Diarreia

O que é Diarreia?

A diarreia é um quadro muito comum que consiste na evacuação de fezes líquidas de forma frequente e sem controle. Ela se caracteriza pela perda da consistência, aumento do número e/ou volume das deposições, com ou sem a presença de produtos patológicos: muco, sangue, ou gordura. (5)

Na maioria dos casos, a diarreia dura alguns dias, porém quando ela dura semanas, pode indicar uma doença grave, como uma infecção persistente ou uma doença inflamatória intestinal.

Tipos

A diarreia pode ser tanto aguda quanto crônica. O fator determinante para seu diagnóstico é o tempo de duração dos sintomas.

A diarreia aguda é caracterizada por episódios diarreicos até 14 dias e dita diarreia persistente de 14 a 30 dias. A maioria dos casos são de origem infecciosa como bactérias, vírus e protozoários.

A diarreia crônica persiste por cerca de três a quatro semanas e pode indicar desde a síndrome do intestino irritado até condições mais graves, como doença de Crohn e colites ulcerosas. A diarreia crônica é causada principalmente por doenças inflamatórias e disabsortivas.

Causas

A causa mais comum da diarreia é a infecção por vírus, bactérias ou outros parasitas que entram no organismo, causando gastroenterite – inflamação aguda que compromete os órgãos do sistema gastrointestinal.

Diarreia também pode ser causada por intoxicação alimentar e por alguns medicamentos, como antibióticos, laxantes que contenham magnésio e quimioterapia.

Algumas doenças também podem levar à diarreia, como a doença de Chron, colites ulcerosas, doença celíaca, síndrome do intestino irritável, intolerância à lactose, entre outras.

A diarreia aguda pode ter as seguintes causas: (4)

  • Infecções virais: Muitos vírus causam diarreia, incluindo norovírus e rotavírus. A gastroenterite viral é uma causa comum de diarreia aguda
  • Infecções bacterianas: Vários tipos de bactérias podem entrar em seu corpo através de alimentos contaminados ou água e causar diarreia. As mais comuns incluem: Campylobacter, Escherichia coli (E. coli), Salmonella e Shigella
  • Infecções parasitárias: Os parasitas podem entrar em seu corpo através de alimentos ou água e se instalar no seu aparelho digestivo. Os parasitas que causam o problema incluem enterite por Cryptosporidium, Entamoeba histolytica e Giardia lamblia.

A diarreia crônica pode ter as seguintes causas:

  • Infecções: Algumas infecções de bactérias e parasitas que causam diarreia não desaparecem rapidamente sem tratamento. Além disso, após uma infecção as pessoas podem ter problemas para digerir alimentos. Problemas de digestão de carboidratos ou proteínas podem prolongar a diarreia
  • Alergias e intolerâncias alimentares: Alergias a alimentos como leite de vaca, soja, grãos de cereais, ovos e frutos do mar podem causar diarreia crônica. A intolerância à lactose é uma condição comum que pode causar o problema após comer alimentos ou beber líquidos que contenham leite ou produtos lácteos
  • Problemas do aparelho digestivo: Problemas do trato digestivo que podem causar diarreia crônica incluem doença celíaca, Doença de Crohn, síndrome do intestino irritável, colite ulcerativa e outros distúrbios gastrointestinais
  • Cirurgia abdominal: Você pode desenvolver diarreia crônica após a cirurgia abdominal. A cirurgia abdominal é uma operação no apêndice, vesícula biliar, intestino grosso, fígado, pâncreas, intestino delgado, baço e estômago
  • Uso prolongado de medicamentos: Os medicamentos que devem ser tomados por um longo período de tempo podem causar diarreia crônica. Alguns medicamentos, como antibióticos, podem alterar a flora intestinal normal.

Fatores de risco

Por ser uma doença muito comum, qualquer pessoa pode apresentar diarreia. Não importa o gênero nem a idade. Entretanto, alguns comportamentos de risco podem levar ao surgimento da diarreia. Veja:

  • Ingerir água e alimentos contaminados com fezes humanas ou animais
  • Viajar para países que não tenham bom saneamento de água
  • Consumo exacerbado de cafeína
  • Consumo exacerbado de álcool
  • Fumo.

A diarreia pode sim ser transmissível, principalmente em casos de gastroenterites infecciosas causadas por bactérias e vírus invasivos. Para evitar é essencial ter cuidado com a higiene ao início do tratamento.

Atenção especial para crianças com diarreias pelo risco de desidratação grave e diarreia com sangue e muco. Nestes casos a consulta ao médico de referência e deve ser realizada em caráter de urgência.

