Isquemia cardíaca

O que é Isquemia cardíaca?

Todos os nossos órgãos têm artérias responsáveis por transportar o sangue, que irriga e nutre todas as partes do nosso corpo. Quando algum dos órgãos não está recebendo sangue suficiente para levar nutrientes a ele, acontece a isquemia. A isquemia pode ocorrer no coração, nos rins ou em qualquer outro órgão.

A isquemia miocárdica, também conhecida como isquemia cardíaca, ocorre quando o fluxo sanguíneo para o coração é reduzido, impedindo que ele receba oxigênio suficiente. O fluxo sanguíneo reduzido é geralmente o resultado de um bloqueio parcial ou total das artérias do seu coração (artérias coronárias).

A condição pode danificar o músculo cardíaco, reduzindo sua capacidade de bombear eficientemente. Um bloqueio súbito e grave de uma artéria coronária pode levar a um ataque cardíaco. Além disso, a isquemia cardíaca também pode causar graves ritmos cardíacos anormais.

Tipos

Quando o coração começa a receber menos sangue, um dos sintomas é a angina (dor no peito). Esse pode ser então um sinal que está havendo uma isquemia do coração, ou seja, uma artéria pode estar entupida.

A isquemia cardíaca pode ser dividida em diferentes tipos de dor:

A angina estável é a mais comum e uma das mais fáceis de ser percebida. Normalmente ela age de forma regular, ou seja, segue um padrão. A dor intensa ataca quando o coração está trabalhando de maneira mais forte do que o usual e pode ser desencadeada pelo esforço físico e pelo estresse. Esse tipo de angina dura cerca de 3 a 15 minutos.

A angina instável se diferencia dos demais tipos de angina por ser uma dor que acontece repentinamente e se torna pior com o tempo. Ela ocorre sem uma causa específica, por exemplo, a pessoa pode estar dormindo e de repente sentir os sintomas. O agravante é que a angina instável pode levar a um ataque do coração. Por esta razão um ataque de angina deve ser tratado como uma emergência médica e, ao sentir os sintomas, o paciente deve procurar um pronto socorro.

A isquemia silenciosa é uma das condições mais perigosas, devido ao fato do paciente não apresentar dor, podendo inclusive causar um ataque cardíaco sem aviso prévio. Além disso, pessoas que tiveram ataques cardíacos anteriores ou que tiveram diabetes estão especialmente em risco de desenvolver isquemia silenciosa.

Causas

A isquemia cardíaca ocorre quando o fluxo sanguíneo através de uma ou mais de suas artérias coronárias está diminuído. O baixo fluxo sangüíneo diminui a quantidade de oxigênio que o músculo cardíaco recebe.

A isquemia pode se desenvolver lentamente à medida que as artérias ficam bloqueadas ou podem também ocorrer rapidamente quando uma artéria é bloqueada repentinamente.

Condições que podem causar isquemia cardíaca incluem:

  • Doença arterial coronariana (aterosclerose): Placas compostas, principalmente de gordura, se acumulam nas paredes das artérias e restringem o fluxo sangüíneo. A aterosclerose é a causa mais comum de isquemia miocárdica
  • Coágulo sanguíneo: As placas que se desenvolvem na aterosclerose podem se romper, causando um coágulo sanguíneo. O coágulo pode bloquear uma artéria e levar à isquemia miocárdica súbita e severa, resultando em um ataque cardíaco. Raramente, um coágulo sanguíneo pode se transportar para a artéria coronária de outras partes do corpo
  • Espasmo da artéria coronária: Essa contração temporária dos músculos na parede da artéria pode diminuir ou até mesmo impedir o fluxo sanguíneo para parte do músculo cardíaco. O espasmo da artéria coronária é uma causa incomum de isquemia miocárdica.

A dor torácica associada à isquemia cardíaca pode ser desencadeada por:

  • Esforço físico
  • Estresse emocional
  • Temperaturas frias
  • Uso de drogas.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco são:

  • Colesterol alto
  • Tabagismo
  • Pressão arterial alta
  • Diabetes
  • Excesso de peso
  • Falta de exercícios
  • Má alimentação.

Além disso, se o paciente tem pai ou mãe que morreu com menos de 55 ou 65 anos, respectivamente, por infarto, essa informação chama atenção para predisposição genética.

Sintomas de Isquemia cardíaca

Algumas pessoas que apresentam isquemia não apresentam sinais ou sintomas, como quem sofre com isquemia silenciosa. No entanto, os principais sintomas de isquemia cardíaca são:

  • Dores no peito
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Falta de ar ao fazer exercícios
  • Náusea e vômitos
  • Dor ao andar
  • Dificuldade para urinar
  • Isquemia cerebral
  • Fadiga
  • AVC.

