Hérnia umbilical Icone para edição

Hérnia umbilical é uma protuberância anormal que pode ser vista ou sentida na região do umbigo. Esse tipo de hérnia se desenvolve quando uma porção do revestimento do abdômen, de parte do intestino e/ou fluido do abdômen se acumula através do músculo da parede abdominal.

Comum em bebês, a hérnia surge exatamente no local da cicatriz umbilical, geralmente, quando uma alça intestinal atravessa o tecido muscular. Baixo peso ao nascer e prematuros também são mais propensos a ter uma hérnia umbilical. As hérnias umbilicais são comuns, ocorrendo em 10 a 20% de todas as crianças.

Sintomas:

As hérnias umbilicais geralmente podem ser vistas quando o bebê está chorando, rindo ou esforçando-se para usar o banheiro. O sintoma revelador é um inchaço ou protuberância perto da cicatriz umbilical.

Uma hérnia umbilical geralmente pode ser vista depois que o coto umbilical cai, dentro de algumas semanas após o nascimento. Mas, algumas crianças não apresentam hérnia até que estejam um pouco mais velhas.

As hérnias umbilicais podem variar em tamanho. Elas raramente são maiores do que 2,5 cm de diâmetro. A maioria das crianças não sente a dor da hérnia.

Os adultos podem obter hérnias umbilicais também. O sintoma principal será o mesmo inchaço ou protuberância perto da área do umbigo.

Diagnóstico:

O diagnóstico de hérnia umbilical geralmente é feito apenas observando a aparência do umbigo da criança ou adulto. Para verificar a forma e tamanho da hérnia, o médico ou médica pode apertá-la e puxá-la.

Tratamento:

A maioria das hérnias umbilicais em bebês se fecha por conta própria dentro de aproximadamente 18 meses. O médico ou médica pode até mesmo ser capaz de empurrar a protuberância de volta para o abdômen durante um exame físico.

Para as crianças, a cirurgia é normalmente reservada para hérnias umbilicais que:

  • São dolorosas
  • São maiores do que 1,5 centímetros de diâmetro
  • Não diminuem de tamanho após seis a 12 meses
  • Não desaparecem até os três anos de idade
  • Se prendem aos intestinos ou causam bloqueio.

Para os adultos, a cirurgia é normalmente recomendada para evitar possíveis complicações - especialmente se a hérnia umbilical fica maior ou se torna dolorosa.

Durante a cirurgia, uma pequena incisão é feita na base do umbigo. O tecido da hérnia é retornado para a cavidade abdominal e a abertura é costurada. Em termos gerais, o tratamento cirúrgico em adultos deve incluir o implante de uma prótese (tela) para reforço da área fragilizada.

Em geral, somente o procedimento cirúrgico é eficaz para tratar a hérnia. Qualquer outro recurso poderá, no máximo, atenuar os sintomas. Sem o tratamento adequado, a doença tende a progredir e corre o risco de exigir cirurgia de urgência.

Complicações:

As complicações da hérnia umbilical são muito raras em crianças. A complicação mais comum ocorre quando o tecido abdominal fica preso (encarcerado) e não pode mais em empurrado para dentro da cavidade abdominal. Essa condição reduz o fornecimento de sangue para a porção do intestino afetada, podendo ocorrer morte do tecido (gangrena). A infecção pode se espalhar por toda a cavidade abdominal, causando uma situação de risco de vida.

Os adultos com hérnia umbilical são um pouco mais propensos a experimentar o encarceramento ou obstrução dos intestinos. A cirurgia de emergência é normalmente necessária para o tratamento destas complicações.

Hérnia umbilical tem cura?

Uma vez que a hérnia está fechada, é pouco provável que reapareça. No entanto, o risco de recorrência é aumentado em pacientes que têm infecções no local após a cirurgia.

Prevenção:

Não é possível prevenir o aparecimento de hérnia umbilical.

  • Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal
  • Cincinnati Children’s Hospital Medical Center
  • Mayo Clinic.

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.