Hebrin Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Hebrin é indicado para tratamento de micoses da pele como

  • Intertrigo micótico (eczema marginado de Hebra);
  • Tricomicose (infecção por fungos que acomete os pêlos);
  • Tinhas epidermomicoses das mãos e pés (“pé-de-atleta”).

Como Hebrin funciona?

Hebrin possui atividades queratolíticas (esfoliantes) além de atuar como fungicida (destrói ou inibe a ação dos fungos) e antisséptico moderado.

Este medicamento é contraindicado em pacientes com

Hipersensibilidade (alergia) a qualquer um dos componentes da fórmula.

Não deve ser usado nas afecções cutâneas purulentas ou impetiginadas (lesões da pele com pus ou bolhas).

Deve ser usado com cautela, pois o ácido salicílico pode ser absorvido a partir do local da aplicação tópica, é lentamente excretado pela urina e pode causar salicilismo (intoxicação pelo ácido salicílico), assim sendo, não deverá ser usado sobre grandes áreas por tratamentos prolongados.

A aplicação tópica deverá ser descontinuada se evidenciada sensibilização ou irritação local.

Aplicar o medicamento sobre a pele limpa.

Esfregar algodão embebido de Hebrin no local afetado, sem exercer pressão muito forte, uma ou duas vezes ao dia, de preferência após o banho. Nas crianças o Hebrin deve ser diluído em partes iguais de álcool antes de ser usado.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica ou de seu cirurgião-dentista.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar Hebrin?

Caso esqueça-se de usar o medicamento, aplique-o assim que lembrar. Se estiver próximo do horário da outra aplicação, pule a dose esquecida e volte a aplicar no horário habitual. Não use o dobro de dosagem para compensar doses esquecidas.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

A aplicação tópica de Hebrin deverá ser descontinuada se evidenciada sensibilização ou irritação local. O ácido salicílico pode ser absorvido a partir do local da aplicação tópica, é lentamente excretado pela urina e pode causar salicilismo (intoxicação pelo ácido salicílico). Assim sendo, não deverá ser usado sobre grandes áreas por tratamentos prolongados.

Gravidez e amamentação

Estudos em humanos ainda não foram realizados na utilização de ácido salicílico durante a gravidez, entretanto o ácido salicílico pode ser absorvido sistemicamente. Existe a preocupação em relação à possibilidade do fechamento prematuro dos ductos arteriais.

O iodo atravessa a placenta; o seu uso não é recomendado durante a gravidez por causa da possibilidade de absorção e efeitos adversos no feto como hipotireoidismo (atividade insuficiente da glândula tireoide) e bócio (aumento de volume da glândula tiroide). O iodo aplicado topicamente pode se distribuir pelo leite materno; o seu uso não é recomendado para lactantes porque pode resultar em uma sobrecarga de iodo e hipotireoidismo transitório em lactentes (atividade insuficiente da glândula tireoide temporária).

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista.

Pediatria

Não é recomendado para crianças com até 1 mês de idade.

Pacientes idosos

Não há restrições específicas para o uso em pacientes idosos.

Interações medicamentosas

O ácido salicílico pode interagir com os seguintes produtos

Abrasivos, sabonetes medicinais, preparações para acne, demaquilante, preparações contendo benzoilperóxido, resorcinol, enxofre, tretinoína, preparações tópicas contendo álcool como loções pós-barba, adstringentes, cremes e loções para barbear, cosméticos e sabonetes com um forte efeito secativo, isotretinoína.

Interferência em exames laboratoriais

O uso do Hebrin pode alterar os testes laboratoriais de iodo ligado à proteína.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Poucas reações podem ocorrer com a aplicação tópica da preparação: prurido (sensação de coceira), irritação local e, ocasionalmente, dermatite alérgica (inflamação na pele).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Cada mL contém:

Iodo

10 mg

Óleo de cade

10 mg

Ácido Salicílico

20 mg

Veículo: Álcool etílico e água purificada.