Saiba mais: 6 sinais que o corpo dá semanas antes de um infarto

Buscando ajuda médica

Se o paciente sente dor no peito, falta de ar, sudorese, fala alterada, cansaço para andar, perna fria ou tem suspeita de acidente vascular cerebral (AVC), deve procurar um serviço médico imediatamente.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a isquemia são:

  • Clínico geral
  • Cardiologista
  • Neurologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais são seus sintomas e quando eles começaram?
  • Quão severos são seus sintomas? Eles são ocasionais ou contínuos?
  • Alguma coisa melhora ou piora seus sintomas?
  • Você tem um histórico familiar de doença cardíaca, pressão alta ou colesterol alto?
  • Você fuma ou fumava?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para isquemia, algumas perguntas básicas incluem:

  • Qual é a causa mais provável dos meus sintomas?
  • Quais testes eu preciso fazer Existe alguma preparação especial para eles?
  • Que tipos de tratamentos eu precisarei?
  • Devo fazer alguma mudança de estilo de vida?
  • Com que frequência devo fazer exames para doenças cardíacas?
  • Eu tenho outros problemas de saúde. Como posso gerenciar melhor essas condições juntos?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Saiba mais: Entenda o que é e conheça os riscos da insuficiência cardíaca

Diagnóstico de Isquemia cardíaca

A isquemia cardíaca é diagnosticada por meio de uma entrevista detalhada sobre o histórico do paciente, mais exames específicos, como eletrocardiograma, teste ergométrico (teste da esteira), ou mais sofisticados, como mapeamento do coração e até cateterismo. Pode-se ainda solicitar tomografia, angiografia dos vasos do cérebro ou ultrassom doppler.

Exames

Os principais exames para diagnosticar a isquemia são:

  • Eletrocardiograma (ECG): A atividade elétrica do seu coração é registrada através de eletrodos conectados à sua pele. Certas anormalidades na atividade elétrica do coração podem indicar isquemia miocárdica
  • Ecocardiograma: Ondas sonoras direcionadas para o seu coração a partir de um dispositivo tipo varinha preso ao seu peito produzem imagens de vídeo do seu coração. Um ecocardiograma pode ajudar a identificar se uma área do seu coração foi danificada e não está bombeando normalmente
  • Exame nuclear: Pequenas quantidades de material radioativo são injetadas em sua corrente sanguínea. Enquanto você se exercita, o traçador é monitorado conforme flui através de seu coração e pulmões - permitindo que problemas de fluxo de sangue sejam identificados
  • Angiografia coronária: Um corante é injetado nos vasos sanguíneos do seu coração. Uma máquina de raios X, em seguida, leva uma série de imagens (angiogramas), oferecendo uma visão detalhada do interior de seus vasos sanguíneos
  • Tomografia computadorizada: Este teste pode determinar se você tem calcificação da artéria coronária - um sinal de aterosclerose coronariana. As artérias do coração também podem ser vistas usando tomografia computadorizada (angiografia coronariana)
  • Teste de stress: Seu ritmo cardíaco, pressão arterial e respiração são monitorados enquanto você anda em uma esteira ou andar de bicicleta estacionária. O exercício faz seu coração bombear mais e mais rápido do que o normal, então um teste de estresse pode detectar problemas cardíacos que podem não ser notados de outra forma.

Tratamento de Isquemia cardíaca

O tratamento mais frequente é o cateterismo, podendo ser colocado tanto no coração como nos vasos do cérebro, na aorta ou outras grandes artérias, como as que vão para pernas. A mudança de hábitos de vida e adoção de uma rotina saudável é fundamental para o tratamento, pois desacelera o processo.

Às vezes, o tratamento mais agressivo é necessário para melhorar o fluxo sanguíneo. Procedimentos que podem ajudar incluem:

  • Angioplastia e implante de stent: Um tubo longo e fino (cateter) é inserido na parte estreita de sua artéria. Um fio com um pequeno balão é inserido na área estreita e inflado para alargar a artéria. Uma pequena bobina de malha de arame (stent) é normalmente inserida para manter a artéria aberta
  • Cirurgia de revascularização miocárdica: Um cirurgião usa um vaso de outra parte do seu corpo para criar um enxerto que permite que o sangue flua em torno da artéria coronária bloqueada ou estreitada. Este tipo de cirurgia de coração aberto é geralmente usado apenas para pessoas que têm várias artérias coronárias estreitadas.

