Gonapeptyl Depot Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

-Tratamentos de neoplásias como carcinoma de mama e próstata.
- Tratamneto de endometriose e puberdade precoce.
Afecções de pele, onde se exigem ações antiinflamatória, antibacteriana e antimicótica, causadas por germes sensíveis, como: dermatites de contato, dermatite
atópica, dermatite seborréica, intertrigo, disidrose, neurodermatite.

-Hipersensibilidade ao fármaco
-Gravidez e Lactação
Hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.
Não deve ser utilizado em determinadas infecções da pele, como: varicela, herpes simples ou zoster, tuberculose cutânea ou sífilis cutânea.
Gravidez e lactação.

- Via Intramuscular: 3mg uma vez por mês.

Não é ativa por via oral.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO

Advertências e precauções A terapia com Gonapeptyl Depot ® deve ser monitorada através da realização de exames de níveis séricos de esteroides sexuais No homem: Uma pequena porcentagem dos pacientes pode apresentar uma piora temporária nos sintomas do câncer de próstata (aumento do tumor) e aumento temporário da dor relacionada ao câncer (dor metastática), os quais podem ter seus sintomas controlados A privação a longo prazo de andrógenos tanto por castração bilateral ou administração de análogos de GnRH está associada a acelerada perda óssea, a qual pode levar à osteoporose e aumento do risco de fraturas ósseas Estudos epidemiológicos sugerem um aumento no risco relativo do desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2 e certos eventos cardiovasculares (morte súbita, infarto do miocárdio e acidente vascular) associados com o uso de agonistas de GnRH em homens com câncer de próstata Na mulher: O uso de agonistas de GnRH pode causar a redução da densidade óssea O tratamento sem uma terapia de reposição hormonal não deve exceder o período de 6 meses Dados atualmente disponíveis mostram que na maioria das mulheres a recuperação da perda óssea ocorre em 6 a 9 meses após o término do tratamento Uma vez que os ciclos menstruais devem parar durante o tratamento com Gonapeptyl ® Depot, notifique o seu médico caso menstruações regulares persistam Assim que o tratamento terminar, a função ovariana será recuperada, portanto a menstruação irá retornar dentro de 7 a 12 semanas após a última injeção Métodos não-hormonais de contracepção devem ser empregados durante o primeiro mês após a primeira injeção, uma vez que a ovulação pode ser desencadeada pela liberação inicial de gonadotropinas, e até quatro semanas após a última injeção, até o retorno da menstruação ou até ser estabelecido outro método contraceptivo Na criança: Deve-se iniciar o tratamento apenas em pacientes com menos de 9 anos (para meninas) e menos de 10 anos (para meninos) Em meninas, a estimulação ovariana no início do tratamento, seguida pelo tratamento para redução dos níveis de estrógeno, pode levar, no primeiro mês, ao sangramento vaginal de intensidade leve a moderada Após o término da terapia, ocorrerá o desenvolvimento das características de puberdade Informações sobre fertilidade futura ainda são limitadas Na maioria das meninas a menstruação terá início em média um ano após o final da terapia e, na maioria dos casos, é regular A densidade óssea pode ser reduzida durante o tratamento para puberdade precoce No entanto, após o término do tratamento, subsequente aumento na massa óssea é conservado, e o pico da massa óssea na adolescência não parece ser afetado pelo tratamento Geral: Alterações de humor, incluindo depressão foram relatados com o uso deste medicamento Pacientes com depressão devem ser monitorados de perto durante a terapia Tenha atenção especial ao utilizar Gonapeptyl ® Depot nos seguintes casos: No homem: - Caso você tenha dores nos ossos ou dificuldade em urinar - Caso você tenha tumor secundário espinhal ou do trato urinário Entre em contato com o seu médico caso algum dos sintomas da doença piorar - Na fase inicial da terapia, deve-se considerar a administração suplementar de um agente antiandrógeno apropriado como um meio de diminuir o aumento inicial de testosterona e a exacerbação da sintomatologia clínica - A administração de análogos de GnRH está associada a acelerada perda óssea, a qual pode levar à osteoporose e aumento do risco de fraturas ósseas Na mulher: - Caso você tenha sangramento no meio do ciclo durante o tratamento (exceto no primeiro mês) A sua menstruação será interrompida durante o tratamento Assim que o tratamento terminar, sua menstruação irá retornar dentro de 7 a 12 semanas após a última injeção - Caso você tenha risco aumentado de perda óssea O tratamento com Gonapeptyl ® Depot por vários meses pode levar a perda óssea Portanto, a terapia não deverá exceder a duração de 6 meses Após o término do tratamento a perda óssea é normalmente reversível dentro de 6 a 9 meses Cuidados em particular são aconselhados aos pacientes com fatores de risco adicionais para osteoporose Durante o tratamento: - Métodos não hormonais de contracepção (como, por exemplo, a camisinha) deverão ser utilizados durante o primeiro mês após a primeira injeção e até quatro semanas após a última injeção, até o retorno da menstruação - Caso a sua menstruação persista durante o tratamento, informe ao seu médico A gravidez deve ser excluída antes de se iniciar a terapia A lactação deve ser descontinuada antes e durante a administração de Gonapeptyl ® Depot - Durante o tratamento de miomas uterinos, os tamanhos do útero e do mioma devem ser regularmente determinados A redução rápida, não proporcional do tamanho do útero em relação ao tamanho do mioma tem, em poucos casos, causado sangramentos e infecção Na criança: - O tratamento deve ser iniciado em meninas antes dos 9 anos e meninos antes dos 10 anos Após o término da terapia, ocorrerá o desenvolvimento das características de puberdade Na maioria das meninas, a menstruação iniciar-se-á em torno de um ano após o término do tratamento, e na maioria dos casos a menstruação é regular - Deve-se excluir pseudopuberdade precoce (tumor adrenal ou gonadal ou hiperplasia) e puberdade precoce independente de gonadotropina (testotoxicose, hiperplasia das células de Leydig) - A densidade óssea pode ser reduzida durante o tratamento para puberdade precoce No entanto, após o término do tratamento, subsequente aumento na massa óssea é conservado, e o pico da massa óssea na adolescência não parece ser afetado pelo tratamento - Após o término do tratamento observa-se o deslocamento da epífise femoral, devido ao aumento da velocidade de crescimento Geral: Alterações de humor, incluindo depressão foram relatadas com o uso deste medicamento Pacientes com depressão devem ser monitorados de perto durante a terapia Pacientes idosos Não é necessário ajustar a dose para pacientes idosos Gravidez e lactação Antes de se iniciar o tratamento, mulheres potencialmente férteis devem ser cuidadosamente examinadas para se excluir a gravidez Durante o tratamento, devem ser utilizados métodos contraceptivos não-hormonais A triptorrelina não deve ser utilizada durante a gravidez, uma vez que o uso de agonistas de GnRH está associado a risco de aborto ou anormalidades fetais Não é conhecido se a triptorrelina é excretada no leite materno Devido aos seus potenciais efeitos adversos em lactentes, a lactação deve ser interrompida antes e durante a administração do produto Interrupção do tratamento O tratamento com Gonapeptyl ® Depot poderá ser interrompido apenas sob orientação médica