Na eventualidade da ingestão acidental ou de manifestação de efeitos sistêmicos decorrentes do uso inadequado do produto, recomenda-se adotar as medidas habituais de controle das funções vitais.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

O ácido salicílico pode interagir com os seguintes produtos

Abrasivos, sabonetes medicinais, preparações para acne, demaquilante, preparações contendo benzoilperóxido, resorcinol, enxofre, tretinoína, preparações tópicas contendo álcool como loções pós-barba, adstringentes, cremes e loções para barbear, cosméticos e sabonetes com um forte efeito secativo, isotretinoína.

Interferência em exames laboratoriais

O uso deste medicamento pode alterar os testes laboratoriais de iodo ligado à proteína.

Resultados de Eficácia

Em um teste padronizado (SFST), foram medidos efeitos antibacterianos de curto prazo, incluindo o grau do perfil de ação, a ação temporal, a profundidade e a penetração de um agente antibacteriano aplicados topicamente.

O teste foi realizado com isopropanol, n-propanol, iodo povidona (solução aquosa), ácido salicílico em 50% de isopropanol, o ácido salicílico mostrou redução de 60% equivalente ao n-propanol, imediatamente após a aplicação. Com os testes modificados, o acido salicílico reduzia em 50 vezes o crescimento bacteriano 12 horas após a aplicação e 100 vezes 12 horas após a oitava aplicação, em comparação com o isopropanol.

O ácido salicílico usado principalmente como agente queratolítico, preenche todos os requisitos, acima mencionados, incluindo também uma eficácia antimicrobiana. O acido salicílico é também eficaz contra leveduras e dermatófitos, a substância tem algumas vantagens em relação a outros antimicrobianos utilizados na dermatoterapia.

A atividade antifúngica dos óleos essenciais foi avaliada pela determinação dos valores MIC e MLC, usando um método de macrodiluição, em cepas de Candida, Aspergillus e dermatófitos. Todos os óleos essenciais testados inibiram o crescimento dos organismos (dermatófitos isolados). Os resultados obtidos nos permitem concluir que os óleos essenciais ou de algum de seus componentes poderão ser úteis para o manejo clinico das infecções fúngicas, justificando futuros ensaios clínicos para validar sua utilização como alternativas terapêuticas para a dermatofitose.

A solução de iodo tem ação antisséptica, destroem as bactérias vegetativas, micobactérias, fungos e vírus contendo lipídeos. Podem ser esporicidas com exposição prolongada. É bactericida em 1 minuto e mata esporos em 15 minutos. Trata-se do antisséptico mais ativo para pele intacta. A tintura de iodo não é comumente utilizada, devido à possível ocorrência de graves reações de hipersensibilidade e devido a sua propriedade de manchar roupas.

Características Farmacológicas

O ácido salicílico facilita a descamação da pele solubilizando o cimento intercelular que liga as escamas do estrato córneo, resultando, assim, em descamação dos resíduos ceratóticos por meio da perda de queratina.

Este efeito queratolítico promove uma ação antifúngica, suprimindo então o crescimento fúngico; ajudando também na penetração de agentes antifúngicos. O ácido salicílico promove uma suave ação antisséptica.

O ácido salicílico é aplicado topicamente no tratamento de hiperqueratose.

O óleo de cade age contra prurido e também como antisséptico.

O iodo tem ação antisséptica. Aproximadamente 90% do iodo absorvido pelas células bacterianas reaparecem como o principal mecanismo bactericida do iodo tópico.

Manter o produto em sua embalagem original e conservar em temperatura ambiente (entre 15° e 30°C).

O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Características organolépticas

Líquido marrom escuro, com odor de óleo de cade.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Registro MS – 1.0497.1154.

Farm. Resp.:
Florentino de Jesus Krencas
CRF-SP: 49136

União Química Farmacêutica Nacional S/A
Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90 Embu-Guaçu – SP
CEP: 06900-000
CNPJ: 60.665.981/0001-18
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Laboratil Farmacêutica Ltda
R. Aníbal dos Anjos Carvalho Nº 212,
Cidade Dutra - São Paulo - SP
CNPJ: 47100.862/0001-50
Indústria Brasileira.

Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.