Febre Icone para edição

A febre é um aumento temporário da temperatura do seu corpo, muitas vezes devido a uma doença. Ter febre é um sinal de que algo fora do normal está acontecendo em seu corpo.

A febre é um fenômeno de defesa do organismo, quando sofre qualquer tipo de agressão. Tem como função, através do aumento da temperatura, melhorar o tempo de resposta das células do organismo, no sentido de destruir os invasores, geralmente vírus e bactérias. Ter febre é um sinal de que algo fora do normal está acontecendo em seu corpo e isto pode ocorrer em qualquer indivíduo, adulto ou criança.

A febre é sempre um motivo de preocupação, por ser um alerta de que alguma infecção pode estar se iniciando em nosso organismo.

Na grande maioria das vezes, através deste processo os invasores são eliminados antes de provocarem outros prejuízos ao nosso organismo. Em outras ocasiões este mecanismo pode falhar, iniciando-se uma infecção, que pode ser leve ou grave, dependendo da força do microorganismo e da imunidade do paciente.

Sintomas:

A febre acontece quando a temperatura sobe acima de sua faixa normal. O que é normal para você pode ser um pouco maior ou menor do que a temperatura média de 37°C.

Dependendo do que está causando a febre, sintomas adicionais podem incluir:

  • Suor
  • Tremedeira
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Perda de apetite
  • Desidratação
  • Fraqueza geral.

Febres altas entre 39,4°C e 41,1°C podem causar:

  • Alucinação
  • Confusão
  • Irritabilidade
  • Convulsão
  • Desidratação

Uma criança tem febre quando a temperatura é igual ou superior a um destes níveis:

  • Temperatura anal maior que 38 °C
  • Temperatura bucal maior do que 37,5 °C
  • Temperatura axilar maior do que 37,3 °C
  • Temperado no ouvido maior do que 38 °C.

Um sinal comum de febre em bebês é uma testa quente – mas isso não suficiente para diagnosticar febre. Bebês e crianças também podem sentir mais preguiça do que o normal.

Outros sintomas associados à febre em bebês e crianças incluem:

  • Falta de sono
  • Má alimentação
  • Falta de interesse em jogos
  • Letargia
  • Convulsão

Diagnóstico:

Embora a febre seja fácil de medir, determinar a sua causa pode ser difícil. Além de um exame físico, o médico ou médica pode pedir:

  • Exames de sangue
  • Raio-X de tórax.

Às vezes, você pode ter uma "febre de origem desconhecida". Em tais casos, a causa pode ser uma condição incomum ou não óbvia, tal como uma infecção crônica, doença do tecido conjuntivo, câncer ou outro problema.

Para bebês, especialmente aqueles que têm 28 dias ou menos, é possível que haja internação no hospital para descobrir as causas do sintoma.

Tratamento:

Os tratamentos variam de acordo com a causa da febre. Por exemplo, antibióticos seriam utilizados para uma infecção bacteriana, como faringite estreptocócica.

No geral, os tratamentos mais comuns para a febre incluem medicamentos como paracetamol, anti-inflamatórios não-esteroides e naproxeno.

Crianças e adolescentes não devem tomar ácido acetilsalicílico, uma vez que o consumo pode aumentar o risco de uma condição chamada síndrome de Reye.

Prognóstico:

Você pode tentar uma série de coisas para fazer você ou seu filho mais confortável durante uma febre:

Usar uma toalha úmida ou com uma bolsa térmica em temperatura mais fria no tronco e nos membros pode ajudar a diminuir a temperatura do corpo. Não há uma temperatura ideal, e geralmente a temperatura da água fria de uma torneira basta. Um bom indicador é colocar a mão na água e ver se você tolera aquela temperatura - essa é a temperatura ideal para resfriar a pele sem machucá-la. A medida só não é indicada quando o paciente se queixa de muito frio e poderia se sentir mal em contato com a umidade. É importante lembrar também que a aplicação prolongada de uma temperatura muito baixa, em seu ponto de congelamento, pode acabar resultando em queimadura da pele e até necrose do local.

