MERS Icone para edição

Com sua origem no Oriente Médio, MERS é uma doença respiratória causada por um coronavírus, chamado MERS-Cov. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 27% das pessoas infectadas morrem. MERS é uma sigla para Síndrome Respiratória do Oriente Médio (do inglês, Middle East Respiratory Syndrome).

Um vírus do mesmo tipo afetou o continente asiático em 2003, causando uma pneumonia chamada de SARS. Ela começou a se disseminar por meio de um corona vírus que veio dos animais, atingiu o homem e no homem desenvolveu a capacidade de se transmitir entre pessoas. O MERS tem um mecanismo semelhante.

O surto de SARS ocorreu principalmente na China. A doença foi controlada, terminando com 8 mil casos em todo o mundo e cerca de 700 mortes. Os especialistas ainda não sabem se a MERS irá se manifestar da mesma forma, se com mais ou menos intensidade.

Assim como a SARS, a suspeita é de que a MERS tenha chegado aos humanos através de um animal. Ainda não se sabe de qual animal o MERS veio - o palpite mais certo é que veio de um morcego ou outros animais mais próximos do homem. A única referência se tem hoje de infecção por MERS em animais são nos camelos do Oriente Médio, mas ainda não é certeza de que eles foram os responsáveis por contaminar serem humanos ou se foram vítimas do contágio por outro animal, assim como nós.

Sintomas:

Os principais sintomas de MERS são:

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade pra respirar
  • Falta de ar
  • Mal estar.

Diagnóstico:

Todos os casos de infecção respiratória vindos da Península Arábica devem ser colocados em quarentena.

Para o estabelecimento do diagnóstico, deve-se obter amostras de secreções das vias aéreas inferiores e buscar a presença do vírus nas mucosas. Hoje em dia esse é o único meio de obter o diagnóstico acertivo para MERS.

Tratamento:

Não há vacina ou tratamento específico para MERS. O que os médicos e enfermeiros fazem hoje é tratar os sintomas, com medicamentos para febre e aparelhos para ajudar na respiração. Atualmente, o que se pode fazer é esperar o próprio corpo combater o vírus.

Complicações:

A maior complicação do MERS é seu alto risco de morte. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 27% dos infectados não resistem ao vírus. Sem um tratamento direcionado, as chances desse tipo de complicação são maiores.

Prevenção:

Ainda não existe vacina para prevenir MERS. A Organização Mundial de Saúde e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA não que as pessoas mudam seus planos de viagem por causa da propagação do vírus. No entanto, aqueles que se dirigem ao Oriente Médio devem tomar medidas comumente conhecidas para prevenir doenças respiratórias, tais como lavar as mãos, cobrindo o nariz e a boca quando espirrar ou tossir e evitar pessoas doentes. Não esfregar as mãos sujas nos olhos ou boca também é uma recomendação.

Stefan Cunha Ujvari, infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Organização Mundial de Saúde

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.