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR Geral (para homens, mulheres e crianças): Reações alérgicas e anafiláticas foram observadas em adultos e crianças Estas incluem tanto reações no local da administração da injeção quanto sintomas sistêmicos Foi observada uma taxa maior dessas reações em crianças Nos homens: Assim como para outros agonistas de GnRH ou após a castração cirúrgica, as reações adversas mais frequentemente observadas são devido aos efeitos farmacológicos esperados da triptorrelina O aumento inicial transitório da testosterona no sangue tem, em alguns pacientes, sido associado a uma temporária agravação dos sintomas da doença normalmente manifestadas como aumento dos sintomas urinários e/ou dor metastásica, os quais podem ser controlados Estes sintomas são temporários e normalmente desaparecem após uma ou duas semanas Casos isolados de exarcebação dos sintomas da doença foram reportados: obstrução urinária, a qual pode reduzir a função renal, ou compressão da espinha dorsal devido a metástases, podendo levar à fraqueza e formigamento dos pés e mãos - Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): impotência, perda de libido, ondas de calor, aumento da sudorese - Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): tontura, hipertensão, dor óssea, dor no local da injeção, fadiga - Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): perda do apetite, insônia, formigamento, náusea, constipação, boca seca, alopecia, dor nas costas, aumento das mamas Reações com frequência desconhecida: nasofaringite, reação anafilática, hipersensibilidade, diabetes mellitus, gota, aumento do apetite, depressão, alterações de humor, redução de atividade, confusão, euforia, ansiedade, diminuição do paladar, entorpecimento, sonolência, dificuldade em se manter em pé, cefaleia, diminuição da memória, sensação anormal nos olhos, redução da visão, visão turva, zumbido, vertigem, hipotensão, falta de ar, dificuldade de respirar quando deitado, sangramento nasal, dor abdominal, diarreia, distensão abdominal, flatulência, púrpura, acne, prurido, rash, bolhas, inchado, urticária, dor músculoesquelética, dor nas extremidades, dor nas articulações, espasmos musculares, fraqueza, dor muscular, rigidez articular, inchaço das articulações, inchaço músculoesquelético, osteoartrite, dor nas mamas, atrofia testicular, problemas para ejaculação, fraqueza, vermelhidão, inflamação e reação no local da injeção, edema, dor, calafrios, dor no peito, sintomas semelhantes aos da gripe, irritabilidade, febre, aumento de enzimas hepáticas, aumento da creatinina sanguínea, aumento da pressão sanguínea, aumento da ureia sanguínea, aumento de fosfatases alcalinas sanguíneas, aumento da temperatura corpórea, ganho ou perda de peso Nas mulheres: No início do tratamento, os sintomas de endometriose, incluindo dor pélvica e cólicas, podem ser exacerbados Estes sintomas são temporários e normalmente desaparecem em uma ou duas semanas - Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): redução da libido, distúrbios do sono, dores de cabeça, ondas de calor, hiperidrose, sangramento ou secura vaginal - Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento hiperandrogenismo, alterações de humor, ansiedade, insônia, depressão, humor depressivo, tontura, palpitações, sintomas do trato respiratório superior, náusea, problemas de digestão, problemas gastrointestinais, dor abdominal, queda de cabelo, dor nas articulações, coito dolorido ou com dificuldades, problemas mamários, sangramento, fadiga, fraqueza, irritabilidade, ganho de peso - Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento formigamento, vertigem, dor nas costas, dor óssea, espasmos musculares, edema, dor e reação no local da injeção, aumento da pressão sanguínea e aumento do colesterol Reações com frequência desconhecida: hipersensibilidade, reação anafilática, confusão, visão turva, problemas de visão, dificuldade para respirar, desconforto abdominal, diarreia, inchaço, prurido, rash, urticária, cólicas, perda de sangue irregular, dor nas mamas, ausência de menstruação, febre, mal estar, vermelhidão e inflamação no local da injeção, alteração na estrutura óssea e alterações no peso Nas crianças: -Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): sangramento genital em meninas - Reação Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): rinite, infecção do trato respiratório superior, dor de cabeça, sangramentos nasais, dor abdominal, queda de cabelo, corrimento vaginal (em meninas), dor e nódulos no local da injeção, ganho de peso -Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): ondas de calor Reações adversas de frequência desconhecida: hipersensibilidade, reação anafilática, instabilidade emocional, nervosismo, visão turva, problemas na visão, vômito, desconforto abdominal, náusea, vermelhidão, inchaço, rash, urticária, dor muscular, hemorragia genital, dor, eritema e inflamação no local da injeção, mal estar, aumento da pressão sanguínea Alterações no crescimento ósseo e perda de cabelo foram esporadicamente relatadas Alguns casos de epifisiólise (separação da epífise proximal do fêmur) foram reportados durante o tratamento com triptorrelina Reações alérgicas podem acometer homens, mulheres e crianças Faça o teste subcutâneo antes da aplicação Em geral os efeitos colaterais desaparecem após o término do tratamento Informe ao seu médico, cirurgião dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento 9 O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO Entre em contato com o médico caso tenha sido utilizada uma quantidade maior do que a indicada pelo médico Não há experiência suficiente de overdose com triptorrelina para serem concluídos possíveis efeitos adversos

