Transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva Icone para edição

Prevenção:

A identificação de traços de personalidade obsessivo-compulsiva e oferta psicoterapia individual e de grupo antes de um agravamento do quadro pode ser fundamental para impedir uma progressão para o transtorno propriamente dito. Além disso, a prevenção e o tratamento dos outros transtornos psiquiátricos é fundamental para proteção desses pacientes com traços de personalidade obsessivo-compulsiva que são identificados.

Transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva é um uma condição de saúde mental em que a pessoa é extremamente perfeccionista, tem necessidade de ordem e de controle sobre as pessoas ao seu redor.

É diferente do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Enquanto no TOC a pessoa tem pensamentos fora de seu controle, mas que ela gostaria de evitar, quem tem transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva não percebe que seu padrão de pensamento é problemático. A pessoa acredita que seu perfeccionismo e necessidade de controle são pensamentos certos, e que todas as pessoas estão agindo de forma errada.

Sintomas:

A pessoa com transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva em geral apresenta:

  • Perfeccionismo exacerbado, que pode impedi-la de finalizar tarefas
  • Frugalidade extrema com o dinheiro
  • Necessidade de ser extremamente pontual
  • Foco acima da média no trabalho, acima da família e amigos
  • Falta de capacidade de compartilhar ou delegar trabalho às pessoas
  • Dificuldade em deixar objetos de valor sentimental
  • Preocupação com planejamento, regras, listas e organização
  • Cumprimento rígido a códigos morais e éticos

Pessoas com transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva tem dificuldade em expressar seus sentimos e em ter ou manter relacionamentos próximos. Por terem obsessão por perfeccionismo, podem ser ineficientes no trabalho, apesar de serem muito trabalhadores.

Diagnóstico:

Pessoas com transtornos de personalidade, como o transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva, em geral não percebem que tem um problema e tem queixas como ansiedade, depressão, dependência química ou outras questões menos ligadas à personalidade em si. Em geral, o médico precisa perceber sozinho que o paciente tem algum transtorno de personalidade por trás desses problemas. Como esses são critérios subjetivos, o diagnóstico se torna bem difícil.

Em geral, o especialista consegue perceber um quadro como o transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva quando ele tem contato com pessoas relacionadas ao seu paciente ou quando ele percebe que a maior parte dos problemas do pacientes são causados por eles mesmos.

Tratamento:

O tratamento do transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva em geral envolve mais a psicoterapia individual, focada em ajudar o paciente a tolerar melhor a incerteza e aceitar o mundo em que vivem. Muitas vezes, o tratamento pode ser aliado a medicamentos para depressão e ansiedade, caso o paciente apresente sintomas dessas comorbidades.

Complicações:

Pacientes com transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva costumam vivenciar certo isolamento social, que pode levá-los à depressão ou ansiedade.

Transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva tem cura?

O mais comum é que os pacientes com transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva tenham uma boa resposta ao tratamento, que consegue mostrar ao paciente como seus sintomas afetam negativamente as pessoas ao seu redor.

Manual Merck

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.