Flurazepam Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Flurazepam (substância ativa) é indicado no tratamento da insônia a curto prazo.

O Flurazepam (substância ativa) não deve ser administrado a pacientes com hipersensibilidade aos benzodiazepínicos.

O Flurazepam (substância ativa) está contraindicado para:

  • Crianças;
  • Pacientes portadores de miastenia gravis;
  • Insuficiência pulmonar severa e/ou crônica;
  • Síndrome da apnéia do sono;
  • Disfunções hepáticas e renais graves.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento (Categoria X). 

B1 Azul (Venda sob Prescrição Médica - O Abuso deste Medicamento pode causar Dependência)

A dose usual é de 15 a 30 mg antes de deitar (1/2 a 1 comprimido revestido).

Pacientes com mais de 65 anos ou debilitados recomenda-se a dose inicial de 15 mg ao dia (1/2 comprimido revestido).

Recomenda-se adaptar a posologia de acordo com as necessidades de cada paciente.

O tratamento deve ser o mais breve possível.

Geralmente o tratamento varia de alguns dias a 2 semanas, até o máximo de 4 semanas (incluindo o período de retirada); no entanto se o paciente necessitar de tratamento por um período maior que o indicado, o paciente deve ser reavaliado pelo seu médico.

Recomenda-se a ingestão do medicamento dentro do período de 1 hora antes de deitar-se.

É importante orientar o paciente de que o tratamento tem duração limitada e terá a dosagem progressivamente reduzida.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Em doses terapêuticas, o Flurazepam é bem tolerado.

As reações adversas são em geral leves e transitórias como:

  • Sonolência;
  • Vertigens;
  • Cefaleia;
  • Fraqueza muscular;
  • Ataxia;
  • Diplopia.

Outros efeitos indesejados relatados ocasionalmente:

  • Distúrbios gastrintestinais;
  • Alterações da libido;
  • Reações cutâneas;
  • Amnésia.

Nos pacientes idosos ou enfraquecidos podem ocorrer:

  • Estados confusionais;
  • Ataxia.

Têm sido descritos raros casos de excitação paradoxal.

Em casos isolados observaram-se elevações dos valores das provas de função hepática.

Podem ocorrer ainda:

  • Dependência;
  • Reações psiquiátricas.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal. Informar ao fabricante a ocorrência de eventos adversos através do serviço de atendimento ao consumidor.

Se o Flurazepam (substância ativa) for usado concomitantemente com outros medicamentos de ação central tais como:

  • Neurolépticos;
  • Tranquilizantes;
  • Antidepressivos;
  • Hipnóticos;
  • Analgésicos narcóticos;
  • Anestésicos;
  • Anti-histamínicos.

Seu efeito sedativo pode ser intensificado.

No caso de analgésicos narcóticos pode ocorrer aumento da euforia.

Compostos que inibem certas enzimas hepáticas como o citocromo P450, podem intensificar o efeito dos benzodiazepínicos.

Os benzodiazepínicos não são indicados para o tratamento primário de doença psicótica, assim como também não devem ser utilizados isoladamente no tratamento da depressão ou ansiedade associada à depressão devido ao risco de suicídio.

Os benzodiazepínicos devem ser utilizados com extrema cautela em pacientes com história de uso de drogas e álcool.

Os benzodiazepínicos podem induzir amnésia anterógrada que ocorre geralmente 1-2 horas após a ingestão do medicamento, podendo durar muitas horas.

Com o intuito de reduzir o risco de amnésia o paciente deve certificar-se de que não será perturbado durante 7-8 horas de sono.

Reações paradoxais como inquietude, agitação, irritabilidade, agressividade, delírio, pesadelos, alucinações, psicoses, comportamento inapropriado são passíveis de ocorrer com o uso de benzodiazepínicos. Caso isto ocorra, o tratamento deve ser descontinuado.

Estas reações são mais comuns em idosos.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Uso durante a gravidez e lactação

Não administrar durante os três primeiros meses da gravidez, ou a mulheres com risco de engravidar, pois como ocorre com outros benzodiazepínicos, não existem dados de segurança suficientes neste grupo.

