Cáscara Sagrada Herbarium Icone para ediçãoIcone de Enomear Icone de Excluir

Para que serve

Cáscara Sagrada Herbarium é indicada para os casos de prisão de ventre ocasional.

  • Pacientes com histórico de hipersensibilidade e alergia a qualquer um dos componentes da fórmula não devem fazer uso do produto.
  • Além de ser contraindicado nos casos de constipação crônica, abdômen agudo, dor abdominal, obstrução intestinal, processos ulcerosos do trato digestivo, doenças inflamatórias intestinais agudas, esofagite por refluxo, transtornos hidroeletrolíticos, íleo paralítico, cólon irritável, diverticulite, doença diverticular, apendicite e nefrites.
  • Não podendo ser utilizado nos estados inflamatórios uterinos, menstru- ação, cistites e quando houver hemorroida.
  • Nos casos de insuficiência hepática renal e cardíaca, o seu uso é con- traindicado.
  • Informe ao seu médico se ocorrer gravidez ou se iniciar amamentação durante o uso deste medicamento.

Uso Oral / Uso Interno

Modo de usar

As cápsulas devem ser ingeridas inteiras e com uma quantidade suficiente de água para que possam ser deglutidas.

Posologia

Ingerir duas cápsulas, via oral, uma vez ao dia, no meio da tarde ou antes de dormir, ou a critério médico.

Este medicamento não deve ser utilizado por mais de uma semana.

A dose diária não deve ultrapassar duas cápsulas ao dia.

Utilizar apenas a via oral. O uso deste medicamento por outra via, que não a oral, pode causar a perda do efeitos esperado ou mesmo promover danos ao seu usuário.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso haja esquecimento da ingestão de uma dose deste medicamento, retomar a posologia prescrita sem a necessidade de suplementação.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

  • Este medicamento só deve ser utilizado se nenhum efeito tiver sido observado por meio de mudança de dieta.
  • O uso de laxantes por tempo maior que o recomendado pode causar lentidão intestinal, espasmos, cólicas, atonia e pode constituir-se um fator de risco de câncer intestinal.
  • Albuminúria, hematúria, inibição da movimentação intestinal e fraqueza muscular podem ocorrer.
  • Certos constituintes da cáscara são excretados pelos rins, podendo tornar a urina alaranjada.
  • Pode haver alterações bioquímicas nos exames laboratoriais.

Interações Medicamentosas

  • A perda de potássio, resultante do uso prolongado da cáscara, pode po- tencializar a toxicidade dos digitálicos (digoxina) e as arritmias, quando a cáscara é administrada concomitantemente com as drogas antiarrítmicas.
  • Os diuréticos tiazídicos (clortiazida e hidroclorotiazida) e os esteroides corticoadrenais podem potencializar a deficiência de potássio provocada pela cáscara. A interação de cáscara com a raiz de Glycyrriza glabra (alcaçuz) pode aumentar essa deficiência de potássio.
  • A indometacina e outros anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs) podem ter seu efeito diminuído quando administrados com a cáscara.
  • Assim como todos os medicamentos, informe ao profissional de saúde todas as plantas medicinais, fitoterápicos e outros medicamentos que estiver tomando. Interações podem ocorrer entre medicamento e plantas medicinais e mesmo entre duas plantas medicinais administradas ao mesmo tempo.

Podem ocorrer cólicas gastrointestinais. Em raros casos, pode levar a arritmias cardíacas, nefropatias, inchaço e diminuição óssea acelerada.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe também à empresa através do seu Serviço de Atendimento ao Consumidor.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas e em amamentação sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Cada cápsula contém:

Extrato seco de Frangula purshiana (DC.)75 mg*
Excipientes q.s.p.1 cápsula

(Amido de milho e dióxido de silício coloidal).

* Equivalente a 12 mg de cascarosídeo A.

Pode haver perda de eletrólitos, em especial de potássio, o que pode levar a complicações em pacientes com distúrbios cardíacos, bem como naqueles com distúrbios intestinais associados à perda de proteínas e gorduras nas fezes. Forte efeito purgante pode ocorrer. O tratamento da superdose é importante, principalmente para crianças e idosos, devendo ser acompanhado com grandes quantidades de água.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001 se você precisar de mais orientações.

A perda de potássio, resultante do uso prolongado da Rhamus Purshiana (substância ativa), pode potencializar a toxicidade dos digitálicos e as arritmias quando administrada concomitantemente com drogas antiarrítmicas.

A interação da Rhamus Purshiana (substância ativa) com diuréticos tiazídicos, esteróides corticoadrenal e raiz de anis podem aumentar esta defciência de potássio.

A indometacina administrada concomitantemente com derivados antracênicos, constituintes da Rhamus Purshiana (substância ativa), apresenta um decréscimo no efeito terapêutico devido a inibição da prostaglandina E2.

Certos constituintes da Rhamus Purshiana (substância ativa) são excretados pelo rim, sendo que a urina pode apresentar uma coloração alaranjada, a qual não é clinicamente relevante, porém pode causar resultados falsos positivos em exames de urina.

Pode causar ainda alterações bioquímicas nos exames laboratoriais, como albuminúria, hematúria e acidose metabólica.

Características Farmacológicas


Rhamus Purshiana (substância ativa) é constituída pelo extrato seco de Rhamus Purshiana (substância ativa) (Rhamnus purshiana) padronizado em cascarosídeo A.

Os constituintes da Rhamus Purshiana (substância ativa) são caracterizados pelos derivados antraquinônicos, especialmente os cascarosídeos. As drogas contendo antraquinonas apresentam ação catártica (purgativa), o que faz com que a Rhamus Purshiana (substância ativa) seja utilizada como laxativa há muitos anos.

Após a ingestão do fármaco, os glicosídeos antraquinônicos são degradados no cólon, através das enzimas bacterianas, em antronas (metabólitos laxativos). As antronas atuam sobre a mucosa intestinal, aumentando o movimento peristáltico e facilitando a evacuação.

Cuidados de conservação

Cáscara Sagrada Herbarium deve ser conservada em temperatura am- biente (entre 15ºC e 30ºC) em sua embalagem original. Proteger da luz e da umidade.

Prazo de validade

24 meses após a data de fabricação impressa no cartucho.

Número de lote e datas de fabricação e validade:

Vide embalagem. Não use medicamento como prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas

Cápsulas gelatinosas duras de cor creme.

Características organolépticas

Cheiro (odor) característico e praticamente não apresenta sabor.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos.

Informe seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Farmacêutica resp.:
Gislaine B. Gutierrez
CRF-PR nº 12423

Fabricado e Distribuído por:
Herbarium Laboratório Botânico Ltda.
Av. Santos Dumont, 1100 - Colombo - PR
CEP 83403-500
CNPJ 78.950.011/0001-20
Indústria Brasileira

*Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde.
*As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto de prescrição médica para o tratamento de qualquer doença.