Danazol Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Este medicamento é destinado ao:

  • Tratamento da endometriose, como terapia isolada ou em associação a medidas cirúrgicas.
  • Tratamento da mastalgia cíclica grave (displasia mamária benigna, doença fibrocística da mama), com ou sem nódulos, resistente a analgésicos simples.
  • Tratamento da mastite cística crônica (cistos benignos múltiplos ou recorrentes), permitindo redução da necessidade da aspiração cirúrgica.
  • E como medida prévia à ablação endometrial histeroscópica a fim de reduzir o endométrio e facilitar a cirurgia.

Gravidez, amamentação, insuficiência hepática, renal ou cardíaca graves; porfiria; tumor androgênio-dependente; sangramento vaginal anormal ainda não diagnosticado, trombose ativa ou doença tromboembólica, histórico de ambos eventos e uso concomitante com sinvastatina.

Este medicamento é contraindicado para uso por pessoas que sofrem de insuficiência hepática, renal ou cardíaca grave.

Categoria de risco na gravidez: X. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.​

Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)

Recomenda-se administrar Danazol (substância ativa) logo após as principais refeições. Danazol (substância ativa) deve ser administrado com líquido, por via oral.

A dose deve ser ajustada de acordo com a resposta de cada paciente, e pode ser reduzida ao se alcançar resposta favorável.

Em mulheres em idade fértil, o tratamento deve ser iniciado durante a menstruação a fim de afastar possibilidade de gravidez. Manter método contraceptivo não-hormonal durante o tratamento com Danazol (substância ativa).

Endometriose

A dose recomendada é de 200 a 800 mg diários. Um método de tratamento contínuo normalmente tem a duração de 3 a 6 meses.

Doença fibrocística benigna da mama

A dose recomendada é de 100 a 400 mg diários. Um método de tratamento contínuo normalmente tem a duração de 3 a 6 meses.

Preparação para ablação histeroscópica do endométrio

400 a 800 mg diários, por 3 a 6 semanas.

Não há estudos dos efeitos de Danazol (substância ativa) administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral.

Posologia para Populações especiais

Danazol (substância ativa) não é recomendado para crianças e idosos.

Pacientes em tratamento de epilepsia, diabetes ou hipertensão podem ter necessidade de ajuste das doses dos seus medicamentos, ao iniciar ou suspender o uso de Danazol (substância ativa).

Este medicamento não deve ser aberto ou mastigado.

Na maioria dos casos, os efeitos colaterais com Danazol (substância ativa) são previsíveis e reversíveis, e reações sérias são raras. Os eventos citados a seguir foram associados ao Danazol (substância ativa), mas nem sempre uma relação causal foi efetivamente estabelecida.

Quando aplicável, as seguintes taxas de frequência do Conselho para Organizações Internacionais de Ciências Médicas (CIOMS) são utilizadas:

  • Reação muito comum (≥ 10%);
  • Reação comum (≥ 1 e < 10%);
  • Reação incomum (≥ 0,1 e < 1%);
  • Reação rara (≥ 0,01 e < 0,1%);
  • Reação muito rara < 0,01%;
  • Reação desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis).

Distúrbios do sistema sanguíneo e linfático

Raros

Policitemia, trombocitopenia e leucopenia.

Muito raros

Eosinofilia e peliose esplênica.

Distúrbios do metabolismo e nutricional

Resistência à insulina aumentada e tolerância anormal à glicose.

Comum

Aumento do apetite.

Raro

Retenção hídrica.

Distúrbios psiquiátricos

Comuns

Labilidade emocional, ansiedade, ânimo deprimido, nervosismo, alteração da libido.

Distúrbios do sistema nervoso

Comuns

Cefaleia, tremores musculares, fasciculação.

Raros

Tontura, hipertensão intracraniana benigna.

Muito raros

Piora da epilepsia, aparecimento de enxaqueca, síndrome do túnel do carpo.

Distúrbios oftálmicos

Raros

Distúrbios visuais como visão borrada, dificuldades na acomodação visual, dificuldades em usar lentes de contato e alteração da refração necessitando correção.

Distúrbios do ouvido e labirinto

Raro

Vertigem.

Distúrbios cardíacos

Raros

Palpitação, taquicardia. Casos de infarto do miocárdio foram relatados.

