Terçol Icone para edição

O terçol é uma inflamação que ocorre quando alguma das glândulas presentes na borda das pálpebras ficam entupidas ou são infectadas por uma bactéria.

O nome correto do problema o hordéolo, e ocorre quando a inflamação é especificamente nas glândulas Zeiss e Mol, que ficam na região mais externa da pálpebra.

Quando a inflamação ocorre na glândula mais interna (chamada de Meibomius), é um calázio, que normalmente é um cisto não infeccioso e causa sintomas menos dolorosos, apesar de só ser retirado com cirurgia.

Essas três glândulas são responsáveis pela produção da gordura que é incorporada à lágrima e impede que ela se evapore com facilidade dos olhos, mantendo-os hidratados.

Sintomas:

A característica mais marcante do terçol é o inchaço na pálpebra, que pode ocorrer na parte de cima ou de baixo dos olhos. Muitas vezes, esse inchaço pode ter uma pontinha amarela, que indica a presença de pus.

Outros sintomas de terçol comuns são:

  • Dor local
  • Calor e vermelhidão
  • Sensação de corpo estranho
  • Visão embaçada
  • Lacrimejamento
  • Fotofobia.

Se o terçol for muito grande, ou houver mais de um, ele pode influenciar na curvatura da superfície da córnea, causando um leve astigmatismo que costuma ser solucionado no fim do quadro. No entanto, isso ocorre mais comumente em casos de calázio.

Diagnóstico:

O diagnóstico do hordéolo é feito através do exame clínico e com a lâmpada de fenda, instrumento comum no consultório oftalmológico, em que o especialista consegue analisar o olho do paciente com o auxílio de uma luz de alta intensidade e um microscópio.

Tratamento:

Normalmente o quadro do terçol se revolve sozinho e raramente medicamentos são indicados: só em casos muito graves. Veja os tratamentos e cuidados caseiros para o terçol:

As compressas são muito recomendadas pelos especialistas para ajudar na reabsorção das substâncias acumuladas nas glândulas da pálpebra.

Alguns especialistas recomendam especificamente o uso de bolsas de água aquecidas. No entanto, outros dizem que você pode usar gazes ou algodões umidecidos.

O ideal é aplicar essas compressas entre três a quatro vezes ao dia, por cerca de 20 minutos.

Apenas tome cuidado com a temperatura da água, pois a pele da pálpebra é sensível e pode se queimar.

Os colírios ajudam a melhorar o aspecto da região, deixando-a menos inchada e são passados pelo oftalmologista.

Caso o terçol apareça evite:

  • Espremer o inchaço, pois isso pode agravar a infecção, já que a mão contém diversas bactérias
  • Usar maquiagem nos olhos, pois ela pode aumentar o entupimento da glândula
  • Usar lentes de contato, pois alguns terçóis podem soltar pus e infectar a lente para usos futuros.

Complicações:

O terçol, quando não tratado corretamente, pode causar inflamações mais graves nos olhos, chamadas de celulites. Eles também podem formar abcessos, que acabam levando a necrose do tecido da região e até o surgimento de cicatrizes.

Terçol tem cura?

Normalmente o quadro do terçol se resolve entre sete e quinze dias. Caso isso não aconteça, é importante buscar um médico.

Prevenção:

A prevenção do terçol depende das causas e fatores de risco de cada um. Se a pessoa tem blefarite, por exemplo, ela pode prevenir o terçol fazendo a higienização correta dos olhos, com produtos específicos.

Já uma pessoa com excesso de oleosidade na pele pode procurar um dermatologista para entender as causas e então tratar o problema, o que pode envolver inclusive mudanças na dieta.

Adelmo de Jesus, oftalmologista do Visão Institutos, em Brasília

Marcelo Cavalcante, oftalmologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

Rita de Cássia Obeid, oftalmologista do Hospital CEMA de São Paulo

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.