Gatifloxacino Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Gatifloxacino (substância ativa) é indicado para o tratamento de conjuntivites bacterianas causadas por cepas sensíveis dos seguintes microorganismos

Bactérias Gram-positivas aeróbias

Corynebacterium propinquum*, Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, Streptococcus mitis*, Streptococcus pneumoniae.

Bactérias Gram-negativas aeróbias

Haemophilus influenzae.

(*) A eficácia para estes microorganismos foi estudada em menos de 10 infecções.

Este medicamento é contraindicado em pacientes com história de hipersensibilidade ao Gatifloxacino (substância ativa), a outras quinolonas ou a qualquer um dos demais componentes da fórmula do produto.

Este medicamento é contraindicado para menores de 1 ano de idade.

Branca 2 vias (Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)

A solução já vem pronta para uso.

Este medicamento é de uso tópico ocular.

Os pacientes devem ser orientados a não encostar a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em outra superfície qualquer, para evitar a contaminação do frasco e do colírio.

Posologia

1º e 2º dia de tratamento

Instilar 1 gota no(s) olho(s) afetado(s) a cada 2 horas durante o período de vigília, até 8 vezes ao dia.

3º ao 7º dia de tratamento

Instilar 1 gota no(s) olho(s) afetado(s) até 4 vezes ao dia durante o período de vigília.

As reações adversas oculares relatadas mais comumente com Gatifloxacino (substância ativa), foram

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Lacrimejamento aumentado, ceratite (inflamação da córnea), conjuntivite papilar, olho seco, edema palpebral, diminuição da acuidade visual e alterações do paladar.

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Secreção ocular e dermatite de contato.

Outras reações adversas relatadas após a comercialização de Gatifloxacino (substância ativa) foram

Reações oculares

Blefarite (inflamação das pálpebras), hiperemia (vermelhidão) conjuntival/ocular, visão borrada, prurido ocular, edema ocular (incluindo edema da córnea e conjuntival), irritação ocular, dor ocular.

Reações gastrointestinais

Náusea.

Reações do sistema imune

Hipersensibilidade (alergia), reações anafiláticas e angioedema (incluindo edema da faringe, oral ou facial).

Reações respiratórias

Dispneia.

Reações da pele e tecido subcutâneo

Prurido (incluindo prurido generalizado), rash, urticária.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Não foram realizados estudos específicos com Gatifloxacino (substância ativa).

Gatifloxacino (substância ativa) é um medicamento tópico que possui ação local. Devido à mínima concentração de Gatifloxacino (substância ativa) no sangue após a instilação ocular (≤ 5 ng/mL), não são esperadas interações sistêmicas com outros medicamentos.

Gatifloxacino (substância ativa) é de uso tópico ocular.

A solução não deve ser injetada por via subconjuntival, nem deve ser introduzida diretamente na câmara anterior do olho.

Em pacientes recebendo quinolonas sistêmicas, incluindo o Gatifloxacino (substância ativa), foram relatadas graves reações de hipersensibilidade, ocasionalmente fatais (anafiláticas), sendo que algumas ocorreram após a primeira dose. Algumas reações foram acompanhadas por colapso cardiovascular, perda de consciência, angioedema (incluindo edema de laringe, faringe ou facial), obstrução das vias aéreas, dispnéia, urticária e prurido.

Foram relatados casos extremamente raros de Síndrome de Steven-Johnson e reação anafilática reportados em associação com uso tópico do Gatifloxacino (substância ativa). Se ocorrer alguma reação alérgica ao Gatifloxacino (substância ativa), o tratamento deve ser descontinuado. As reações graves de hipersensibilidade podem requerer tratamento de urgência.

A administração de oxigênio e medidas para manutenção das vias aéreas livres devem ser adotadas conforme indicação clínica.

Assim como para outros anti-infecciosos, o uso prolongado pode resultar em superinfecção por microorganismos não sensíveis, incluindo fungos. Se ocorrer superinfecção o uso deve ser descontinuado e deve ser instituído tratamento alternativo. Sempre que o julgamento clínico indicar, o paciente deve ser submetido a exame com dispositivos de ampliação de imagem, tais como lâmpada de fenda, biomicroscopia e, se apropriada, coloração com fluoresceína.