COMPOSIÇÃO Cada seringa com microcápsulas contém: acetato de triptorrelina 4,12 mg (equivalente a 3,75 mg de triptorrelina base livre) Excipientes: poli (ácido glicólico, ácido láctico) e octanoato de propilenoglicol Cada seringa contendo 1 mL de agente de suspensão contém: polissorbato 80, dextrana 70, cloreto de sódio, fosfato monossódico diidratado, solução de hidróxido de sódio 1 N e água para injetáveis INFORMAÇÕES AO PACIENTE 1

Considerando a forma farmacêutica e a apresentação, a superdosagem não é esperada Em um evento de intoxicação, pouco provável, este deve ser sintomaticamente tratado Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações

A administração de triptorrelina juntamente a outros medicamentos que afetam a secreção hipofisária de gonadotropina deve ser realizada com precaução e recomenda-se o monitoramento dos níveis hormonais do paciente.

Não foram investigadas interações entre Acetato de Triptorrelina (substância ativa) e outros medicamentos.

Existe a possibilidade de interações medicamentosas com medicamentos comumente utilizados, incluindo medicamentos que liberam histamina.

Acetato de Triptorrelina (substância ativa) não deve ser misturado a outros medicamentos, pois, não foram realizados estudos de compatibilidade.

Não há dados sobre a interação de Acetato de Triptorrelina (substância ativa) com alimentos e álcool.

Resultados de eficácia

Estudos comprovam que:

Os análogos do GnRH usados durante a hiperestimulação ovariana controlada (HOC) influenciam os resultados de FIV nas pacientes com resultado prévio desfavorável.

Um estudo de 728 pacientes com ciclos consecutivos falhos de FIV comparou o grupo que fez uso de agonista do GnRH triptorrelina (n=384) com o grupo que utilizou antagonista do GnRH (n=344).

Este estudo concluiu que as pacientes do grupo triptorrelina (agonista do GnRH) mostrou taxa de gravidez clínica significativamente maior (20,8%) versus o grupo antagonista do GnRH (14,5%).

A utilização dos análogos do GnRH na hiperestimulação ovariana controlada (HOC) pode influenciar a receptividade endometrial.

Estudo envolvendo 712 ciclos FIV em pacientes sob hiperestimulação ovariana controlada com antagonista ou agonista do GnRH com transferência de pelo menos um embrião de alta qualidade.

O estudo mostrou espessamento endometrial significativamente maior e taxa de gravidez mais elevada no grupo agonista do GnRH.

Os análogos do GnRH influenciam os resultados de FIV de pacientes portadores da síndrome dos ovários policísticos (SOP) e submetidas a hiperestimulação ovariana controlada (HOC).

Um estudo de 152 ciclos de pacientes com SOP mostrou taxa de gravidez significativamente maior, 36% no protocolo com agonista de GnRH triptorrelina (n=50) compara com 19,6% no protocolo com agonista do GnRH (n=102).

Características farmacológicas

Propriedades Farmacodinâmicas

A triptorrelina, componente ativo do Acetato de Triptorrelina (substância ativa), é um decapeptídeo sintético análogo do hormônio natural de liberação de gonadotropina (GnRH).

O GnRH é sintetizado no hipotálamo e regula a biossíntese e a liberação das gonadotropinas LH (hormônio luteinizante) e do FSH (hormônio folículo estimulante) pela hipófise.

A triptorrelina estimula muito mais a secreção de LH e FSH pela hipófise, em comparação à gonadorrelina, e possui uma ação mais prolongada.

O aumento dos níveis de LH e de FSH nas mulheres leva, inicialmente, ao aumento na concentração de estrógeno sérico.