Como os benzodiazepínicos são encontrados no leite materno, Flurazepam (substância ativa) não deve ser administrado a lactantes.

Como o metabólito ativo N-desalquilflurazepam atravessa a barreira placentária podem-se detectar concentrações ativas no sangue do feto.

Crianças nascidas de mães que usaram benzodiazepínicos cronicamente no último trimestre de gestação podem desenvolver dependência física e apresentar síndrome de abstinência no período pós-natal.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento (Categoria X).

Dependência

Pode ocorrer dependência física e psíquica quando da terapia com benzodiazepínicos.

O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, alterações de personalidade ou outros distúrbios psiquiátricos graves.

No sentido de minimizar o risco de dependência, os benzodiazepínicos só devem ser prescritos após cuidadosa avaliação quanto a indicação e devem ser administrados por período de tempo o mais curto possível.

A duração prolongada do tratamento só se justifica após avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios.

Abstinência

Quando ocorre dependência física, a interrupção súbita do tratamento pode acompanhar-se de sintomas.

O início dos sintomas de abstinência é variável, durando poucas horas a uma semana ou mais.

Nos casos menos graves, a sintomatologia da abstinência pode restringir-se a tremor, agitação, insônia, ansiedade, cefaléia e dificuldade para concentrar-se. Entretanto, em casos mais graves podem ocorrer sudorese, fotofobia, hiperacusia, alucinações, insônia acentuada, espasmos musculares, alterações na percepção e, mais raramente delirium e convulsões.

Na ocorrência de sintomas de abstinência, é necessário um acompanhamento médico e apoio para o paciente.

A interrupção abrupta deve ser evitada e deve-se adotar um esquema de retirada gradual.

Resultados de eficácia

Propriedades e efeitos

Flurazepam inibe, em animais, a resposta tensional devido à estimulação elétrica do hipotálamo e eleva o limiar da excitação.

No homem, o Flurazepam (substância ativa) prolonga a duração do sono, diminui o tempo de adormecimento assim como a frequência de despertares noturno.

Dose oral de 30 mg de Flurazepam (substância ativa) quase não diminui a fase do sono REM.

Após interrupção do tratamento não se tem observado efeito rebote da fase de sono REM.

Tem-se observado, em compensação, uma diminuição do estágio IV do sono.

Estudos em laboratório do sono com duração de um mês não demonstraram, mesmo nos casos de administração contínua do Flurazepam (substância ativa), diminuição de sua eficácia.

Apesar das diferenças nas populações, nos desenhos experimentais e nos métodos de avaliação, 17 relatórios publicados mostram que a dose de 30mg de Flurazepam (substância ativa) tem efeito hipnótico maior em relação ao placebo.

A diferença droga-placebo é substancial e persiste por 28 noites consecutivas de tratamento, existindo boa correlação entre os relatos subjetivos da eficácia da droga e as alterações do EEG.

Características farmacológicas

Farmacocinética

Metabolismo

O Flurazepam (substância ativa) é rápido e quase totalmente absorvido ao nível do trato gastrintestinal sendo rapidamente metabolizado.

Seus metabólitos são eliminados principalmente pela urina.

Distribuição/excreção

Após administração da dose oral de 30 mg de Flurazepam (substância ativa) só se encontra no soro traços de substância inalterada.

O metabólito ativo, hidroxietilFlurazepam (substância ativa), só é encontrado durante poucas horas após a administração.

Sua meia-vida de eliminação é de aproximadamente uma hora e o seu volume de distribuição de 1,4 litros/kg.

O outro metabólito ativo, N-desalquilFlurazepam (substância ativa), apresenta meia-vida de eliminação de 40-100 horas sendo seu volume de distribuição de 0,41 litros/kg.

Quanto maior a idade do indivíduo, maior será o tempo de eliminação da substância.

Em casos de administração diária contínua durante 7 a 10 dias obtém-se uma curva em “plateau” (steady-state) cujo nível é aproximadamente cinco vezes mais elevado do que o da concentração obtida 24 horas após uma administração isolada.

Como ocorre com qualquer substância psicoativa, o efeito do Flurazepam pode ser intensificado pelo álcool.

04206.
Dalmadorm

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.