A febre acelera os batimentos cardíacos, por isso o repouso é indicado, evitando sobrecarregar o organismo. O repouso é importante também por que a movimentação durante um processo febril pode ser extremamente desconfortável e pouco produtiva. Se o paciente não está no melhor de sua habilidade, pode acidentalmente sofrer uma queda ou acabar se machucando. Por isso, evite atividades que exigem muita força durante a febre e aguarde o quadro melhorar para retomar aos poucos a sua rotina. Nos primeiros dias após a febre você cansará muito fácil, mas isto melhora.

Uma boa ducha de água morna pode ajudar o paciente a recuperar a temperatura ideal. Mas porque não água muito fria? A temperatura muito baixa provoca uma vasoconstricção, em que o sangue se afasta da região periférica, impedindo assim a perda de água do organismo, mantendo então a temperatura mais alta.

Vale um moletom ou uma camiseta de algodão. O importante é vestir peças confortáveis. O algodão costuma ventilar melhor e reduz a sensação de desconforto, principalmente durante o sono quando o paciente pode suar excessivamente. Se você estiver usando peças sintéticas, o suor não será absorvido e sua pele pode ficar irritada, causando desconforto.

Tomar muita água e líquidos em geral, é essencial para baixar a temperatura do corpo e prevenir casos de desidratação. Isso porque o calor da febre faz você suar demais, havendo necessidade de repor os líquidos perdidos neste processo. Não é necessário ingerir mais água do que o recomendado normalmente - a pessoa deve beber segundo sua sede. No caso de crianças pequenas e bebês, líquidos devem ser ofertados com frequência. Observe se eles mantem fluxo urinário regular para certificar a hidratação.

Faça uma dieta leve, de digestão simples e adequada às suas preferências. Se for um paciente adulto ou jovem, não há grandes preocupações com a quantidade de alimento que será ingerida durante a febre. No entanto, se for uma pessoa com a saúde mais debilitada, como um idoso que tenha algum tipo de doenças, uma alimentação mais equilibrada pode ser determinante do curso da doença. No geral, o gasto calórico aumenta durante a febre, e por isso uma dieta um pouco mais rica em calorias pode beneficiar essas pessoas com a saúde mais comprometida.

Para tratar da febre, é preciso entendê-la e entender a sua origem. Se a causa da febre for simples, como uma gripe, e não muito alta (até 38 graus), não há razão para tratar de forma medicamentosa. No entanto, se ela estiver com dores pelo corpo, mal estar e outros sintomas, o uso de um antitérmico pode ajudar. Febres acima de 38,5 ou 39 graus costumam cursar com maior desconforto e são frequentemente medicadas, mas mesmo nestas temperaturas, se o paciente não referir desconforto, uma boa opção é observar sem medicar. Uma exceção deve ser feita no caso de crianças pequenas no qual a febre deve ser tratada para evitar a convulsão febril. Antitérmicos não são água e usá-los indiscriminadamente pode danificar seriamente a saúde de uma pessoa - por isso, antes de tomá-los, procure auxilio especializado. Se o medicamento já foi indicado anteriormente pelo médico em outra ocasião e a febre está incomodando, o paciente pode ser medicado - desde que encaminhado ao médico assim que possível para que a causa da febre seja investigada.

Complicações:

As complicações de uma febre podem incluir:

  • Desidratação grave
  • Alucinações
  • Convulsão induzida por febre (convulsão febril), em um pequeno número de crianças de seis meses a cinco anos.

Convulsões febris e perda de consciência geralmente envolvem tremedeira de membros em ambos os lados do corpo. Apesar de alarmante para os pais, a grande maioria das convulsões febris não causam efeitos duradouros.

Se uma convulsão ocorre:

  • Coloque seu filho de lado ou de bruços estômago no chão ou solo
  • Remova todos os objetos cortantes perto de seu filho
  • Afrouxe roupas apertadas
  • Segure o seu filho para evitar lesões
  • Não coloque nada na boca de seu filho.

A maioria das convulsões para por conta própria. Leve seu filho ao médico o mais cedo possível após o episódio para determinar a causa da febre.

Chame a emergência se uma convulsão durar mais do que 10 minutos.

Antonio Carlos Barbosa de Souza, clínico geral do Departamento de Clínica Médica da Associação Paulista de Medicina

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.