzir dilatação arterial, nas circulações sistêmicas, coronariana e cerebral.

Você deve conservar Hypoverin em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC) e protegido da luz. Não congelar devido a possibilidade de precipitação.

Este medicamento tem validade de 24 meses a partir da data de fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Para sua segurança mantenha o medicamento na embalagem original.

Características físicas

Solução límpida, coloração amarela e isenta de partículas em suspensão.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance de crianças.

Reg. MS 1.0387.0032

Farm. Resp.:
Dra. Sinara P. A. Lopes
CRF MG 8993

Hypofarma-Instituto de Hypodermia e Farmácia Ltda
R. Dr. Irineu Marcellini, 303-Ribeirão das Neves – MG
C.N.P.J: 17.174.657/0001-78
Indústria Brasileira

Uso restrito a hospitais.

Venda sob prescrição médica dizeres legais.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.