Embolia pulmonar Icone para edição

Embolia pulmonar é um bloqueio de uma ou mais artérias dos pulmões causada por gordura, ar, coágulo de sangue ou células cancerosas.

Sintomas:

Os sintomas de embolia pulmonar costumam variar, dependendo do número de bloqueios arteriais e quais partes do pulmão estão envolvidas. Os principais sintomas de embolia pulmonar são:

Dor sob o esterno ou em um lado deste, que pode:

  • Ser aguda ou penetrante
  • Ser descrita como uma sensação de queimação, dor, entorpecimento ou peso
  • Piorar quando o indivíduo respira fundo, tosse, come ou se curva
  • Fazer com que o paciente se curve ou segure o próprio peito em reação à dor.

Além disso, o paciente pode apresentar:

  • Tosse repentina, expectorar sangue ou escarro sangrento
  • Respiração rápida
  • Frequência cardíaca alta
  • Deficiência respiratória iniciada repentinamente.

Outros sintomas da embolia pulmonar que podem ocorrer:

  • Ansiedade
  • Coloração azulada da pele (cianose)
  • Pele fria e úmida
  • Tontura
  • Dor na perna, vermelhidão e inchaço
  • Tontura ou desmaio
  • Baixa pressão sanguínea
  • Sudorese
  • Respiração ofegante.

Diagnóstico:

Após o exame físico, o médico pedirá por alguns exames específicos para certificar-se de que se trata de um caso de embolia pulmonar, já que o diagnóstico é difícil de fazer com base somente na observação de sintomas. O especialista poderá pedir por:

  • Exames de sangue
  • Exames de imagem, como raio X da região do tórax, ultrassons, tomografia computadorizada e exame de ressonância magnética
  • Varredura de ventilação/perfusão pulmonar
  • Angiografia pulmonar
  • Ecocardiograma.

Tratamento:

O pronto-atendimento de embolia pulmonar é essencial para se evitar complicações. O tratamento pode ser feito via medicamentos, como anticoagulantes e trombolíticos, usados para dissolver coágulos sanguíneos.

Há, também, a opção de cirurgia para o caso de medicamentos não funcionarem. O paciente pode passar por procedimentos cirúrgicos em que há a remoção do coágulo de sangue ou, ainda, o uso de um cateter que funciona como um filtro e impede a passagem do coágulo proveniente da perna para o pulmão.

Complicações:

A embolia pulmonar pode ser fatal. Quando a doença é diagnosticada e tratada precocemente, no entanto, o número de embolias pulmonares fatais cai drasticamente.

A embolia pulmonar também pode conduzir à hipertensão pulmonar, uma condição em que a pressão arterial nos pulmões e no lado direito do coração é mais elevada que o normal. Quando há obstruções nas artérias dos pulmões, o coração tem de trabalhar mais para empurrar o sangue por esses vasos. Isso aumenta a pressão arterial dentro desses vasos e do coração e pode desgastar o órgão.

Em casos raros, pode ser que alguns pequenos êmbolos se desenvolvam dentro do pulmão, resultando em um caso de trombose crônica.

Prevenção:

Prevenir a coagulação do sangue pode ajudar a prevenir, também, a ocorrência de embolias pulmonares. Por isso, o médico poderá prescrever medicamentos anticoagulantes, meias de compressão para melhorar o fluxo sanguíneo e reduzir as chances de coagulação.

Movimentar suas pernas com frequência durante longas viagens de avião e automóvel ou em outras situações nas quais você fica sentado ou deitado por longos períodos pode ajudar a prevenir a coagulação. As pessoas com alto risco de coágulos sanguíneos podem precisar de injeções de heparina quando estiverem em um voo que dura mais de quatro horas.

Pratique atividades físicas moderadas regularmente e não fume. Se você fuma, pare, principalmente mulheres que estiverem tomando estrogênio.

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.