Os pacientes devem ser advertidos a não utilizar lentes de contato se apresentarem sinais e sintomas de conjuntivite bacteriana.

Gravidez e Lactação

Categoria de risco na gravidez C (FDA – USA).

Não foram observados efeitos teratogênicos em estudos realizados em ratos ou coelhos após administração oral de Gatifloxacino (substância ativa) em doses de até 50 mg/kg/dia (aproximadamente 1.000 vezes maior do que a máxima dose recomendada para uso oftálmico). Entretanto, foram observadas malformações esqueléticas / craniofaciais ou atraso na ossificação, aumento atrial e redução do peso fetal em fetos de ratas que receberam ≥ 150 mg/kg/dia (aproximadamente 3.000 vezes maior do que a máxima dose recomendada para uso oftálmico).

Em um estudo perinatal/pós-natal foram observados aumento tardio da perda pós-implantação e aumento da mortalidade neonatal/perinatal, com a dose de 200 mg/kg/dia (aproximadamente 4.000 vezes maior do que a máxima dose recomendada para uso oftálmico).

Considerando que não foram realizados estudos controlados em mulheres durante a gestação, Gatifloxacino (substância ativa) deve ser utilizado durante a gravidez apenas se os potenciais benefícios para a mãe justificarem os potenciais riscos para o feto.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O Gatifloxacino (substância ativa) é excretado pelo leite em ratos. Não se sabe se esta substância é excretada pelo leite humano. Considerando que muitas substâncias são excretadas pelo leite em humanos, recomenda-se cautela ao administrar Gatifloxacino (substância ativa) a mulheres durante a lactação.

Pacientes que utilizam lentes de contato

Pacientes que utilizam lentes de contato gelatinosas (hidrofílicas) devem ser instruídos a remover as lentes de contato em um ou ambos os olhos, antes da instilação de Gatifloxacino (substância ativa) e aguardar no mínimo 15 minutos para recolocá-las. Pacientes devem ser informados de que o conservante cloreto de benzalcônio pode ser absorvido pelas lentes de contato, causando descoloração das mesmas.

Pacientes devem ser instruídos a evitar o contato do conta-gotas do frasco com os olhos ou qualquer superfície para evitar contaminação.

Pacientes pediátricos

Foi demonstrado em estudos clínicos que Gatifloxacino (substância ativa) é seguro e efetivo no tratamento de conjuntivite bacteriana em pacientes pediátricos.

Pacientes idosos

Em geral não foram observadas diferenças na eficácia e segurança do uso entre pacientes idosos e mais jovens.

Interferência na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

Assim como qualquer tratamento tópico ocular, caso ocorra borramento da visão após a instilação, o paciente deve aguardar que a visão retorne ao normal antes de dirigir veículos ou operar máquinas.

Resultados de eficácia

Em dois estudos clínicos multicêntricos, duplamente mascarados, randomizados, de grupos paralelos avaliou-se o esquema de 5 dias de tratamento (± 1) de Gatifloxacino (substância ativa) 0,3% comparado com placebo e o outro avaliou o esquema de 5 dias de tratamento (± 1) com Gatifloxacino (substância ativa) 0,3% comparado com outro antibiótico em solução oftálmica, o ofloxacino a 0,3%. O objetivo final principal de eficácia foi o índice de sucesso de cura clínica na população no 6o dia ± 1.

O sucesso de cura clínica foi atingido quando os escores para secreção mucopurulenta e eritema conjuntival bulbar foram iguais a 0 = ausente. No estudo com placebo, o índice de sucesso no 6o dia foi 18,6% maior com Gatifloxacino (substância ativa) (40/52) do que com o placebo (28/48) e no estudo com controle ativo o índice de sucesso no 6o dia foi maior com Gatifloxacino (substância ativa) (64/78) do que com ofloxacino (52/69). A cura microbiológica era atingida quando todos os agentes patogênicos acima do limite patológico na amostra colhida por swab conjuntival fossem erradicados.