Distúrbios vasculares

Comum

Rubor.

Raro

Hipertensão.

Eventos trombóticos também foram relatados incluindo do seio sagital, trombose cerebrovascular, assim como trombose arterial.

Distúrbios respiratório, torácico e mediastinal

Comum

Alteração da voz.

Muito raros

Pneumonite intersticial, dor pleurática.

Distúrbios gastrointestinal

Comum

Náusea.

Raro

Pancreatite.

Muito raro

Dor epigástrica.

Distúrbios hepatobiliares

Raros

Icterícia colestática, adenomas hepáticos benignos.

Muito raros

Tumor hepático maligno e peliose hepática observados no tratamento prolongado.

Desconhecidos

Lesão hepatocelular, insuficiência hepática, icterícia hepatocelular, hiperplasia nodular focal hepatocelular.

Distúrbios da pele e tecido subcutâneo

Comuns

Erupções que podem ser maculopapulares, petequiais ou purpúricas e podem ser acompanhadas de febre. Também tem sido reportados edema facial e fotossensibilidade. Acne, seborreia, hirsutismo e perda de cabelo.

Incomum

Urticária.

Muito raros

Nódulos eritematosos inflamatórios, alterações da pigmentação cutânea, dermatite esfoliativa e eritema multiforme.

Distúrbios musculo esquelético e no tecido conjuntivo

Comuns

Dor lombar, cãibras às vezes com aumento dos níveis de CPK, dor nos membros, dor e edema articular.

Distúrbios renal e urinário

Muito raro

Hematúria com o tratamento prolongado de angioedema hereditário.

Distúrbio do sistema reprodutivo e das mamas

Comuns

Alterações do ciclo menstrual, sangramento intermenstrual, amenorreia, secura vaginal, irritação vaginal.

Incomum

Redução do tamanho das mamas.

Raro

Hipertrofia do clitóris.

Muito raro

Redução na espermatogênese.

Distúrbios gerais

Raro

Fadiga.

Laboratorial

Foram relatados aumento do nível plasmático do glucagon, aumento do colesterol LDL, redução do colesterol HDL afetando todas as sub-frações e redução das apolipoproteínas Al e All. Outros eventos metabólicos incluem indução de ALA sintetase e redução da globulina ligada à tireoide e T4 com aumento da recaptação de T3, mas sem alteração do TSH ou do índice de tiroxina livre.

Comum

Ganho de peso.

Incomum

Aumento discreto dos níveis séricos das transaminases.

Raro

Aumento do número de células vermelhas e plaquetas.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Diminuição dos glóbulos brancos, diminuição do número de plaquetas do sangue (anemia), depressão, tontura.

Medicamento-medicamento

Tratamento anticonvulsivante:

Danazol (substância ativa) pode aumentar os níveis plasmáticos de carbamazepina e alterar a resposta a esse medicamento e à fenitoína. A interação similar com fenobarbital é provável.

Tratamento antidiabético:

Danazol (substância ativa) pode provocar resistência à insulina.

Tratamento com anticoagulantes orais:

Danazol (substância ativa) pode potencializar a ação da varfarina.

Tratamento anti-hipertensivo:

Danazol (substância ativa) pode reduzir a eficácia de medicamentos anti-hipertensivos.

Ciclosporina e tacrolimo:

Podem ter seus níveis plasmáticos aumentados pelo Danazol (substância ativa), levando a um aumento da toxicidade renal desses fármacos.

Tratamento com esteroides concomitantes:

Danazol (substância ativa) provavelmente provoca interações com esteroides gonadais.

Alfacalcidol:

Danazol (substância ativa) pode aumentar a resposta calcêmica ao alfacalcidol em pacientes com hipoparatireoidismo primário.

Estatinas:

O risco de miopatia e rabdomiólise é aumentado pela administração concomitante de Danazol (substância ativa) com estatinas metabolizadas pela CYP3A4. É contraindicada a administração de Danazol (substância ativa) com sinvastatina.

Medicamento-exame laboratorial

O tratamento com Danazol (substância ativa) pode interferir com a dosagem de testosterona ou proteínas plasmáticas.

