Vulvovaginite Icone para edição

Vulvovaginite é inflamação ou infecção da vulva e da vagina, que também pode ser chamada de vulvite ou vaginite. É uma condição comum que afeta pessoas de todas as idades. A vulvovaginite tem uma variedade de causas.

Tipos:

Os tipos mais comuns de vaginite são:

Sintomas:

Sintomas de vulvovaginite podem incluir:

As características do corrimento vaginal podem indicar o tipo de vaginite. Os exemplos incluem:

Diagnóstico:

É possível diagnosticar vulvovaginite apenas analisando os sintomas. Em alguns casos, será feita a coleta de uma amostra de secreção vaginal para testar e descobrir qual a causa da infecção.

Em casos raros, pode ser necessário fazer a biópsia da vulva, a fim de identificar o organismo. Isto significa que será retirada uma pequena amostra de tecido da vagina para exame. A biópsia é geralmente necessária quando não há nenhum sinal de irritação.

Tratamento:

Uma variedade de organismos e condições pode causar vulvovaginite. Dessa forma, o tratamento terá como alvo a causa específica:

Para este tipo de vaginite, o médico pode prescrever comprimidos de metronidazol (Flagyl) que você toma por via oral, gel de metronidazol (MetroGel) que se aplicam ao seu creme vagina ou clindamicina (Dalacin) que você aplica a sua vagina. Medicamentos são usados geralmente uma ou duas vezes por dia, durante cinco a sete dias.

Infecções fúngicas são geralmente tratadas com um creme antifúngico ou supositório. Infecções fúngicas podem também ser tratadas com um medicamento oral antifúngico.

A tricomoníase é tratada com medicamentos por via oral, como metronidazol ou tinidazol.

Cremes e medicamentos a base de estrogênio podem ser eficazes para tratar vaginite atrófica. Este tratamento está disponível por prescrição médica.

Para tratar este tipo de vaginite, é preciso identificar a fonte da irritação e evitá-la. Fontes possíveis incluem sabonete, sabão em pó, absorventes higiênicos ou externos ou internos. O seu médico pode prescrever estrogênio tópico, como um creme, para aliviar seus sintomas.

Complicações:

Geralmente, as infecções vaginais não causam sérias complicações. Em mulheres grávidas, no entanto, a vaginose bacteriana sintomática e a tricomoníase tem sido associadas com partos prematuros e bebês de baixo peso ao nascer. As mulheres com tricomoníase ou vaginose bacteriana também estão em maior risco de contrair o HIV e outras DSTs.

Prognóstico:

O ideal é reduzir a frequência de relações sexuais durante o tratamento da vulvovaginite, principalmente se for tricomoníase, que é uma DST. A vulvovaginite leva cerca de uma a duas semanas para ser eliminada do organismo se tiver tratamento adequado. Portanto, é importante seguir as orientações médicas e ingerir a medicação indicada.

Outras medidas para tratar a vulvovaginite incluem:

Prevenção:

Ministério de Saúde

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.