A administração contínua de agonista de GnRH resulta na inibição da hipófise em secretar LH e FSH.

Esta inibição leva a redução da esteroidogênese levando a queda na concentração de estradiol sérico a níveis de pós-menopausa ou castração.

Não foi estabelecido o exato tempo de duração da ação de Acetato de Triptorrelina (substância ativa), porém a supressão hipofisária é mantida por pelo menos 6 dias após a interrupção da administração.

O uso de Acetato de Triptorrelina (substância ativa) para a indução da downregulation (supressão hipofisária) pode prevenir o aumento repentino de LH e desta forma prevenir a ovulação prematura e/ou a luteinização folicular.

O uso de agonistas de GnRH para downregulation reduz as taxas de ciclos cancelados e aumenta as taxas de gravidez em ciclos de Técnicas de Reprodução Assistida (TRA).

Após a descontinuação de Acetato de Triptorrelina (substância ativa), é esperada a queda nos níveis de LH circulante, sendo que os níveis basais de LH retornam em aproximadamente duas semanas.

Propriedades farmacocinéticas

Os dados farmacocinéticos sugerem que após a administração subcutânea de Acetato de Triptorrelina (substância ativa) a biodisponibilidade sistêmica da triptorrelina é próxima a 100%.

A meia-vida de eliminação da triptorrelina é de 3 a 5 horas, indicando que a triptorrelina é eliminada dentro de 24 horas.

O metabolismo de peptídeos de cadeia pequena e de aminoácidos ocorre primeiramente no fígado e nos rins.

A triptorrelina é excretada principalmente pela urina.

Estudos clínicos indicam que é baixo o risco de acúmulo de triptorrelina em pacientes com disfunção severa hepática e renal.

Dados pré-clínicos de segurança

Em ratos tratados com triptorrelina por longos períodos de tempo, foi detectado um aumento de tumores hipofisários.

Sabe-se que os análogos de LHRH induzem tumores hipofisários em roedores devido à regulação específica do sistema endócrino desses animais que é diferente da regulação em humanos.

A influência da triptorrelina sobre anormalidades hipofisárias em humanos é desconhecida e a observação oriunda dos ratos não é considerada relevante para os humanos.

A triporrelina não é teratogênica, mas existem indicações de retardo no desenvolvimento fetal e no parto em ratos.

Os dados pré-clínicos não revelam riscos especiais para humanos com base nos estudos de toxicidade de doses repetidas e de genotoxicidade.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO Gonapeptyl ® Depot deve ser armazenado sob refrigeração (temperatura entre 2°C e 8ºC), Após a reconstituição da suspensão a mesma deve ser aplicada em, até no máximo, 3 minutos Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem Não use medicamento com o prazo de validade vencido Guarde-o em sua embalagem original Após preparo , este medicamento deve ser utilizado em até, no máximo, 3 minutos Aspecto físico Seringa pré-envasada contendo microcápsulas de liberação lenta Seringa contendo 1mL de agente de suspensão Características organolépticas Microcápsulas:: pó branco a levemente amarelado Agente de suspensão (diluente): líquido incolor e transparente Suspensão injetável após preparo: solução leitosa branca a levemente amarelada Antes de usar, observe o aspecto do medicamento Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças 6

DIZERES LEGAIS MS – 1 2876 0009 Farm Resp : Helena Satie Komatsu CRF/SP 19 714 Fabricado por: Ferring GmbH Kiel, Alemanha Embalado por: Ferring International Center SA – FICSA St Prex, Suíça Importado e distribuído por: Laboratórios Ferring Ltda Praça São Marcos, 624 05455-050 - São Paulo – SP CNPJ: 74 232 034/0001-48 SAC: 0800 772 4656 www ferring com br VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA Esta bula foi aprovada pela Anvisa em (dia/mês/ano) CCDS 2011/11 V01 Dados da submissão eletrônica Dados da petição/notificação que altera a bula Dados das alterações de bulas Data do expediente Nº expediente Assunto Data do expediente Nº do expediente Assunto Data de aprovação Itens de bula Versões (VP/VPS)

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.