Medicamentos para Isquemia cardíaca

Os medicamentos para tratar a isquemia cardíaca incluem:

  • Aspirina: Uma aspirina diária ou outro anticoagulante pode reduzir o risco de coágulos sanguíneos, o que pode ajudar a prevenir a obstrução de suas artérias coronárias. Pergunte ao seu médico antes de começar a tomar aspirina, porque pode não ser apropriado se você tem um distúrbio de sangramento ou se você já está tomando outro sangue mais fino
  • Nitratos: Estes medicamentos abrem temporariamente as artérias, melhorando o fluxo sanguíneo de e para o coração. Melhor fluxo sanguíneo significa que seu coração não precisa trabalhar tão duro
  • Bloqueadores beta: Esses medicamentos ajudam a relaxar o músculo cardíaco, diminuem o ritmo cardíaco e diminuem a pressão sanguínea para que o sangue possa fluir para o coração com mais facilidade
  • Bloqueadores dos canais de cálcio: Esses medicamentos relaxam e ampliam os vasos sanguíneos, aumentando o fluxo sanguíneo em seu coração. Os bloqueadores dos canais de cálcio também diminuem sua pulsação e reduzem a carga de trabalho em seu coração
  • Medicamentos redutores de colesterol: Estes medicamentos diminuem o material primário que deposita nas artérias coronárias
  • Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA): Estes medicamentos ajudam a relaxar os vasos sanguíneos e baixar a pressão arterial. Seu médico pode recomendar um inibidor da ECA se você tiver pressão alta ou diabetes além da isquemia miocárdica
  • Ranolazina: Este medicamento ajuda a relaxar as artérias coronárias para aliviar a angina. A ranolazina pode ser prescrita com outros medicamentos para angina, como bloqueadores dos canais de cálcio, betabloqueadores ou nitratos.

Isquemia cardíaca tem cura?

O maior objetivo no atendimento do paciente com isquemia aguda, é iniciar o tratamento o mais rápido possível, para preservar o máximo de tecido miocárdico, e consequentemente proporcionar qualidade de vida ao paciente.

Complicações possíveis

A isquemia cardíaca pode levar a complicações sérias, incluindo:

  • Ataque cardíaco: Se uma artéria coronária ficar completamente bloqueada, a falta de sangue e oxigênio pode levar a um ataque cardíaco que destrói parte do músculo cardíaco. O dano pode ser sério e às vezes fatal
  • Ritmo cardíaco irregular (arritmia): Um ritmo cardíaco anormal pode enfraquecer o seu coração e pode ser fatal
  • Insuficiência cardíaca: A isquemia miocárdica pode danificar o músculo cardíaco, reduzindo sua capacidade de bombear o sangue para o resto do corpo. Com o tempo, esse dano pode levar à insuficiência cardíaca.

Saiba mais: Conheça as 4 doenças do coração que mais matam e como preveni-las

As doenças que mais matam no mundo ocidental são as isquêmicas – infarto e AVC. No Brasil, por ano, 1 milhão de pessoas morrem por essas causas. Desses, 1/3 são por doenças cardiovasculares e, destas, as principais são o infarto e o AVC. Portanto, é essencial que as pessoas se cuidem.

Convivendo/ Prognóstico

Quando o paciente já tem a doença instalada é possível controlar e reduzir os fatores de risco com ótimos medicamentos. Além disso, é imprescindível adotar hábitos de vida mais saudáveis.

Para seguir um estilo de vida saudável para o coração:

  • Pare de fumar: Converse com seu médico sobre estratégias de cessação do tabagismo. Tente também evitar o fumo passivo
  • Gerencie condições de saúde subjacentes: Trate doenças ou condições que possam aumentar o risco de isquemia miocárdica, como diabetes, pressão alta e colesterol alto
  • Experimente seguir um dieta saudável: Limite a gordura saturada e coma muitos grãos integrais, frutas e legumes. Conheça os seus números de colesterol e pergunte ao seu médico se os reduziu ao nível recomendado
  • Faça exercícios: Converse com seu médico sobre como iniciar um plano de exercícios seguro para melhorar o fluxo sanguíneo para o coração
  • Mantenha um peso saudável: Se você está com excesso de peso, converse com seu médico sobre as opções de perda de peso
  • Diminua o estresse: Pratique técnicas saudáveis: para controlar o estresse, como relaxamento muscular e respiração profunda.

Prevenção

Para prevenir a isquemia é preciso:

  • Manter a glicemia até 99gr/dl, o colesterol LDL menor que 100mgr/dl e a pressão abaixo de 130x80 – ou menos se tiver outro fator de risco
  • Não fumar e não ficar em ambientes com pessoas que fumam
  • Manter peso próximo do ideal de acordo com o IMC
  • Caminhar ou correr de forma moderada todo dia por 40 minutos
  • Visitar seu médico pelo menos uma vez por ano.

(1) Antonio Baruzzi, cardiologista e intensivista do Hospital TotalCor

(2) Nelson Hossne Jr., cirurgião cardíaco.

(3) Pedro Gregorio Mekhitarian, cardiologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

(4) Mayo Clinic. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/myocardial-ischemia/symptoms-causes/syc-20375417

(5) American Heart Association. Disponível em: http://www.heart.org/HEARTORG/Conditions/HeartAttack/TreatmentofaHeartAttack/Silent-Ischemia-and-Ischemic-Heart-Disease_UCM_434092_Article.jsp#.WvsbsYgvzIU

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.