Coqueluche Icone para edição

Coqueluche é uma doença respiratória altamente contagiosa. É geralmente marcada por uma tosse severa e seca, seguida por uma ingestão aguda de ar que soa como "grito”.

A incidência de coqueluche no Brasil mudou muito desde a década de 1990, por conta da vacinação. Com a manutenção das altas coberturas vacinais, observou-se uma variação da incidência de 0,72 casos de coqueluche por 100 mil habitantes em 2004, para 0,32 casos por 100 mil habitantes em 2010.

Mortes associadas à coqueluche são raras, mas podem acontecer principalmente em bebê e crianças. Por isso é muito importante que grávidas - e outras pessoas que entrarão em contato com uma criança que está por nascer – sejam vacinadas contra coqueluche.

Sintomas:

Os sintomas de coqueluche acontecem em três estágios, especialmente em crianças mais novas. Adultos e crianças mais velhas podem não seguir esse padrão de sintomas.

No estágio 1, os sintomas são mais parecidos com um resfriado:

  • Espirros e corrimento nasal
  • Tosse
  • Olhos lacrimejando
  • Em alguns casos, febre baixa.

Esses sintomas podem durar entre vários dias até duas semanas. É nessa fase também que você está mais suscetível a transmitir a doença.

No estágio 2, os sintomas de resfriado tendem a desaparecer, mas a tosse fica pior:

  • Tosse passa de leve e seca para severa e descontrolada
  • Você pode tossir tanto e tão intensamente a ponto de não conseguir respirar
  • Quando você finalmente consegue puxar o ar, soa como um grito agudo
  • Após uma crise de tosse, você pode vomitar ou se sentir muito cansado
  • Entre uma crise de tosse e outra, você se sente normal.

Os sintomas são mais severos nesta fase. Eles durante entre duas a quatro semanas, podendo perdurar por mais tempo.

No estágio 3 você ainda apresenta alguns sintomas, mas se sentirá melhor e recuperado:

  • A tosse pode ficar mais ruidosa
  • Crises de tosse podem acontecer em episódios isolados durante algumas semanas
  • Se você pega um resfriado ou gripe, os sintomas ficam mais intensos e a tosses mais frequentes

Adultos e crianças mais velhas podem ter sintomas mais leves do que crianças novas. A gravidade dos sintomas depende também do clima e há quanto tempo você foi vacinado.

Geralmente, o conjunto de sintomas da coqueluche dura entre 6 a 10 semanas, mas pode durar mais.

Diagnóstico:

Diagnosticar coqueluche em estágios iniciais é difícil, uma vez que os sintomas são muito parecidos com os que outras doenças respiratórias.

Às vezes, médicos podem diagnosticar coqueluche simplesmente perguntando sobre os sintomas ou ouvindo o som da tosse. Em outros casos, o médico pode pedir alguns exames:

  • Espirometria
  • Exames de sorologia
  • Raio-x do tórax.

Tratamento:

Crianças geralmente são hospitalizadas durante o tratamento, uma vez que a coqueluche é perigosa nessa idade. Se seu filho não consegue comer ou beber, pode ser necessária a administração de fluídos intravenosos. Seu filho também pode ser mantido em quarentena para prevenir que a infecção se espalhe. Já o tratamento para crianças mais velhas e adultos pode ser feito em casa.

Antibióticos matam a bactéria causadora da coqueluche e ajudam na rápida recuperação. Infelizmente, não há muita coisa que pode ser feita para prevenir ou aliviar a tosse. Medicamentos para tosse tem pouco efeito sobre a coqueluche, por isso seu uso não é recomendado.

Prognóstico:

As dicas a seguir podem ser seguidas por qualquer um que está tratando a coqueluche em casa:

  • Relaxe e mantenha repouso
  • Beba muito líquido, como água, sucos naturais e sopas
  • Faça refeições pequenas, para evitar o vômito
  • Use um umidificador de ar no quarto, para ajudar a diluir as secreções pulmonares
  • Evite agentes irritantes no ar, como fumaça de cigarro e lareiras
  • Evite o contato da pessoa infectada com pessoas saudáveis.

Complicações:

A maioria das pessoas se recupera da coqueluche sem complicações. No entanto, elas podem ocorrer, relacionadas principalmente com a tosse em formas mais graves. Entre as principais complicações estão:

  • Costelas machucadas ou rachadas
  • Hérnias abdominais
  • Vasos sanguíneos da pele ou olhos estourados.

Em crianças - especialmente aquelas com menos de 6 meses de idade - complicações da coqueluche são mais graves e podem incluir:

  • Infecções de ouvido
  • Pneumonia
  • Parada respiratória
  • Desidratação
  • Convulsão
  • Lesão cerebral.

Como os bebês e crianças estão em maior risco de complicações da coqueluche, elas são mais propensos a precisar de tratamento em um hospital.

Prevenção:

A melhor forma de prevenir a coqueluche é a vacinação. No Brasil, a vacina que previne coqueluche é a tríplice bacteriana – que protege também contra difteria e tétano.

Ministério da Saúde

Organização Mundial da Saúde

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.