Cycrin Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Indicação

Para que serve?

Cycrin* é indicado para o tratamento de: 1. Terapia de reposição hormonal na menopausa, como adjunto à terapia de reposição estrogênica; 2.Amenorréia secundária; 3. Sangramento uterino anormal devido a um desequilíbrio hormonal, na ausência de patologias orgânicas como fibróides ou câncer uterino.

Contraindicações

Quando não devo usar?

1. Câncer de mamas ou diagnosticado ou suspeito; 2. Abortamento retido; 3, Gravidez confirmada ou suspeita, ou como teste diagnóstico para gravidez; 4. Sangramento genital anormal não-diagnosticado; 5. História ou presença de tromboflebite, distúrbios trombembólicos ou apoplexia cerebral;6. Doença ou disfunção hepática; 7. Hipersensibilidade aos componentes do medicamento.

Posologia

Como usar?

A terapia com cycrin* deve ser adaptada às indicações específicas e respostas terapêuticas das pacientes individuais. a administração de cycrin* para induzir uma transformação secretória do endométrio é indicada somente em casos onde o endométrio foi adequadamente preparado com estrogênios endógenos ou exógenos. sangramento por supressão normalmente ocorre em 3 a 7 dias após a interrupção da terapia com cycrin*. o esquema de dosagem baseia-se em um ciclo menstrual de 28 dias e o dia 1 é o primeiro dia do sangramento. a possibilidade de gravidez deve ser descartada antes do início da terapia com cycrin. terapia de reposição hormonal menopausal: a dose ótima ao regime de dosagem (continuo ou cíclico) de progestogênios e mulheres tratadas com estrogênios na pós-menopausa devem ser determinados subjetivamente através da observação do padrão de sangramento, e objetivamente através de biópsia endometrial após a adição de cycrin à terapia estrogênica. em geral, a menor dose que controle os sintomas deve ser usada. administração cíclica: administrar cycrin 5-10 mg diários por 12 a 14 dias, a cada 28 dias do ciclo estrogênico. administração contínua: administrar cycrin 2,5-5 mg diários concomitantemente com a terapia estrogênica. amenorréia secundária: cycrin pode ser administrado em doses de 5 a 10 mg diários, por 5 a 10 dias. a dose para induzir uma transformação secretária ótima em um endométrio que foi adequadamente preparado com estrogênios endógenos ou exógenos é de 10 mg diários, durante 10 dias. em casos de amenorréia secundária a terapia pode ser iniciada em qualquer época. sangramento uterino anormal devido a um desequilíbrio hormonal, na ausência de patologias orgânicas: cycrin pode ser administrado nas doses de 5 a 10 mg diários, por 10 dias, iniciando-se no 16º ou 21º dia do ciclo menstrual. para produzir uma transformação secretária ótima em um endométrio que já tenha ciclo adequadamente preparado com estrogênios endógenos ou exógenos, são sugeridos 10 mg diários de cycrin durante 10 dias, iniciando-se no 16º dia do ciclo. as pacientes com história de episódios recorrentes de sangramento uterino anormal podem ser beneficiadas com a administração planejada de cycrin*.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

As seguintes reações adversas foram relatadas com terapia progestogênica, incluindo contraceptivos orais, mas não necessariamente com Cycrin. Mamas: Tensão mamária ou galactorréia foram raramente relatadas. Pele: Reações de sensibilidade, como urticária, prurido, edema e rash generalizado, ocorreram em uma paciente ocasional. Acne, alopecia e hirsutismo foram relatados em alguns cegos. Fenômenos trombembólicos: Fenômenos trombembólicos, incluindo tromboflebite e embolia pulmonar, foram relatados. As seguintes reações adversas foram observadas em mulheres recebendo progestogênios, incluindo Cycrin*: Sangramento intermenstrual; spotting; alterações no fluxo menstrual; amenorréia; edema; alterações no peso (aumento ou diminuição); alterações e secreções cervicais; icterícia colestática; reações anafilactóides e anafilaxia; rash alérgico com ou sem prurido; depressão mental; pirexia; insônia; náusea; sonolência. Uma associação estatisticamente significante foi demonstrada entre o uso combinado de estrogênio e progestogênios e as seguintes reações adversas séries: tromboflebite; embolia pulmonar; trombose cerebral e embolia. Por esta razão, as pacientes em terapia com progestogênios devem ser cuidadosamente observadas. Apesar das evidências disponíveis sugerirem uma associação, esta não foi confirmada nem refutada para as seguintes reações adversas séries: lesões neurooculares, por exemplo: trombose retiniana e neurite óptica. As seguintes reações adversas foram observadas em pacientes recebendo terapia combinada de estrogênios-progestogênios: Aumento da pressão arterial em indivíduos susceptíveis; síndrome semelhante à pré-menstrual; alterações na libido; alterações no apetite; síndrome semelhante à cistite; dor de cabeça; nervosismo; tontura; fadiga; dor nas costas; hirsutismo; alopecia; eritema multiforme; eritema nodoso; erupção hemorrágica; prurido. Em vista dessas observações, pacientes recebendo terapia com progestogênios devem ser cuidadosamente observadas.

Apresentação

Cycrin* 2,5 mg: Cartuchos com 14 comprimidos. Cada comprimido contém 2,5 mg de acetato de medroxiprogesterona. Cycrin* 5,0 mg: Cartuchos com 14 comprimidos. Cada comprimido contém 5,0 mg de acetato de medroxiprogesterona. Cycrin* 10 mg: Cartuchos com 14 comprimidos. Cada comprimido contém 10,0 mg de acetato de medroxiprogesterona.

Laboratório

Indústria Brasileira

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.