Citidina + Uridina + Hidroxocobalamina Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Este medicamento é destinado ao tratamento de distúrbios traumato-compressivos neurais periféricos:

Compressão extrínseca (fraturas, síndromes vertebrais), lesões por estiramento neural (entorses), lesões por laceração (seccionamento por fragmento ósseo, lesão por objeto perfurocortante), lesões por vibração [uso de máquinas (LER/DORT)] e procedimentos cirúrgicos neurais ou em estruturas contíguas.

Etna está contraindicado em:

  • Fase aguda de AVE isquêmico: sob condições de anóxia cerebral experimental aguda, a CMP pode, através da reversão da via de síntese da fosfatidilcolina de membrana celular neuronal, promover a degradação deste lipídeo em 1,2-diacilglicerol e ácidos graxos livres, agravando a decomposição tissular aguda, própria deste distúrbio (este fenômeno não se estenderia à fase crônica do AVE isquêmico);
  • Distúrbios proliferativos: células hiperproliferativas apresentam uma taxa anabólica acelerada, o que gera um grau de demanda elevado por todos os elementos metabólicos celulares, inclusive nucleotídeos;
  • Diagnóstico de doenças genéticas específicas do metabolismo dos nucleotídeos pirimidínicos (deficiência de diidropirimidino desidrogenase, deficiência de ornitina carbamoiltransferase e deficiência de diidropirimidinase);
  • História de hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula.

Este medicamento é contraindicado para pacientes com alergia a um ou mais componentes da fórmula.

Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)

Posologia recomendada

Uso adulto:

2 cápsulas de citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento) por via oral, três vezes ao dia. Uso pediátrico: 2 cápsulas ao dia.

Duração do tratamento: 30 a 60 dias.

O limite máximo diário de administração de citidina + uridina + hidroxicobalamina (substância ativa deste medicamento) é de seis cápsulas.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Os principais eventos adversos/reações adversas à citidina + uridina + hidroxocobalamina estão relacionados como se segue:

Reação comum (> 1/100 e ≤ 1/10):

Máuseas, constipação, vômitos, dor de cabeça.

Podem ocorrer fenômenos de alergia associados aos componentes de citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento).

Em caso de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/cadastro.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Interação medicamento-medicamento

Antivirais análogos dos nucleosídeos pirimidínicos (por ex. estavudina, lamivudina, ribavirina, zalcitabina e zidovudina):

Citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento) pode interagir por mecanismo de competição, devido à semelhança estrutural, provocando diminuição da eficácia dos antivirais e de citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento).

Citicolina:

Citidina + uritidina + hidroxocobalamina pode diminuir a eficácia da citicolina em condições de hipóxia cerebral, devido ao fato de a CMP reverter a via de síntese da fosfatidilcolina da membrana celular neuronal nestas circunstâncias.

Alopurinol:

Alopurinol pode reduzir a eficácia de citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento). Alopurinol diminui os níveis plasmáticos de uridina através de depleção de PRPP (PhosphoRibosyl PyroPhosphate) da via de síntese “de novo” de nucleotídeos pirimidínicos, e de inibição enzimática da OMPd (Orotidine 5'-MonoPhosphate decarboxylase) e da OPT (Orotate Phosphoribosylytransferase) pertencentes à mesma via de síntese.

Pentobarbital:

Pentobarbital tem seu efeito diminuído devido ao mecanismo de competição com a Uridina presente na formulação de citidina + uritidina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento).

Interação Medicamento-Substância química

Álcool interfere na quantidade no sangue de UTP, um dos componentes de citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento), devido ao aumento do consumo celular de ATP. Este fenômeno está associado à diminuição da disponibilidade desta última aos processos de resgate da uridina sanguínea.

Interação Medicamento-Exame Laboratorial

Citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento) pode interferir nas dosagens sanguínea e urinária de alguns exames laboratoriais:

Elevação do VHS, diminuição do hematócrito, aumento de creatinina, aumento de ácido úrico e aumento de CPK.

A administração de citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento) a pacientes portadores de anemia megaloblástica por carência de vitamina B12, concomitante à neuropatia periférica, pode causar hipopotassemia, devido ao efeito terapêutico da hidroxocobalamina sobre a hematopoiese. Pode surgir anticorpo inibidor do complexo hidroxocobalamina- transcobalamina II em pacientes tratados com hidroxocobalamina.