Considerando sua farmacologia, suas interações e seus reações adversas conhecidas, Danazol (substância ativa) deve ser utilizado com cuidado em caso de doença renal ou hepática, hipertensão e doenças cardiovasculares, qualquer situação que pode ser exacerbada pela retenção de líquidos, diabetes mellitus, policitemia, epilepsia, distúrbios das lipoproteínas, história de reação androgênica intensa ou persistente sob tratamento com esteróides gonadais, enxaqueca.

Aconselha-se controle clínico cuidadoso em todas as pacientes.

Para tratamentos prolongados (mais de 6 meses) ou conduta repetida do tratamento, é recomendada ultrassonografia hepática bianual.

A monitorização laboratorial também deve ser considerada, incluindo a medição periódica da função hepática e situação hematológica.

Antes do início do tratamento, a presença de carcinoma hormônio-dependente deve ser excluída ao menos por exame clínico cuidadoso assim como se nódulos mamários persistirem ou aumentarem durante o tratamento com Danazol (substância ativa).

O Danazol (substância ativa) deve ser iniciado durante a menstruação. Deve ser usado um método contraceptivo não-hormonal eficaz.

A diminuição da dose efetiva de Danazol (substância ativa) deve ser sempre almejada.

Gravidez: uma vez que o Danazol (substância ativa) está contraindicado na gravidez em decorrência de risco de virilização do feto feminino, medidas adequadas devem ser tomadas em mulheres em idade fértil para excluir a possibilidade de gravidez no início do tratamento.

O Danazol (substância ativa) deve ser iniciado durante a menstruação.

Deve ser usado método contraceptivo não-hormonal eficaz. Se ocorrer gravidez durante o tratamento, este deve ser suspenso.

Lactação

Danazol (substância ativa) tem risco teórico potencial de efeito androgênico nos lactentes e portanto o tratamento ou a amamentação devem ser suspensos.

Pacientes idosos

Danazol (substância ativa) não está recomendado para uso em pessoas idosas.

Pacientes pediátricos

Danazol (substância ativa) não é recomendado para crianças.

Alterações na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

Danazol (substância ativa) improvavelmente afeta a habilidade de dirigir ou operar máquinas

Este medicamento causa malformação ao bebê durante a gravidez.

Este medicamento pode causar doping.​

Advertências

O Danazol (substância ativa) deve ser interrompido na eventualidade de qualquer reação adversa clinicamente significativa, particularmente em caso de: virilização (a não interrupção do tratamento com Danazol (substância ativa) aumenta os riscos de irreversibilidade dos efeitos androgênicos), edema papilar, cefaléia, distúrbios visuais ou outros sinais ou sintomas de pressão intracraniana aumentada, icterícia ou qualquer indicação de distúrbio hepático importante; trombose ou tromboembolismo.

A experiência com administração a longo prazo de Danazol (substância ativa) é limitada. Em caso de necessidade de repetir o tratamento, agir com precaução. Os riscos de exposição prolongada a esteroides 17-alquilados, incluindo adenomas hepáticos benignos, hiperplasia nodular focal hepatocelular, peliose hepática e carcinoma hepático devem ser considerados ao se utilizar o Danazol (substância ativa) (que é quimicamente relacionado àqueles esteroides).

Dados de dois casos-controles de estudos epidemiológicos foram agrupados para pesquisar a relação entre endometriose, tratamento de endometriose e câncer de ovário. Resultados preliminares sugerem que o uso de Danazol (substância ativa) pode aumentar o risco basal de câncer ovariano em pacientes tratadas de endometriose.

Resultados de Eficácia

A eficácia clínica de Danazol (substância ativa) em endometriose pode ser comprovada em um estudo (Morgante G et al, 1999) no qual 28 pacientes portadoras de endometriose moderada a severa foram submetidas a tratamento com o Danazol (substância ativa). Essas pacientes foram divididas em 2 grupos e apenas um grupo foi submetido a uso do Danazol (substância ativa) por 6 meses, sendo observado nesse grupo uma redução dos eventos de dor pélvica com poucos ou nenhum efeito colateral.

Outro estudo de Danazol (substância ativa) (Audebert AJ et al, 1979) comprova também sua eficácia: no estudo em questão foram incluídas 62 pacientes inférteis por endometriose diagnosticada por laparoscopia, sendo que 39 pacientes foram tratadas com laparoscopia cirúrgica e com Danazol (substância ativa) (pelo motivo de sua severidade de endometriose) e as outras somente com Danazol (substância ativa). Comprova-se a eficácia com um índice de gravidez de 46,7% nesse grupo como um todo.

