Transtorno de personalidade narcisista Icone para edição

O transtorno de personalidade narcisista é caracterizado por um padrão invasivo de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia, que começa na idade adulta e está presente em uma variedade de contextos. Indivíduos narcisistas são caracterizados por fantasias irreais de sucesso e senso de serem únicos, hipersensibilidade à avaliação de outros, sentimentos de autoridade e esperam tratamento especial. Frequentemente apresentam sentimento de superioridade, exagero de suas capacidades e talentos, necessidade de atenção, arrogância e comportamentos autorreferentes. Exibem exagerada centralização em si mesmos, geralmente acompanhada de adaptação superficialmente eficaz, adaptam-se às exigências morais do ambiente como preço a pagar pela admiração; porém, tem sérias distorções em suas relações internas com outras pessoas.

Os transtornos de personalidade são desvios extremos ou significativos do modo como o indivíduo, em uma dada cultura, percebe, pensa, sente e, particularmente, se relaciona com os outros. São alterações de longa duração e não são limitadas a episódios de doença psiquiátrica. E por tudo isso fica claro que nos transtornos de personalidade indivíduo sofre ou faz sofrer e sofre de com uma desadaptação social, já que ocorrem respostas inflexíveis a uma ampla série de situações pessoais e sociais. Em termos gerais contabilizados todos os 10 transtornos de personalidade estima-se que 15% da população geral seja acometida e até 50% dos pacientes com transtornos psiquiátricos possuem esse diagnóstico.

As manifestações dos transtornos de Personalidade são, frequentemente, reconhecíveis na adolescência ou mais cedo, e continuam por quase toda a vida adulta, embora elas muitas vezes se tornem menos óbvias nas faixas médias ou extremas de idade.

Mas apesar disso o diagnóstico de maneira geral só pode ser formulado no início da vida adulta, pois a personalidade da criança e do adolescente é suficientemente plástica para que mesmo padrões marcadamente disfuncionais de relacionamento sejam ajustados antes de sua cristalização definitiva.

Sintomas:

Pacientes com transtorno da personalidade narcisista são muito sensíveis a mágoas por críticas ou derrotas. Muitas vezes não demonstram isso e passam a sentir humilhados, degradados e vazios. Já em alguns casos a reação pode ser de desdém, raiva ou agressivo contra-ataque.

Por vezes essas vivências geram um afastamento social ou esforço enorme para se mostrar humilde a fim de esconder a grandiosidade. As relações interpessoais tipicamente são comprometidas pelos problemas resultantes da presunção, da necessidade de admiração e do relativo desrespeito pela sensibilidade alheia. Embora a ambição e a confiança possam levar a altas realizações, o desempenho pode ser perturbado em virtude da intolerância a críticas ou derrotas.

Outro aspecto importante é que esses pacientes, mesmo tendo um prejuízo, muitas vezes apresentam condições financeiras elevadas e bons cargos não sendo uma regra a presença de dificuldade laboral.

Diagnóstico:

Atualmente utilizamos critérios diagnósticos que devem estar presentes de maneira persistentes desde adolescência, para que o especialista possa dizer realmente que o paciente tem transtorno de personalidade narcisista. Em geral, é preciso que ao menos cinco das características abaixo estejam presentes:

  • Sentimento grandioso da própria importância. Por exemplo, exagera realizações e talentos, espera ser reconhecido como superior sem realizações comensuráveis
  • Preocupação com fantasias de ilimitado sucesso, poder, inteligência, beleza ou amor ideal
  • Crença de ser "especial" e único e de que somente pode ser compreendido ou deve associar-se a outras pessoas (ou instituições) especiais ou de condição elevada
  • Exigência de admiração excessiva
  • Sentimento de intitulação, ou seja, possui expectativas irracionais de receber um tratamento especialmente favorável ou obediência automática às suas expectativas
  • Explorador em relacionamentos interpessoais, isto é, tira vantagem de outros para atingir seus próprios objetivos
  • Ausência de empatia: reluta em reconhecer ou identificar-se com os sentimentos e necessidades alheias
  • Frequentemente sente inveja de outras pessoas ou acredita ser alvo da inveja alheia
  • Comportamentos e atitudes arrogantes e insolentes.

Tratamento:

Não existe um tratamento farmacológico especifico para o transtorno da personalidade narcisista e apenas são empregados medicamentos para tratamento dos transtornos comorbidos.

Em geral, é feita psicoterapia em que ocorre: exame do significado do sucesso; consciência de limites e perspectiva dos outros; exame das crenças sobre valor pessoal e emoções e desenvolvimento de alternativas construtivas.

Prognóstico:

Atualmente sabemos que a psicoeducação, ou seja, conhecer mais e mais sobre seu transtorno, é fundamental para adesão ao tratamento, para ajudar na convivência com os familiares, colegas de trabalho e cônjuge. Entendemos também que possivelmente pacientes com transtorno de personalidade narcisista terão a psicoterapia como o principal norteador do tratamento de longo prazo.

Complicações:

A maior complicação possível em quadros de transtorno da personalidade narcisista é a presença de outros transtornos psiquiátricos como outros transtornos de personalidade, quadros de depressão, ansiedade, psicose e uso de substâncias precisam ser identificados pelos profissionais de saúde, o que muitas vezes pode ser difícil quando o transtorno de personalidade narcisista está mais intenso, agudo e se sobressai nas avaliações.

Transtorno de personalidade narcisista tem cura?

Os indivíduos com transtorno da personalidade narcisista podem ter dificuldades especiais no ajustamento ao início das limitações físicas e ocupacionais inerentes ao processo de envelhecimento. Assim, com o tratamento adequado pode ocorrer uma melhora importante das disfunções emocionais e relacionais do paciente.

Prevenção:

A identificação de traços de personalidade narcisista e oferta psicoterapia individual e de grupo antes de um agravamento do quadro pode ser fundamental para impedir uma progressão para o transtorno propriamente dito. Além disso a prevenção e o tratamento dos outros transtornos psiquiátricos é fundamental para proteção desses pacientes com traços de personalidade narcisista que são identificados.

Lucas Gabriel Maltoni Romano, psiquiatra e especialista em Terapia Comportamental (CRM-SP 144.397).

CATALDO NETO, Alfredo; GAUER, Gabriel José Chittó; FURTADO, Nina Rosa. Psiquiatria para estudantes de medicina. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

American Psychiatric Association (2000). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (revista 4th ed. ) . Washington , DC: . Autor

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.