Trombose Icone para edição

A Trombose Venosa Profunda (TVP), condição conhecida popularmente apenas por trombose, é a formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias localizadas da parte inferior do corpo, geralmente nas pernas.

Além da trombose venosa profunda, existem também trombos que se formam nas artérias, bloqueando totalmente este vaso.

Quando existe uma obstrução total das artérias do cérebro, chamamos de acidente vascular cerebral, também conhecido pela sigla AVC. Nesses casos a região a que o sangue não chega sofre um infarto cerebral e morre.

Saiba mais detalhes sobre a trombose arterial neste artigo.

A tromboflebite consiste na inflamação deste coágulo formado quando há uma trombose e tem sintomas como calor na região, vermelhidão e varizes ou veias dilatadas.

Quando uma hemorroida tem a formação aguda de trombos, chamamos isso de uma trombose hemorroidaria. Esse quadro implica no desenvolvimento de um nódulo com edema e de coloração arroxeada na margem anal. É frequentemente acompanhado de dor severa. Saiba mais sobre a trombose hemorroidaria neste artigo.

Tipos:

A trombose pode ser classificada em aguda e crônica:

Inicialmente uma trombose pode ser considerada um evento agudo que muitas vezes o corpo mesmo utiliza de mecanismos para dissolvê-lo.

No entanto, durante o processo de dissolução do coágulo que é natural do corpo, podem ficar sequelas no interior das veias, destruindo a estrutura das válvulas. É a partir desse momento que a doença se torna crônica: por conta dessas alterações nas válvulas, o retorno do sangue fica prejudicado e leva ao aparecimento de inchaço, varizes, escurecimento e endurecimento da pele e até feridas.A trombose pode ser dividida em:

Sintomas:

Em aproximadamente metade dos casos, a trombose não manifesta sintomas no paciente. No entanto, pode acontecer de a pessoa despertar alguns sinais da doença. Confira os principais deles:

  • Dor nas pernas, principalmente nas panturrilhas, podendo chegar até o pé e o tornozelo
  • Sensação de queimação na região afetada
  • Mudanças na cor da pele da região afetada pela doença, que começa a ficar vermelha ou azul
  • Edema (inchaço) na perna afetada.

Diagnóstico:

Para saber se o seu caso é de trombose ou não, o médico deverá lhe fazer perguntas sobre seus sintomas e também realizará um exame físico. No entanto, esses métodos podem não ser suficientes para fazer o diagnóstico e outros exames podem ser solicitados.

Tratamento:

Depois de feito o diagnóstico, é hora de iniciar o tratamento. O objetivo do tratamento para trombose pode ser dividido em três métodos de ação diferentes:

  • Impedir o crescimento do coágulo sanguíneo
  • Impedir que o coágulo sanguíneo avance para outras regiões do corpo e, assim, evitar possíveis complicações
  • Reduzir as chances de recorrência da trombose.

Existem algumas opções de tratamento disponíveis. Veja:

  • Diluidores do sangue, como anticoagulantes, que diminuem as chances de haver coagulação do sangue
  • Uso de medicamentos para casos mais graves de tromboses e também de embolia pulmonar, conhecidos como heparina
  • Inserção de filtros na maior veia do abdômen para impedir que os coágulos sanguíneos se desloquem para os pulmões
  • Meias de compressão para melhorar o edema causado pela trombose.

Trombose tem cura?

Muitos casos de trombose resolvem-se com tratamento, mas a doença pode retornar. Sem o tratamento necessário, trombose pode evoluir para problemas mais graves e levar, inclusive, à morte.

Por isso, é importante seguir à risca as orientações médicas e fazer visitas constantes a um especialista, para que haja monitoramento correto do tratamento e dos medicamentos ministrados por ele.

Complicações:

Por serem mais frequentes, os maiores problemas da trombose são suas complicações:

Dependendo do segmento de veia acometido, a trombose pode ser mais ou menos grave. Quando o coágulo obstrui uma pequena veia da perna, causa um transtorno localizado naquela região. Quanto mais próximo do coração, ou maior a veia, maior será a gravidade da trombose e a possibilidade de matar.

  • Insuficiência venosa crônica ou síndrome pós-trombótica
  • Inchaço crônico da perna afetada e/ou dor acompanhado de varizes
  • Mudanças na pele, que pode se tornar mais escura e seca
  • Eczema, coceira muito forte que pode levar a uma ferida de difícil cicatrização
  • Embolia pulmonar (EP). Essa última apresenta alto índice de mortalidade.

A maior e principal complicação decorrente de trombose é a embolia pulmonar – quando um vaso sanguíneo do pulmão é obstruído por coágulo de sangue, oriundo de outras partes do corpo, especialmente as pernas. A embolia pulmonar pode ser fatal.

Aproximadamente 5 a 15% de indivíduos não tratados da trombose venosa profunda podem morrer de embolia pulmonar. Os dois quadros podem ocorrer em 2 a cada mil indivíduos por ano. Se pensarmos em uma população de 200 milhões no Brasil, podemos ter de 200 mil a 400 mil novos casos por ano!

Prognóstico:

Adote algumas medidas caseiras para tornar o dia a dia com trombose mais fácil:

  • Faça visitas ao médico regularmente para checar o tratamento e os medicamentos ministrados
  • Controle do consumo de vitamina K caso esteja usando medicamentos que diluem o sangue. Alimentos ricos dessa vitamina, como soja, canola e alguns vegetais verdes escuros, podem prejudicar o funcionamento desses remédios
  • Exercite frequentemente os músculos inferiores, principalmente a panturrilha. Se permanecer muito tempo sentado, levante para dar uma volta
  • Mexa-se. Esse é sempre um bom conselho para pessoas com trombose, após a fase aguda
  • Adapte seu estilo de vida para garantir uma vida saudável e livre da trombose. Perca peso, pare de fumar e fique sempre de olho na pressão arterial
  • Adquira o hábito de vestir meias de compressão
  • Atenção para eventuais sangramentos, que podem ser um efeito colateral dos anticoagulantes ministrados pelo médico.

Prevenção:

Prevenir trombose é muito mais fácil do que tratá-la. Confira algumas medidas a serem adotadas:

  • Se tiver que fazer uma cirurgia de grande porte, o médico provavelmente receitará anticoagulantes para evitar problemas mais graves, como trombose. Não se esqueça de tomar os remédios corretamente
  • Faça visitas ao médico regularmente para checar se está tudo certo
  • Pratique exercícios físicos regularmente e evite permanecer muito tempo sentado sem movimentar as pernas
  • Evite o sobrepeso, o fumo, o estresse, o consumo de alimentos que contenham gordura animal.
  • Use roupas confortáveis e um pouco mais largas, que não causem compressão
  • Use meias elásticas medicinais, prescritas por médico e adequadamente calçadas, que ajudam no retorno venoso
  • Tome bastante líquido, principalmente água. O líquido, além de hidratar, também motiva a pessoa a se levantar para ir ao banheiro
  • Evite ficar mais de duas horas parado na mesma posição.

Ministério da Saúde

Instituto Fleury

Hospital Sírio-Libanês

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.