Sintomas de Diarreia

A diarreia costuma ser um sintoma de outros quadros e apresenta consigo outros sinais, que podem variar de intensidade. O principal sinal do quadro é a presença de fezes líquidas na evacuação.

O paciente também pode manifestar dores na região abdominal e uma vontade constante de ir ao banheiro. Os principais sinais que acompanham as fezes líquidas e caracterizam a diarreia são:

  • Fezes líquidas
  • Cólicas abdominais
  • Dor abdominal
  • Febre
  • Sangue nas fezes
  • Inchaço
  • Náusea

Buscando ajuda médica

A maioria dos casos de diarreia resolve-se sozinha. Mas atenção: ela pode ser sinal de que há algo com que você deva se preocupar. Por isso, é importante procurar um especialista para certificar-se de que não há nenhuma condição envolvida no surgimento da diarreia.

A atenção para crianças deve ser redobrada, principalmente quando ela vem acompanhada de outros sintomas, como febre e vômito, pois pode levar a um problema sério de desidratação. Nesses casos, busque ajuda médica se os sintomas da criança não melhorarem em pelo menos 24 horas. Verifique também se não há presença de sangue ou muco nas fezes e se a criança não demonstra cansaço e fica irritado facilmente.

Você também deve procurar um especialista se os seus sintomas não desaparecerem sozinhos em dois dias e se você passar a apresentar sinais de desidratação.

É importante buscar ajuda especializada, também, se sentir dores abdominais ou retais, cólicas, apresentar sangue nas fezes ou febre.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a diarreia são:

  • Clínico geral

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando a diarreia começou?
  • Qual é a cor e a consistência das fezes?
  • Você chegou apresentar sangue nas fezes?
  • Você tem expelido uma quantidade muito grande de muco nas fezes?
  • Que outros sintomas além da diarreia você apresenta?
  • Você sente dores abdominais ou cólicas fortes com a diarreia?
  • Você tem tido febre ou calafrios?
  • Há alguma outra pessoa em casa com diarreia também?
  • Você ingeriu água imprópria para o consumo ou comida estragada?
  • O que faz a dor piorar? Estresse? Alimentos específicos?
  • Você foi submetido a alguma cirurgia abdominal?
  • Você costuma beber café? Em que quantidade?
  • Você está seguindo alguma dieta especial?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para gordura no fígado, algumas perguntas básicas incluem:

  • O que causou a minha diarreia?
  • A minha diarreia pode ser causada por um medicamento que estou tomando?
  • Quais testes eu preciso fazer?
  • A minha diarreia é aguda ou crônica?
  • Qual é o melhor tratamento?
  • Eu tenho outras condições de saúde. Como posso gerenciá-los melhor com a diarreia?
  • Existem restrições que eu devo seguir?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Diarreia

Geralmente, o diagnóstico de diarreia pode ser feito em casa, por meio da observação de sintomas. No entanto, o médico poderá realizar testes laboratoriais para definir as causas da diarreia. Se também houver sinais de desidratação, seu médico poderá solicitar o perfil metabólico básico do paciente e a gravidade específica da urina.

Exames

Além de realizar um exame físico e revisar seus medicamentos, seu médico pode solicitar testes para determinar o que está causando a sua diarreia. Eles incluem:

  • Exame de sangue
  • Exames de fezes como coprológico funcional: (ph-fecal, substâncias redutoras, sudam, leucócitos fecais)
  • Exames de fezes como coprocultura com parasitológico de fezes
  • Colonoscopia

Tratamento de Diarreia

O tratamento para diarreia é geralmente feito em casa, por meio da ingestão de líquidos, a fim de evitar desidratação.

O médico também poderá receitar alguns medicamentos. Esses remédios geralmente não precisam de prescrição, mas evite-os a não ser que seja orientação médica.

Para o tratamento você pode realizar algumas técnicas simples, como:

  • Iniciar a ingestão do soro caseiro o mais breve possível
  • Aumento da ingestão de líquidos como soros, sopas, sucos
  • Ingerir de 50 a 100 ml de líquido após cada evacuação diarreica
  • Manter a alimentação habitual, principalmente o leite materno, corrigindo erros alimentares e seguindo as orientações médicas
  • Observar os sinais de desidratação.

Como preparar o soro caseiro: Misture em um litro de água mineral, de água filtrada ou de água fervida (mas já fria) uma colher pequena (tipo cafezinho), de sal e uma colher grande (tipo sopa), de açúcar. Misture bem e ofereça o dia inteiro ao doente em pequenas colheradas.

