Esmeron Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Indicação

Para que serve?

Adjuvante à anestesia geral para facilitar a intubação endotraqueal e para relaxar a musculatura esquelética durante as intervenções cirúrgicas.

Contraindicações

Quando não devo usar?

É contraindicado a pacientes que tenham manifestado alergia ao rocurônio ou ao íon brometo.

Posologia

Como usar?

Assim como outros agentes bloqueadores neuromusculares, a dose de Esmeron deve ser individualizada para cada paciente. Para definir a dose, deve-se levar em consideração o tipo de anestesia utilizada, a duração prevista da cirurgia, a possível interação com outros medicamentos administrados antes e/ou durante a anestesia e o estado do paciente. Recomenda-se o emprego de uma técnica adequada para controlar o bloqueio neuromuscular e sua recuperação. Os anestésicos inalatórios potencializam o efeito do bloqueio neuromuscular de Esmeron. No entanto, esta potencialização torna-se clinicamente relevante durante a anestesia quando os agentes voláteis alcançam as concentrações tissulares requeridas para a referida interação. Conseqüentemente, durante procedimentos mais prolongados (tempo superior a 1 hora) sob anestesia inalatória (vide Interações medicamentosas e outras formas de interação), os ajustes de dose de Esmeron devem ser feitos pela administração de doses menores em intervalos menos freqüentes ou pelo uso de doses de infusão mais baixas de Esmeron. As doses apresentadas a seguir podem servir de diretriz para intubação endotraqueal e relaxamento muscular em procedimentos cirúrgicos de curta a longa duração em adultos. Intubação endotraqueal: a dose brometo de rocurônio para intubação é de 0,6 mg/kg de peso corporal. Dose de manutenção: a dose de brometo de rocurônio recomendada para manutenção é de 0,15 mg/kg de peso corporal. Em caso de anestesia inalatória de longa duração, a dose de brometo de rocurônio deve ser reduzida para 0,075 - 0,1 mg/kg de peso corporal. As doses de manutenção devem ser administradas preferencialmente quando a transmissão neuromuscular tenha se recuperado em 25%. Infusão contínua: caso Esmeron seja administrado por infusão contínua, a dose inicial recomendada é de 0,6 mg/kg de peso corporal de brometo de rocurônio, iniciando-se a administração por infusão após o início da recuperação do bloqueio neuromuscular. A taxa de infusão deve ser ajustada de modo a manter uma resposta da transmissão neuromuscular de 10%. Em adultos sob anestesia intravenosa, a taxa de infusão requerida para manter o bloqueio neuromuscular a este nível está entre 5 - 10 mg/kg/min, e sob anestesia inalatória a taxa de infusão varia entre 5 - 6 mg/kg/min. É essencial o controle contínuo do bloqueio neuromuscular, uma vez que os requisitos da taxa de infusão variam de um paciente para outro e com o tipo de anestesia utilizada. Doses na pediatria: crianças (1 - 14 anos) e lactentes (1 - 12 meses) sob anestesia com halotano apresentam sensibilidade a Esmeron semelhante a dos adultos. O início de ação é mais rápido em lactentes e crianças do que em adultos. A duração clínica é mais curta em crianças do que em adultos. Até o momento não há dados disponíveis para sustentar o uso de Esmeron em neonatos (0 - 1 mês). Doses em pacientes geriátricos e pacientes com alterações hepáticas e/ou das vias biliares e/ou insuficiência renal: a dose para intubação de pacientes geriátricos e pacientes com alterações hepáticas e/ou das vias biliares e/ou insuficiência renal é de 0,6 mg/kg de peso corporal de brometo de rocurônio. Independentemente da técnica anestésica aplicada, recomenda-se para tais pacientes uma dose de manutenção de brometo de rocurônio de 0,075 - 0,1 mg/kg de peso corporal, com uma velocidade de infusão de 5 - 6 mg/kg/min (vide Infusão contínua). Doses em pacientes obesos e com excesso de peso: ao utilizar Esmeron em pacientes com excesso de peso ou obesos (definidos como pacientes com peso corporal superior a 30% ou mais em relação ao peso corporal ideal), as doses devem ser reduzidas em função do peso corporal ideal. Administração: uma vez que Esmeron não contém conservantes, os frascos devem ser abertos imediatamente antes da administração. Esmeron deve ser administrado por via