A cura microbiológica com Gatifloxacino (substância ativa) na população foi evidenciada no 3o dia quando o índice de sucesso foi 39,9% maior do que com placebo. Da mesma forma, no 6o dia, uma proporção estatisticamente significativa 20% maior dos pacientes recebendo Gatifloxacino (substância ativa) atingiram erradicação de todos o patógenos. No estudo com controle ativo a cura microbiológica na população foi obtida no 3o dia tanto com o Gatifloxacino (substância ativa) quanto com o ofloxacino e no 6o dia, os índices de cura foram 83,3% e 85,3%, respectivamente. 

Características farmacológicas

Gatifloxacino (substância ativa) a 0,3% é uma solução oftálmica isotônica, não tamponada, estéril, límpida de coloração amarelo pálido e osmolaridade de 260-330 mOs/lg. Corresponde à 8-metoxi fluoroquinolona, um anti-infeccioso para uso tópico ocular de amplo espectro de atividade anti-infecciosa, sendo ativo in vitro contra microorganismos Gram-positivos e Gram-negativos bem como microorganismos anaeróbios e atípicos. Quimicamente o Gatifloxacino (substância ativa) é denominado (±)-1-ciclopropila-6-fluoro-1,4-diidro-8-metoxi-7-(3-metil-1-piperazinila)-4-oxo-3-ácido quinolona carboxílico sesquiidratado. Sua fórmula molecular é C19H22FN3O4·1,5 H2O e seu peso molecular é 402,42.

O Gatifloxacino (substância ativa) é uma 8-metoxi fluoroquinolona com um substituinte 3-metilpiperazina em C7. A atividade antibacteriana do Gatifloxacino (substância ativa) resulta da inibição da DNA girase e topoisomerase IV. A DNA girase é uma enzima essencial que é envolvida na replicação, transcrição e reparação do DNA bacteriano. A topoisomerase IV é uma enzima conhecida por desempenhar um papel importante na divisão do DNA cromossômico durante a divisão da célula bacteriana.

O mecanismo de ação das fluoroquinolonas, incluindo o Gatifloxacino (substância ativa), é diferente do mecanismo de antibióticos como aminoglicosídeos, macrolídeos e tetraciclinas. Portanto, o Gatifloxacino (substância ativa) pode ser ativo contra agentes patogênicos que são resistentes a esses antibióticos e esses antibióticos podem ser ativos contra agentes patogênicos que são resistentes ao Gatifloxacino (substância ativa). Não existe resistência cruzada entre o Gatifloxacino (substância ativa) e as referidas classes de antibióticos. Foi observada resistência cruzada entre o Gatifloxacino (substância ativa) sistêmico e algumas outras fluoroquinolonas.

A resistência ao Gatifloxacino (substância ativa) in vitro se desenvolve através de um processo de mutação de múltiplas etapas. A resistência ao Gatifloxacino (substância ativa) in vitro ocorre com a frequência geral de 1 X 10-7 a 10-10.

Foi demonstrado que o Gatifloxacino (substância ativa) é ativo contra a maior parte das cepas dos seguintes microorganismos tanto in vitro quanto clinicamente em infecções conjuntivais.

Bactérias Gram-positivas aeróbias

Corynebacterium propinquum*, Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, Streptococcus mitis*, Streptococcus pneumoniae.

Bactérias Gram-negativas aeróbias

Haemophilus influenzae.

(*) A eficácia para estes microorganismos foi estudada em menos de 10 infecções.

A segurança e a eficácia de Gatifloxacino (substância ativa) no tratamento de infecções oculares devidas aos seguintes microorganismos não foram estabelecidas em estudos clínicos adequados e bem controlados. O Gatifloxacino (substância ativa) se mostrou ativo in vitro contra a maioria das cepas desses microorganismos, mas o significado clínico em infecções oculares é desconhecido.

Os seguintes microorganismos são considerados sensíveis quando avaliados utilizando parâmetros sistêmicos. Entretanto, não foi estabelecida uma correlação entre os parâmetros sistêmicos in vitro e a eficácia em infecções oculares. A seguinte relação de microorganismos é fornecida apenas como guia para avaliar o potencial tratamento de infecções conjuntivais.