Com relação à eficácia de Danazol (substância ativa) em pacientes com doenças benignas da mama, por exemplo mastalgia, foi demonstrado em um estudo (Ortiz-Mendoza CM et al, 2004) com 63 mulheres portadoras de mastalgia moderada a severa que, após o uso de Danazol (substância ativa), 71,4% das pacientes não apresentaram qualquer evidência da mastalgia, mesmo sendo essas as que apresentam os piores quadros.

Após esse período de tratamento, 71,4% das pacientes relataram que a mastalgia estava controlada. Um outro estudo (Maddox PR et al, 1989), demonstrou que Danazol (substância ativa) é eficaz no controle da mastalgia severa persistente. Nesse estudo, envolvendo 34 mulheres, foi administrado Danazol (substância ativa) somente na fase lútea das pacientes. Mostrouse que, além da eficácia, baixas doses do Danazol (substância ativa) apresentam também baixos efeitos colaterais.

Características Farmacológicas

Danazol (substância ativa) (Danazol (substância ativa)) é o 17-alfa-pregna-2,4-dien-20-ino-(2,3-d)-isoxazol-17-ol, um derivado esteroide sintético da etisterona.

Farmacodinâmica

As principais propriedades farmacológicas do Danazol (substância ativa) são as seguintes:

Afinidade relativamente intensa quanto aos receptores androgênicos, afinidade menos marcante quanto aos receptores progestogênicos e baixa afinidade em relação aos receptores estrogênicos. O Danazol (substância ativa) é um androgênico fraco, mas pode também exercer ações antiandrogênicas, progestogênicas, anti-progestogênicas, estrogênicas e antiestrogênicas.

O Danazol (substância ativa) exerce efeito supressivo sobre o eixo hipotálamo-hipofisário- gonadal, possivelmente interferindo com a síntese de esteroides gonadais através da inibição de enzimas envolvidas na esteroidogênese. O Danazol (substância ativa) pode também inibir o acúmulo de AMP-cíclico promovido por hormônios gonadotróficos nas células granulosas e lúteas. Os efeitos do Danazol (substância ativa) são reversíveis, e a atividade cíclica em geral reaparece cerca de 60 a 90 dias após a suspensão do tratamento. O Danazol (substância ativa) inibe os picos de FSH e LH característicos da parte média do ciclo menstrual, e reduz a natureza pulsátil da liberação de LH. Após a menopausa, Danazol (substância ativa) pode provocar redução nos níveis plasmáticos médios dessas gonadotrofinas.

O Danazol (substância ativa) exerce uma ampla gama de ações sobre as proteínas plasmáticas, tais como aumento de protrombina, plasminogênio, antitrombina III, macroglobulina alfa-2, inibidor da esterase C1 e eritropoietina, redução do fibrinogênio e das globulinas de ligação dos hormônios tireoideo e sexual. O Danazol (substância ativa) aumenta a proporção e a concentração da testosterona plasmática livre.

Como resultado de suas ações farmacológicas, Danazol (substância ativa) provoca atrofia do endométrio, regressão de tecidos endometriais ectópicos e supressão das funções ovarianas, com consequente anovulação e amenorreia. Entretanto, algumas pacientes podem ainda apresentar 1 ou 2 sangramentos menstruais após o início do tratamento, e algumas persistem com sangramento (mesmo que mínimo) durante todo o período de tratamento, na dependência da posologia adotada.

Farmacocinética

A absorção de Danazol (substância ativa) após administração oral é dose-dependente, havendo tendência à correlação linear com doses diárias entre 200 e 800 mg em múltiplas tomadas. A absorção é influenciada pelo estado prandial, sendo aproximadamente 2 vezes maior quando o Danazol (substância ativa) é tomado logo após as refeições. Os principais metabólitos do Danazol (substância ativa) parecem ser a etisterona e a 17-hidroximetiletisterona. O tempo médio da meia-vida de eliminação do Danazol (substância ativa) é de cerca de 24 horas.

Medicamento-álcool

Danazol (substância ativa) não deve ser ingerido juntamente com bebidas alcóolicas.

02672.
Ladogal

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.