Lúpus Icone para edição

O lúpus eritematoso sistêmico (LES), conhecido popularmente apenas como lúpus, é uma doença autoimune que pode afetar principalmente pele, articulações, rins, cérebro mas também todos os demais órgãos.

Doenças autoimunes ocorrem quando o sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo por engano. Dentre mais de 80 doenças autoimunes conhecidas, o lúpus é uma das mais importantes.

Uma doença autoimune é uma condição que ocorre quando o sistema imunológico ataca e destrói tecidos saudáveis do corpo por engano.

As causas das doenças autoimunes ainda não são conhecidas. A teoria mais aceita é que fatores externos estejam envolvidos na ocorrência dessa condição, principalmente quando há predisposição genética e o uso de alguns medicamentos.

A maioria das doenças autoimunes são crônicas, mas muitas podem ser controladas com tratamento. Os sintomas das doenças autoimunes podem aparecer e desaparecer continuamente.

No Brasil, não dispomos de números exatos, mas as estimativas indicam que existam cerca de 65.000 pessoas com lúpus, sendo a maioria mulheres. Acredita-se assim que uma a cada 1.700 mulheres no Brasil tenha a doença. (3)

Diagnóstico:

É difícil realizar o diagnóstico para lúpus, pois os sintomas variam muito de pessoa para pessoa, mudam com o passar de tempo, sobrepõem-se uns aos outros e confundem-se com os sintomas de outras doenças.

Não existe nenhum teste específico para diagnosticar o lúpus. A combinação de testes de sangue e urina, sintomas encontrados no exame físico conduzem ao diagnóstico.

Tratamento:

Existe tratamento mas não há cura definitiva para o lúpus, assim como outas doenças como diabetes e pressão alta. O principal objetivo do tratamento é controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas com a doença.

A doença branda pode ser tratada com:

Sintomas graves ou que acarretem risco de morte (como a anemia hemolítica, amplo envolvimento cardíaco ou pulmonar, doença renal ou envolvimento do sistema nervoso central) frequentemente necessitam de um tratamento mais agressivo com especialistas.

O tratamento para lúpus mais grave inclui:

Especialista responde: Uma pessoa diagnosticada com Lúpus Eritematoso Sistêmico precisa de tratamento multidisciplinar?

Lúpus tem cura?

A medicina ainda não desenvolveu um método para curar o lúpus. Contudo, o prognóstico do lúpus é melhor hoje do que nunca. Com acompanhamento e tratamento próximos, 80-90% das pessoas com lúpus podem viver uma vida normal.

Complicações:

Se não tratado corretamente, o lúpus pode causar complicações graves a diversos órgãos importantes do nosso corpo. Veja:

A falência dos rins está entre as principais causas de morte por complicações de lúpus. Irritação, coceira generalizada, dores no peito, náuseas, vômito e edemas estão entre os sintomas de que o lúpus chegou aos rins.

Você pode apresentar alguns sintomas específicos se o cérebro tiver sido afetado, como dor de cabeça, confusão, tontura, mudanças de comportamento, alucinações, derrames cerebrais (AVC) e convulsões.

Anemia, aumento no risco de sangramentos e inflamação dos vasos (vasculite) estão entre as principais complicações possíveis decorrentes de lúpus.

Lúpus também pode levar à pleurisia, que pode causar dor durante a respiração.

Pode ocorrer também a inflamação dos músculos do coração e artérias e pericardite. As chances de ter um ataque cardíaco e outras doenças cardiovasculares também aumentam significativamente.

Ter lúpus também pode acarretar em outros problemas, como:

Prognóstico:

Se você tem lúpus, é importante ter cuidados com a saúde, especialmente com a saúde do coração, a fim de prevenir problemas cardíacos mais graves no futuro. Além disso, é igualmente importante fazer uma análise frequente da imunização e testes para verificar também a saúde dos ossos (presença ou não de osteoporose) e outras doenças.

A psicoterapia e os grupos de apoio podem ajudar a aliviar a depressão e as alterações no humor que venham a ocorrer em pacientes com a doença.

Siga algumas dicas também que podem melhorar sua qualidade de vida e ajudar no tratamento:

A recuperação do indivíduo depende da gravidade da doença. O resultado para pessoas com lúpus melhorou nos últimos anos.

Se você tem lúpus, é provável que tenha uma série de sentimentos dolorosos sobre sua condição, do medo à extrema frustração. Os desafios de viver com lúpus aumentam o risco de depressão e problemas de saúde mental relacionados, como ansiedade, estresse e baixa auto-estima. Para ajudá-lo a lidar com lúpus, tente seguir os seguintes passos:

- Saiba tudo o que puder sobre lúpus: Anote todas as dúvidas que você tiver sobre o lúpus para que você possa perguntar ao médico na próxima consulta. Quanto mais você sabe sobre o lúpus, mais confiante você sentirá em suas escolhas de tratamento.

- Converse com seus amigos e familiares: Fale sobre lúpus com seus amigos e familiares e explique maneiras de ajudar quando você está tendo crises. O lúpus pode ser frustrante para seus familiares porque geralmente não conseguem vê-lo, e você pode não parecer doente.

- Tome tempo para você: Lide com o estresse em sua vida tomando tempo para você. Use esse tempo para ler, meditar, ouvir música ou escrever em um diário. Encontre atividades que acalmam e renovem você.

- Conecte-se com pessoas que têm lúpus: Você pode se conectar com outras pessoas que têm lúpus através de grupos de suporte em sua comunidade ou através de fóruns de mensagens online. Outras pessoas com lúpus podem oferecer um apoio único porque enfrentam muitos dos mesmos obstáculos e frustrações que você enfrenta.

Prevenção:

Não há formas conhecidas para se prevenir lúpus.

(1) Ministério da Saúde

(2) Associação Brasileira Superando Lúpus

(3) Sociedade Brasileira de Reumatologia

(4) National Resource Center on Lupus

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.