Verruga genital Icone para edição

O que é Verruga genital?

A verruga genital é um dos tipos mais comuns de infecções sexualmente transmissíveis. Pelo menos metade de todas as pessoas sexualmente ativas serão infectadas com o papilomavírus humano (HPV), o vírus que causa verrugas genitais, em algum momento durante suas vidas. As mulheres são um pouco mais propensas que os homens a desenvolver verrugas genitais.

Tal como o nome sugere, as verrugas genitais afetam os tecidos úmidos da área genital. As verrugas genitais podem aparecer pequenas, como caroços cor de carne ou com uma aparência de couve-flor. Em muitos casos, as verrugas são tão pequenas que não podem ser vistas a olho nu.

Algumas cepas de HPV genital podem causar apenas verrugas genitais, outras podem ser mais graves e evoluírem para um câncer. As vacinas podem ajudar a proteger contra certos tipos de HPV.

Causas

O papilomavírus humano (HPV) é a maior causa de verruga genital. Há mais de 40 diferentes cepas de HPV que afetam especificamente a área genital. HPV genital é transmitido através do contato sexual. Na maioria dos casos, o sistema imunológico mata os vírus e você nunca desenvolve sinais ou sintomas de infecção.

Fatores de risco

A Organização Mundial de Saúde estima que pelo menos metade de todas as pessoas sexualmente ativas serão infectadas com HPV genital em algum momento da vida. Fatores que podem aumentar o risco de infecção incluem:


Sintomas de Verruga genital

Nas mulheres, as verrugas genitais podem crescer na vulva (área externa da vaginal), na área entre a vagina e o ânus, no canal anal e no colo do útero. Nos homens, elas podem ocorrer na ponta ou eixo do pênis, no escroto ou no ânus. As verrugas genitais também pode se desenvolver na boca ou na garganta de uma pessoa que teve contato sexual oral com uma pessoa infectada.

Os sinais e sintomas de verrugas genitais incluem:


Muitas vezes, as verrugas genitais são tão pequenas e planas que não podem ser vistas a olho nu. Às vezes, porém, as verrugas genitais podem multiplicar-se em grandes aglomerados.

Na consulta médica

Você provavelmente conversará com um urologista ou ginecologista, mas o problema também pode ser analisado por um clínico geral. Como as consultas médicas costumam ser muito curtas, você já pode levar algumas informações anotadas, para facilitar o diagnóstico, tais como:


O médico provavelmente fará uma série de perguntas. Estar pronto para respondê-las pode reservar tempo na consulta para tirar suas dúvidas e falar de alguns pontos com profundida. O médico pode perguntar:


Diagnóstico de Verruga genital

Muitas vezes é difícil de detectar as verrugas genitais. Por isso, o médico pode aplicar uma solução suave ácido acético a seus órgãos genitais, que irá clarear qualquer verruga que esteja crescendo ali. Em seguida, o médico pode visualizá-los por meio de um instrumento de aumento especial, um colposcópio.

Outros exames podem ser feitos, tais como:

Para as mulheres, é importante fazer o exame de Papanicolau regularmente, que podem ajudar a detectar alterações vaginais e do colo do útero causadas por verrugas genitais ou os primeiros sinais de câncer do colo do útero - uma possível complicação da infecção pelo HPV genital.

Durante um teste de Papanicolau, o médico irá usar um aparelho chamado espéculo para manter aberta a sua vagina. Ele ou ela irá então usar uma ferramenta de cabo longo para coletar uma pequena amostra de células do colo do útero - a passagem entre sua vagina e seu útero. As células são examinadas com um microscópio para detectar anomalias.

Apenas alguns tipos de HPV genital têm sido associados ao câncer de colo do útero. Uma amostra de células do colo do útero, coletadas durante um teste de Papanicolau, pode ser testado para essas cepas de HPV causadores de câncer.

Esse teste geralmente é reservado para mulheres com 30 anos ou mais. Não é tão útil para as mulheres mais jovens, uma vez que seus sistemas imunitários são capazes de matar essas células causadoras de câncer de HPV genital sem tratamento na maioria dos casos.

Após receber o diagnóstico, você pode querer tirar algumas dúvidas com o médico. Criando sua lista com antecedência você aproveita ao máximo o tempo da consulta. Para as verrugas genitais, algumas dúvidas básicas incluem:


Além das perguntas que você preparou para fazer ao seu médico, não hesite em fazer questões durante a sua consulta a qualquer momento, se você não entender alguma coisa.

Tratamento de Verruga genital

Se suas verrugas não estão causando desconforto, você pode não precisar de tratamento. Mas se os seus sintomas incluem comichão, ardor e dor, ou se as verrugas visíveis estão causando sofrimento emocional, o seu médico pode ajudar prescrevendo medicamentos ou cirurgia. No entanto, as lesões tendem a voltar após o tratamento.

Tratamentos de verrugas genitais que podem ser aplicado diretamente a sua pele incluem:


Você pode precisar de cirurgia para remover verrugas maiores, verrugas que não respondem à medicação ou - se você está grávida - verrugas que podem entrar em contato com o bebê durante o parto. As opções cirúrgicas incluem:


Medicamentos para Verruga genital

Os medicamentos mais para o tratamento de verrugas genitais são:


Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Complicações possíveis

Complicações de verrugas genitais podem incluir:


Prevenção

Usar preservativo sempre que tiver relações sexuais pode reduzir significativamente o risco de contrair verrugas genitais. Entretanto, embora o preservativo reduza o risco, ele não é 100% eficaz. Você ainda pode contrair verrugas genitais.

Além disso, a vacina cotra HPV, maior causadora de verrugas genitais, já está disponível. Ela é mais eficaz em pessoas que ainda não são sexualmente ativas. A vacina contra o HPV quadrivalente começou a ser distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para meninas de 9 e 13 anos a partir de 10 de março de 2014. Para os demais, a vacina está disponível apenas na rede privada. Alguns convênios médicos cobrem esta vacina no sistema particular de saúde. Consulte sua operadora para ver se seu plano oferece essa cobertura.

Revisado por: Sueli Raposo, ginecologista do laboratório Pasteur - CRM SP 40343

Revisado por: Jurandir Piassi Passos, ginecologista do Lavoisier Medicina Diagnóstica - CRM 60633

Ministério da Saúde

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.