Gravidez:

Categoria de risco C.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Resultados de eficácia

Em um ensaio clínico randomizado e duplo-cego, Goldberg et al. avaliaram a eficácia e a tolerância da administração oral da associação dos nucleotídeos UTP e CMP com hidroxocobalamina, em pacientes apresentando alterações ortopédicas degenerativas em coluna vertebral e quadril complicadas com compressão neural e dor neuropática.

Uma amostra foi dividida em dois braços com 40 pacientes cada, esquemas de 30 dias de duração, respectivamente: (1) grupo A - 2 cápsulas de UTP 1,5 mg, CMP 2,5 mg e hidroxocobalamina 1000 mcg três vezes ao dia, e (2) grupo B - 2 cápsulas de hidroxocobalamina 1000 mcg três vezes ao dia. Os resultados finais ao D30 de estudo são resumidos por variável de eficácia estudada, como se segue: (1) EAV (Escala Analógica Visual), favorável ao grupo A (p <0,0001), (2) questionário de funcionalidade do paciente, favorável ao grupo A (p=0,0007), (3) avaliação do paciente, favorável ao grupo A (p <0,0001), (4) avaliação da condição global pelo médico, favorável ao grupo A (p <0,0001), (5) avaliação final de eficácia geral pelo médico, favorável ao grupo A (p <0,0001), e (6) avaliação final de tolerabilidade pelo médico, favorável ao grupo B (p=0,0009).

Os autores concluíram que a associação dos nucleotídeos UTP e CMP com hidroxocobalamina, foi segura e eficaz no tratamento de neuralgias decorrendo de alterações traumato-compressivos de origem ortopédica.

No estudo de Mibielli et al. analisou-se a evolução do braço terapêutico de outro estudo sobre lombalgia aguda não-traumática que utilizou a associação UTP, CMP e hidroxocobalamina, do mesmo investigador. Os autores constataram que houve melhora estatisticamente significativa (p <0,0001) na escala analógica visual de dor no braço de pacientes que utilizaram a associação UTP, CMP e hidroxocobalamina (n=41), de forma auto-pareada, no D10 de tratamento.

Características farmacológicas

Citidina + uridina + hidroxocobalamina (substância ativa deste medicamento) é composto pelos ribonucleotídeos pirimidínicos CMP e UTP ligados a radicais de sódio, tornando-se portanto um sal. Seu papel farmacológico consiste na sua integração às vias metabólicas de síntese da bainha de mielina e da membrana celular neuronal como molécula de transferência, como precursores do RNA neuronal e como agonistas de receptores P2Y neuronais, principalmente em situações de síntese bioquímica intensificada, como por exemplo, durante processos regenerativos. À desintegração mecânica do binômio axônio-glial se seguirá um processo degenerativo-regenerativo, no qual a velocidade das vias anabólicas mielínicas e axolemais, bem como a taxa de transcrição e tradução genômicas, estarão aceleradas.

Como elemento integrante destes processos e juntamente a outros metabólitos importantes, os nucleotídeos deverão ser utilizados em uma quantidade superior àquela basal. Como fato adicional, sabe-se que neurônios não são autossuficientes quanto à reciclagem e síntese de nucleotídeos a partir de seus precursores metabólicos fundamentais, dependendo em grande parte do aporte externo de nucleosídeos, mesmo em condições basais (dados experimentais). Seria necessário, portanto, o seu suplemento em condições de anabolismo acelerado, quer fisiologicamente ou sob a forma de reposição farmacológica. A ação agonista dos nucleotídeos sobre receptores P2Y neuronais leva a um aumento da síntese de fostatidilcolina de membrana celular neuronal.

Os nucleotídeos administrados oralmente são degradados em nucleosídeos e bases nitrogenadas no tubo digestivo, antes de serem captados pelo epitélio intestinal.

A vitamina B12, sob a forma de hidroxocobalamina, apresenta os seguintes mecanismos de ação, em nível neurológico:

  1. Síntese de MBP (Myelin Basic Protein) e de tubulinas axonais - conversão de homocisteína em metionina pela metionina sintase;
  2. Produção alternativa de energia de ligação química celular - oxidação de ácidos graxos de cadeia uniforme através da conversão de metilmalonil CoA em succinil CoA;
  3. Modulação epigenética glial - controle dos níveis intracelulares de PrP (Prion Particlecellular) e (4) otimização da vascularidade em nervo periférico - diminuição dos níveis sanguíneos de homocisteína.
Etna Cápsula, Etna Solução Injetável

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.