Digoxina Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Indicação

Para que serve?

A Digoxina é indicada no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva, e de certas arritmias cardíacas.

Posologia

Como usar?

A dose de Digoxina deve ser ajustada individualmente por paciente, de acordo com a idade, peso corporal e função renal.

O elixir pediátrico não deve ser diluído.

Adultos e crianças com mais de 10 anos:

  • Dose de ataque 750 a 1500 µg (0,75 a 1,5 mg) como dose única.
  • Dose de ataque lento 250 a 750 µg (0,25 a 0,75 mg) pode ser administrada diariamente por 1 semana seguida da dose de manutenção apropriada.

A dose de manutenção deve ser determinda pelo médico. Maior parte das pessoas terá doses de manutenção diárias entre 125 e 150 µg (0,125 – 0,75 mg) de digoxina, entretanto para aqueles que demonstrarem aumento da sensibilidade aos eventos adversos da digoxina, a dose diária de 62,5 µg (0,0625 mg) ou menor pode ser suficiente.

Neonatos e crianças menores de 10 anos:

Caso os glicosídeos cardíacos tenham sido administrados em até 2 semanas antes do início da terapia com digoxina, pode ser antecipado que a dose de ataque ótima de digoxina será inferior à recomendada.

Em recém-nascidos, particularmente em crianças prematuras, o clearance renal de digoxina é inferior, e reduções ainda maiores nas doses recomendadas devem ser consideradas.

Por outro lado, no período imediato após o nascimento, o bebê geralmente requer doses proporcionalmente mais altas que as calculadas para adultos, baseando-se na área de superfície corporal, como indicado na tabela:

Neonatos prematuros 1,5 kg25 µg/kg em 24 horas
Neonatos prematuros 1,5 kg a 2,5 kg30 µg/kg em 24 horas
Neonatos termos até 2 anos45 µg/kg em 24 horas
2 a 5 anos35 µg/kg em 24 horas
5 a 10 anos25 µg/kg em 24 horas

A dose de ataque deve ser administrada em doses divididas com aproximadamente metade da dose total na primeira tomada e depois em frações do total das doses administradas no intervalo de 4 a 8 horas, avaliando-se a resposta clínica antes da administração de cada dose adicional.

A dose de manutenção deve ser administrada da seguinte forma:

  • Neonatos prematuros: Dose diária = 20% da dose de ataque de 24 horas
  • Neonatos termos e crianças até 10 anos: Dose diária = 25% da dose de ataque de 24 horas.

Os níveis de digoxina sérica devem ser checados regularmente para evitar hipocalemia.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso de Digoxina são desorientação, vertigem, problemas na visão, mudanças na frequência cardíaca ou batimento cardíaco, desconforto, diarréia, vermelhidão e coceira na pele.

Embora seja raro, também pode ocorrer depressão, diminuição da contagem de plaquetas, perda de contato com a realidade, alucinações, desequilíbrio emocional, dor no estômago grave, perda de apetite, dor de cabeça, cansaço, fraqueza, alterações graves no músculo cardíaco e crescimento das mamas em homens, após tratamento de longa duração.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Este remédio não deve ser usado em pessoas que tenham alergia à Digoxina ou a outros glicosídeos, ou a algum dos componentes da formulação.

Além disso, também não deve ser usado em grávidas, lactantes, pessoas com presença de bloqueio átrio-ventricular completo ou intermitente, ou outros tipos de arritmias cardíacas.

Em casos de cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica, a menos que haja fibrilação atrial e insuficiência cardíaca concomitantes, mas, mesmo neste caso, deve-se tomar cuidado caso a Digoxina.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Antes de usar este medicamento, deve-se avisar o médico caso a pessoa tenha histórico de problemas nos rins, seja idosa, esteja usando diurético ou inibidores da ECA, tenha um nível de cálcio alterado no sangue, doença na tireóide, níveis de magnésio baixos no sangue, doença no pulmão, falta de ar, problemas no intestino ou no estômago, historia de infarte.

Pacientes que estão usando digoxina devem ter cuidado ao dirigir, operar máquinas ou participar de atividades perigosas.

O uso de Digoxina pode alterar o resultado do eletrocardiograma, portanto ao fazer este exame deve-se avisar o técnico.

Não se deve usar nenhum medicamento junto com Digoxina sem orientação médica.

Mecanismo de Ação

Como funciona?

A digoxina pertence a um grupo de medicamentos chamados glicosídeos cardíacos.

Estes medicamentos aumentam a força de contração do músculo cardíaco, sendo assim usados para tratar certos problemas no coração, como insuficiência cardíaca e irregularidades no ritmo do batimento do coração.

Composição

Cada comprimido de Digoxina contém:

Digoxina___________________________________0,25 mg

Excipientes_________________________qsp 1 comprimido

(Excipientes: lactose, amido de milho, amido de arroz e estearato de magnésio)

Cada 1mL do elixir pediátrico de Digoxina contém:

Digoxina___________________________________0,50 mg

Veículo____________________________________qsp 1 mL

(Veículo: fosfato de sódio anidro, ácido cítrico monohidratado, metilparabeno, açúcar, corante amarelo de quinoleína, aroma de lima, propilenoglicol, álcool etílico e água purificada)

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

A maioria das manifestações de toxicidade em crianças ocorrem durante ou logo após a administração da dose de ataque com Digoxina.

A superdosagem com Digoxina pode ser fatal.

A primeira e mais frequente manifestação de superdosagem da Digoxina em adultos e crianças é o aparecimento de arritmias cardíacas. Outros sintomas muito comuns incluem redução no apetite, náusea e vômito, fadiga, mal-estar, distúrbios visuais, dor abdominal, sonolência e distúrbios comportamentais.

Em caso de overdose ou suspeita de overdose deve-se procurar socorro médico imediatamente.

Laboratório

GlaxoSmithKline Brasil Lda.

- SAC: 0800 701 2233

Dizeres Legais:

MS: 1.0107.0200. | Farm. Resp.: Milton de Oliveira CRF-RJ: 5522 SAC: 0800 701 22 33

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.