O Gatifloxacino (substância ativa) apresenta concentrações inibitórias mínimas (CIMs) in vitro de 2μg/ml ou menos (parâmetro sensível sistêmico) contra a maioria (≥ 90%) das cepas dos seguintes agentes patogênicos oculares

Gram-positivos aeróbios

Listeria monocytogenes, Staphylococcus saprophyticus, Streptococcus agalactiae, Streptococcus pyogenes, Streptococcus viridans (grupo), -Streptococcus Grupos C, F, G.

Gram-negativos aeróbios

Acinetobacter lwoffii, Enterobacter aerogenes, Enterobacter cloacae, Escherichia coli, Citrobacter freundii, Citrobacter koseri, Haemophilus parainfluenzae, Klebsiella oxytoca, Klebsiella pneumoniae, Moraxella catarrhalis, Morganella morganii, Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitides, Proteus mirabilis, Proteus vulgaris, Serratia marcescens, Vibrio cholerae, Yersinia enterocolitica.

Microorganismos anaeróbios

Bacteroides fragilis, Clostridium perfringens.

Outros microorganismos

Chlamydia pneumoniae, Legionella pneumophila, Mycobacterium marinum, Mycobacterium fortuitum, Mycoplasma pneumoniae.

Farmacologia animal e in vitro

Os antibacterianos do grupo das quinolonas apresentaram alterações ósseas ou cartilaginosas em animais imaturos após administração sistêmica. Não foram evidenciadas essas alterações após administração ocular de Gatifloxacino (substância ativa) em coelhos ou cães.

Carcinogênese, mutagênese e danos à fertilidade

Não houve aumento na incidência de tumores entre camundongos B6C3F que receberam Gatifloxacino (substância ativa) na dieta durante 18 meses em doses médias de 81 mg/kg/dia para os machos e 90 mg/kg/dia para as fêmeas.

Essas doses são aproximadamente 2.000 vezes maiores do que a dose máxima recomendada para uso oftálmico em humanos, que é de 0,04 mg/kg/dia para um indivíduo de 50 kg. Não houve aumento na incidência de tumores entre ratos Fischer 344 que receberam Gatifloxacino (substância ativa) na dieta durante 2 anos em doses médias de 47 mg/kg/dia em machos e 139 mg/kg/dia em fêmeas (1.000 e 3.000 vezes maiores, respectivamente, do que a dose máxima recomendada para uso oftálmico).

Foi observado nos ratos machos tratados com a dose elevada de 100 mg/kg/dia (2.000 vezes maior do que a dose máxima recomendada para uso oftálmico) aumento estatisticamente significativo da incidência de leucemia linfocítica granular.

Esta neoplasia é comum nesta espécie e a incidência em machos que receberam doses elevadas apenas foi discretamente mais elevada do que a variação histórica de controle estabelecida para esta espécie.

Em testes de toxicidade genética, o Gatifloxacino (substância ativa) foi positivo em 1 de 5 cepas utilizadas nas avaliações de mutação reversa bacteriana (cepa de Salmonella TA102). O Gatifloxacino (substância ativa) foi positivo em uma avaliação in vitro da síntese de DNA não planejada em hepatócitos de ratos, mas não em leucócitos humanos.

O Gatifloxacino (substância ativa) foi negativo em testes micronucleares in vivo em camundongos, testes citogenéticos em ratos, testes de reparação de DNA em ratos. Estes achados podem ser devidos aos efeitos inibitórios de altas concentrações de DNA topoisomerase do tipo II eucariótica.

Não foram observados efeitos adversos sobre a fertilidade ou reprodução em ratos que receberam Gatifloxacino (substância ativa) por via oral em doses até 200 mg/kg/dia (aproximadamente 4.500 vezes maior do que a dose máxima recomendada para uso oftálmico em humanos).

Farmacocinética

O Gatifloxacino (substância ativa) em solução oftálmica a 0,3% ou 0,5% foi administrado a um dos olhos de 6 indivíduos sadios do sexo masculino em um esquema de doses escalonadas, iniciando com uma dose única de 2 gotas, seguida de 2 gotas 4 vezes ao dia durante 7 dias, e, finalmente, 2 gotas 8 vezes ao dia durante 3 dias. Em todos os momentos de avaliação, os níveis séricos de Gatifloxacino (substância ativa) estiveram abaixo do limite inferior de quantificação (5 ng/ml) em todos os indivíduos.

04407.
Zymar, Zymar XD

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.