Movimentos involuntários Icone para edição

Movimentos involuntários são aqueles que acontecem sem que a pessoa consiga ter controle sobre eles. Alguns fazem parte do nosso funcionamento normal, como o batimento cardíaco e o movimento dos intestinos, mas podem acontecer outros que não são naturais. Eles acometem praticamente todas as partes do corpo, como pescoço, rosto, braços, pernas e tronco, que podem se mover isoladamente ou em conjunto. Um dos movimentos involuntários mais comuns é o tremor.

São vários os tipos de movimentos involuntários, dependendo daquilo que os está ocasionando. É possível que aconteçam movimentos abruptos ou mais lentos, em todo o corpo, sem que a pessoa consiga impedi-los.

Tipos:

Existem vários tipos de movimentos involuntários e apenas o especialista poderá diagnosticar o tipo, a causa e dizer qual será o tratamento mais efetivo para cada paciente. Contudo, dois dos tipos mais comuns de movimentos involuntários são as distonias e as coreias.

As distonias são contrações musculares involuntárias mais lentas, que levam a movimentos repetitivos, além de rotação do corpo ou de um segmento corporal, sendo que normalmente seguem um padrão. Elas podem evoluir fazendo com que a pessoa fique com postura anormal por longos períodos de tempo.

Já as coreias, acontecem sem um padrão, geralmente com movimentos contínuos persistindo por todo o período de tempo. Só melhoram quando a pessoa dorme. Eles são movimentos abruptos, não rítmicos, rápidos e parecem fluir de uma área do corpo para outra.

Na consulta médica

O neurologista é o médico mais indicado para diagnosticar movimentos involuntários ou incontroláveis.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar tempo. Dessa forma, você já pode chegar ao consultório com algumas informações:

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes de sair do consultório.

Revisado por Henrique Ballalai Ferraz, neurologista membro do Departamento Científico de Transtornos do Movimento da Academia Brasileira de Neurologia. CRM: SP – 44250.

Instituto Neurológico de Nova York

Healthline

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.