intravenosa, tanto por injeção em bolo quanto por infusão contínua. Em estudos de compatibilidade, Esmeron, em concentrações nominais de 0,5 mg/ml e 2,0 mg/ml, demonstrou ser compatível com as seguintes soluções de infusão: NaCl a 0,9%; glicose a 5%; soro glicofisiológico (glicose a 5% em soro fisiológico); água para injeção; solução de Ringer lactato; Haemacel. A administração deve ser feita imediatamente após a mistura, devendo se completar dentro das 24 horas seguintes. As soluções não utilizadas devem ser descartadas. Esmeron pode ser injetado em uma linha de infusão contínua contendo soluções intravenosas dos seguintes fármacos: adrenalina, alcurônio, alfentanil, aminofilina, atracúrio, atropina, ceftazidima, cefuroxima, cimetidina, clemastina, clindamicina, clometiazol, clonazepam, clonidina, danaparóide, dobutamina, dopamina, deidrobenzoperidol, efedrina, ergometrina, esmolol, etomidato, fentanil, flucitosina, galamina, gentamicina, glicose a 40%, brometo de glicopirrônio, heparina, isoprenalina, cetamina, labetalol, lidocaína, manitol a 20%, metoclopramida, metoprolol, metronidazol, midazolam, milrinona, morfina, nifedipina, nimodipina, nitroglicerina, noradrenalina, oxitocina, pancurônio, petidina, pipecurônio, cloreto de potássio, prometazina, propranolol, propofol, ranitidina, salbutamol, carbonato de sódio, nitroprussiato, sulfentanil, succinilcolina, vecurônio e verapamil, assim como Geloplasma e Thalamonal. Foi documentada incompatibilidade física de Esmeron quando adicionado a soluções que contêm os seguintes fármacos: anfotericina, amoxicilina, azatioprina, cefazolina, cloxacilina, dexametasona, diazepam, enoximona, eritromicina, famotidina, furosemida, succinato sódico de hidrocortisona, insulina, meto-hexital, metilprednisolona, succinato sódico de prednisolona, tiopental, trimetoprim e vancomicina. Esmeron é incompatível com Intralipídeo.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Foram relatadas reações anafiláticas a agentes bloqueadores neuromusculares em geral. Embora estas tenham sido observadas muito raramente com Esmeron, sempre devem ser tomadas precauções para o tratamento de tais reações, caso elas ocorram. Em particular no caso de reações anafiláticas anteriores a agentes bloqueadores neuromusculares, deve-se ter cuidado especial, pois foram relatados casos de reações alérgicas cruzadas entre agentes bloqueadores neuromusculares. Liberação de histamina e reações histaminóides: uma vez que os agentes bloqueadores neuromusculares são sabidamente capazes de induzir a liberação de histamina, tanto local quanto sistemicamente, a possibilidade de ocorrência de reações pruriginosas e eritematosas no local da injeção e/ou reações histamínicas (anafilóides) generalizadas, tais como, broncospasmo e alterações cardiovasculares, deve ser sempre levada em consideração quando se administra tais drogas. Embora tenham sido observados pequenos aumentos nos níveis plasmáticos médios de histamina após a administração rápida em bolo de doses de 0,3 a 0,9 mg de brometo de rocurônio por kg de peso, não foram relatados taquicardia, hipotensão ou outros sinais clínicos significativos de liberação de histamina associados à administração de Esmeron.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Em caso de superdosagem e prolongamento do bloqueio neuromuscular, o paciente deve continuar a receber suporte ventilatório e deve-se administrar um inibidor da acetilcolinesterase (por ex., neostigmina, edofrônio, piridostigmina) em doses adequadas, até que se inicie a recuperação espontânea. Quando a administração de agentes inibidores da acetilcolinesterase não reverter os efeitos neuromusculares de Esmeron, deve-se continuar com a ventilação até que a respiração espontânea seja restaurada. A administração de doses repetidas de inibidores da acetilcolinesterase pode ser perigosa.

Composição

Cada ml contém: brometo de rocurônio 10 mg;veículo q.s.p. 1 ml. Veículo: acetato de sódio, cloreto de sódio, ácido acético e água para injeção.

Apresentação

50 mg: embalagens com 12 frascos-ampola de 5 ml (10 mg/ml); 100 mg: embalagens com 10 frascos-ampola de 10 mg (100 mg/ml).

Laboratório

Akzo Nobel Ltda.

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.