Quando se tem diarreia é importante ingerir alimentos leves, de fácil digestão e que não agridam o sistema gastrointestinal, uma vez que ele está passando por um momento de inflamação. Neste caso, o contato com alimentos de difícil digestão pode gerar uma maior dificuldade na recuperação da diarreia. Invista nesses alimentos: (2)

  • Carnes
  • Arroz Integral
  • Mingau
  • Batata
  • Cenoura
  • Chás
  • Maça
  • Banana
  • Sopas

Evite a ingestão destes itens durante um episódio de diarreia: (3)

  • Alimentos gordurosos e condimentados: eles podem irritar o intestino e dificultar o tratamento
  • Vegetais não cozidos e frutas com casca: esses itens contém muitas fibras e podem estimular o trânsito intestinal e a defecação, aumentando a chances de você perder água e nutrientes
  • Frutos do mar e carnes mal passadas: esses alimentos podem conter bactérias causadoras de infecções gastrointestinais.

Confira aqui o cardápio para três dias de diarreia!

Medicamentos para Diarreia

A diarreia pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os medicamentos mais comuns no tratamento de diarreia são:

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo/ Prognóstico

Saber conviver com a diarreia é, também, saber trata-la. Siga à risca as orientações médicas e livre-se o quanto antes do problema. Veja algumas medidas caseiras que você pode adotar para acelerar o tratamento e a recuperação:

  • Beba de 8 a 10 copos de líquidos leves todos os dias
  • Beba pelo menos um copo de líquido toda vez que você tiver uma evacuação sem controle
  • Faça refeições pequenas ao longo do dia, em vez de três refeições grandes
  • Coma alimentos salgados, como bolachas, sopa e bebidas energéticas
  • Coma alimentos ricos em potássio, como banana, batata sem pele e suco de fruta diluído. Esses alimentos e outros alimentos, como maçãs, são conhecidos como os que “seguram o intestino”
  • Descanse bem.

Se você apresenta uma forma crônica de diarreia, como aquela causada pela síndrome do intestino irritável, tente enriquecer a dieta com grãos e farelos integrais para dar consistência às fezes e regular os intestinos.

Se você está amamentando seu bebê, continue a fazê-lo mesmo com a diarreia.

Complicações possíveis

Diarreia geralmente não leva a complicações mais graves, mas uma consequência comum da diarreia é a desidratação. Confira alguns sinais de que seu corpo está desidratado:

  • Sede excessiva
  • Diminuição da quantidade de urina (redução de fraldas molhadas em bebês)
  • Boca e pele secas
  • Olhos encovados
  • Redução nas lágrimas no choro
  • Fraqueza
  • Tontura
  • Vertigem.

Diarreia tem cura?

O tempo de recuperação pode variar de acordo com o tipo de diarreia. Geralmente, diarreias agudas demoram cerca de alguns dias para passar. Já a diarreia crônica pode levar de três a quatro semanas para desaparecer.

Para o primeiro caso, o tratamento pode ser dispensado, já que a doença desaparece sozinha. No segundo, o tratamento pode ser exigido, uma vez que a diarreia pode ser sinal de algum outro problema.

Prevenção

Diarreia associada a antibióticos pode ser prevenida com o uso de suplementos que contêm bactérias benéficas. Para saber mais sobre isso, converse com seu médico.

Iogurte com culturas vivas ou ativas são uma boa fonte dessas bactérias benéficas e também ajudam a evitar a diarreia.

As seguintes medidas de saúde podem ajudar na prevenção de doenças que provocam diarreia:

  • Lave as mãos com frequência, principalmente após ir ao banheiro e antes de comer
  • Use álcool em gel para desinfetar as mãos com frequência
  • Ensine as crianças a não levar objetos à boca.

Ao viajar para áreas subdesenvolvidas, siga as medidas abaixo para evitar a diarreia:

  • Beba somente água mineral e não use gelo, a menos que ele seja feito com água mineral
  • Evite vegetais não cozidos ou frutas com casca
  • Evite frutos do mar crus ou carne mal passada
  • Evite o consumo de lacticínios, principalmente se tiver intolerância à lactose.

(1) Federação Brasileira de Gastroenterologia

(2) Nutricionista Amanda Epifânio Pereira

(3) Gastroenterologista J Bussade

(4) National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (NIH)

(5) Dr. Henrique Perobelli Schleinstein, gastroenterologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.