Embonato de Pirvínio Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Este medicamento é indicado no tratamento da enterobíase (oxiuríase).

Em casos de hipersensibilidade ao embonato de pirvínio ou qualquer componente da fórmula.

Isento de Prescrição Médica

Adultos

A posologia recomendada para adultos é um comprimido para cada 10 kg de peso corpóreo ou 1 mL da suspensão por quilo de peso corpóreo.

Para adultos, a dose máxima não deve exceder a 600 mg (6 comprimidos ou 60 mL da suspensão) de embonato de pirvínio, independente do peso corpóreo. 

Crianças:

A posologia recomendada para crianças é 1 mL da suspensão por quilo de peso corpóreo. 
A dose deve ser administrada em tomada única. 
A dose deverá ser repetida 2 a 3 semanas após a primeira administração do medicamento. 


Agite bem o frasco suspensão antes da administração. 

Quando a quantidade total suspensão oral não for utilizada na primeira administração, o restante pode ser guardado ao abrigo do calor excessivo, protegido da luz e utilizado na próxima tomada. 

 

Este medicamento é bem tolerado, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais. Geralmente, os efeitos adversos são leves e transitórios, podendo ocasionalmente ocorrer náusea, vômito, cólica gastrointestinal e diarreia. 

Raras vezes foram relatados casos de reações de hipersensibilidade e foto sensibilidade de curta duração. 

Devido à característica específica do embonato de pirvínio, a administração do fármaco causa coloração vermelha das fezes, não tendo significância clínica.

Estimulantes da motilidade gastrointestinal, laxativos, catárticos e emolientes: 

O uso concomitante pode diminuir o tempo de permanência do embonato de pirvínio no organismo e interferir com a ação antiparasitária do fármaco. 

A presença de sacarose na formulação da suspensão deve ser considerada na administração do medicamento a pacientes diabéticos. Não é necessária a administração de laxativos antes ou após a utilização. Diagnósticos clínicos e laboratoriais específicos devem ser realizados para a identificação do parasita e consequente escolha correta do fármaco para uma terapêutica eficaz. 
Recomenda-se a monitorização do paciente através de exame parasitológico, após a administração da segunda dosagem do medicamento para verificar a erradicação dos parasitas. Deve ser utilizado com cautela em pacientes com doenças intestinais inflamatórias, trânsito gastrointestinal acelerado e diarreia. 

Uso na gravidez

Devido à baixa absorção pelo trato gastrointestinal, o embonato de pirvínio poderá ser administrado durante a gestação e lactação sob orientação e acompanhamento médico.

O embonato de pirvínio é um derivado de fenilpirroletenilquinolínio. Apresenta ação anti-helmíntica por impedir a utilização de carboidratos exógenos pelos parasitas, assim com o esgotamento das reservas endógenas dessas substâncias os helmintos são levados à morte.

O embonato de pirvínio apresenta absorção insignificante pelo trato gastrointestinal, permanecendo por período prolongado em contato com os parasitas intestinais. É eliminado pelas fezes na forma inalterada. A presença de alimentos não interfere com a ação terapêutica do embonato de pirvínio. Na enterobíase ou oxiuríase, parasitose causada pelo Enterobius vermicularis, os vermes adultos comumente vivem na região cecal e imediações do intestino (íleo-cecal). Em casos de ectopia parasitária, as fêmeas podem ser encontradas na vagina, útero e bexiga. 

Os sintomas são caracterizados por dores abdominais, náuseas, flatulência e diarreia sendo o mais comum o prurido anal, por vezes intenso e irritante provocado pela presença do parasita na região anal, perianal e, ocasionalmente, na vulva.

Pyr-Pam Suspensão, Pyverm

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.