Glicerin Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Laxante indicado no tratamento e/ ou prevenção da prisão de ventre e tem a finalidade de provocar a evacuação.

Os laxantes hiperosmóticos são contraindicados em algumas situações, tais como, apendicite, hemorragia retal não diagnosticada e obstrução intestinal. Glicerin é contraindicado a pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula e não deve ser utilizado por pacientes que estejam se recuperando de uma cirurgia retal.

Uso em Pacientes Adultos
Um supositório ao dia quando necessário ou a critério médico. Introduzir o supositório no reto e procurar retê-lo até que advenha a vontade de evacuar.

Bebês: um supositório ao dia quando necessário ou a critério médico. Introduzir o supositório por via retal pela parte mais afilada e segurar com a ponta dos dedos a outra extremidade até que o fluxo fecal seja obtido.

Crianças de até 12 anos de idade: um supositório ao dia quando necessário ou a critério médico. Introduzir o supositório no reto e procurar retê-lo até que advenha a vontade de evacuar.
De um modo geral, o efeito desejado de evacuação das fezes retidas com a constipação intestinal (prisão de ventre) é alcançado alguns minutos após a introdução do supositório no reto. Pode-se deixar o supositório atuar por 15 a 30 minutos. Não é necessário que o produto se dissolva completamente para que produza o efeito desejado.

O paciente deve ser orientado para que não utilize laxantes por mais de uma semana sem determinação médica.

Os adultos devem ingerir de 6 a 8 copos de água diários com a finalidade de auxiliar o amolecimento das fezes.

O supositório pode ser umedecido com água antes da inserção, para reduzir a tendência inicial da base de retirar água das mucosas, irritando os tecidos.

Deve-se avaliar a relação risco/benefício em situações clínicas, tais como hipertensão ou insuficiência cardíaca congestiva.

O glicerol deve ser utilizado com precaução por pacientes com risco de hipervolemia, insuficiência cardíaca ou distúrbio renal. Pessoas desidratadas devem utilizar o medicamento com precaução, uma vez que há o risco de agravar esta condição.

Glicerol (substância ativa) é um medicamento classificado na categoria C de risco de gravidez.​ Portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Este medicamento pode causar doping.

Praticamente atóxico e geralmente apresenta boa tolerabilidade. Raramente ocorrem reações adversas advindas com o uso de laxantes hiperosmóticos, podendo incluir cólica, diarreia, formação de gases e sede.
Podem ocorrer desconforto retal, aumento do fluxo sanguíneo retal e irritação local. As reações adversas provenientes do glicerol devem-se principalmente à sua ação desidratante, pois esta substância aumenta a osmolaridade plasmática resultando na perda de água dos espaços extravasculares.

PACIENTES IDOSOS
Devem ser seguidas as mesmas orientações dadas aos adultos.

O paciente deve ser orientado para que não utilize laxantes por mais de uma semana sem determinação médica. Os adultos devem ingerir de 6 a 8 copos de água diários com a finalidade de auxiliar o amolecimento das fezes. O supositório pode ser umedecido com água antes da inserção, para reduzir a tendência inicial da base de retirar água das mucosas, irritando os tecidos.
Deve-se avaliar a relação risco/benefício em situações clínicas, tais como hipertensão ou insuficiência cardíaca congestiva. Deve ser utilizado com precaução por pacientes com risco de hipervolemia, insuficiência cardíaca ou distúrbio renal. Pessoas desidratadas devem utilizar o medicamento com precaução, uma vez que há o risco de agravar esta condição.

Mesmo com o emprego de superdosagem durante períodos prolongados, não foram detectadas manifestações colaterais clinicamente importantes.

O uso crônico de laxantes hiperosmóticos pode diminuir a ação de suplementos de potássio e de diuréticos poupadores de potássio, promovendo a redução do potássio sanguíneo.

A associação de laxantes com medicamentos de ações farmacológicas diversas não é considerada ideal.

Resultados de eficácia

Os supositórios de Glicerol (substância ativa) apresentam eficácia em estimular a evacuação, inclusive nos casos de obstipação secundária ao uso de agentes opioides.

Características Farmacológicas

Mecanismo de Ação

O Glicerol (substância ativa) é classificado como laxante hiperosmótico. Os laxantes hiperosmóticos promovem aumento de água na luz intestinal. O aumento de fluido estimula os movimentos peristálticos e a evacuação. O Glicerol (substância ativa) também age lubrificando e amolecendo as fezes impactadas.

Glicerol (substância ativa) constitui um meio rápido e inócuo de promover o esvaziamento da parte terminal do intestino. São mais cômodos do que os clisteres, tendo também efeito mais imediato e seguro nos casos de prisão de ventre comum.

A introdução do supositório produz umectação das fezes retidas, provocando em seguida evacuação abundante e natural, sem cólicas e sem perturbações de espécie alguma. A ação do produto deve-se à afinidade do Glicerol (substância ativa) com a água, que estimula as secreções e provoca a evacuação do bolo fecal retido. Este processo não causa danos à flora intestinal.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Para a correta utilização deste medicamento, solicite orientação do farmacêutico.
A PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.