Sopro no coração Icone para edição

Sopro no coração é o nome de um ruído que pode ser ouvido ("auscultado", em termo técnico) do peito durante um exame físico. O sopro no coração é resultado de sangue passando através de um orifício menor do que deveria. Parece o barulho de alguém soprando no seu ouvido ou uma fresta de janela aberta.

O sopro acontece quando alguma válvula cardíaca (temos quatro) esta com o orifício de passagem reduzido (estenose) ou quando ela não fecha direito e deixa o sangue voltar por um furinho (insuficiência). Um sopro no coração por si só não é uma doença, mas indica que tem algum problema com a saúde do coração.

O sopro no coração pode ser congênito ou aparecer com a idade avançada, por degeneração de alguma válvula. Pode acontecer também como sequela de endocardite ou após infarto, por lesão de válvula ou do musculo cardíaco. Algumas vezes o sopro no coração é funcional, como em casos de febre e estados hiperdinâmicos, e some quando se corrige a causa de aceleração do sangue.

Sintomas:

Se você tem um sopro no coração inofensivo, provavelmente não terá quaisquer outros sinais ou sintomas.

Um sopro cardíaco anormal pode causar outros sinais óbvios, além do som incomum que seu médico ou médica ouve pelo estetoscópio. Confira os sinais que, juntamente com um sopro cardíaco, podem indicar um problema do coração:

  • Pele azulada, especialmente nas pontas dos dedos e lábios
  • Inchaço ou ganho de peso repentino
  • Falta de ar
  • Tosse crônica
  • Fígado inchado
  • Veias do pescoço aumentadas
  • Falta de apetite
  • Problemas de crescimento (em crianças)
  • Transpiração intensa com o mínimo ou nenhum esforço
  • Dor no peito
  • Tontura
  • Desmaio.

Diagnóstico:

A maioria dos sopros cardíacos é entrada durante as visitas médicas regulares. Com o estetoscópio, o médico ou médica pode ouvir cada parte do batimento cardíaco, incluindo os sons extras, ou sopros, que podem estar lá.

Se houver um sopro no coração, o médico ou médica irá avaliar o tipo de som e qual sua altura. Ele ou ela também irá procurar por sinais de outros sintomas, como falta de ar, tontura, batimento cardíaco rápido ou irregular e acúmulo de líquido nas pernas ou nos pulmões.

Podem ser feitos alguns testes adicionais, como:

  • Ecocardiograma
  • Eletrocardiograma
  • Radiografia de tórax
  • Cateterismo cardíaco.

Tratamento:

Um sopro no coração normal geralmente não requer tratamento. Se você ou seu filho tem um sopro cardíaco anormal, o tratamento pode também não ser necessário.

No entanto, em alguns casos, pode ser que o sopro no coração necessite de tratamento adequado. Isso depende do que está causando o sopro cardíaco.

Alguns medicamentos que o médico ou médica pode receitar incluem:

  • Digoxina, um medicamento que ajuda o coração a bater com mais força
  • Anticoagulantes, para evitar a formação de coágulos no coração
  • Diuréticos, para remover o excesso de fluidos do seu corpo, o que pode ajudar a tratar outras condições, como pressão arterial elevada
  • Inibidores de ECA baixar a pressão arterial
  • Estatinas, para ajudar a diminuir o colesterol
  • Betabloqueadores, para diminuir a frequência cardíaca e pressão arterial.

As opções cirúrgicas também dependem do problema cardíaco específico. Embora possa ser necessária uma cirurgia de coração aberto. Exemplos de processos incluem:

  • Remendar um buraco em seu coração
  • Fixação ou substituição de uma válvula

Às vezes, a causa do sopro cardíaco é tratada através da inserção de um cateter através de uma artéria na virilha nas veias de seu coração para tratar sua condição, num procedimento chamado cateterismo cardíaco.

Prevenção:

A maioria dos sopros cardíacos são normais, e não há nada que possa ser feito para impedir seu aparecimento. A maioria dos sopros anormais também não pode ser prevenida. Eles são geralmente causados por infecções ou doenças congênitas.

O que você pode fazer é cuidar bem do seu coração com um estilo de vida saudável. Isso inclui:

  • Comer alimentos saudáveis
  • Fazer exercícios regulares
  • Controlar pressão arterial e colesterol
  • Não fumar
  • Ingerir bebida alcoólica com moderação.

Bruno Valdigem, cardiologista especialista do Portal Minha Vida - CRM 118535

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Cardiologia

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.