Compulsão alimentar Icone para edição

Compulsão alimentar é uma doença mental em que a pessoa sente a necessidade de comer, mesmo quando não está com fome, e que não deixa de se alimentar apesar de já estar satisfeita. Pessoas com compulsão alimentar comem grandes quantidades de alimentos em pouco tempo. Durante o episódio de compulsão a pessoa sente perda de controle.

Sintomas:

Alguns dos sintomas da compulsão alimentar são:

  • Comer mais rápido do que o normal
  • Comer quando não está com fome
  • Continuar comendo mesmo quando já está saciado
  • Comer sozinho ou em segredo
  • Sentir-se triste ou culpado por comer demais.

Pessoas com compulsão alimentar podem fazer comentários como:

  • “Eu não consigo me controlar. Eu vou abrir a geladeira e comer não importa a hora do dia, mesmo que eu tenha acabado de tomar café da manhã, almoçado ou jantado”
  • “Sei que meus familiares vão sair, por isso, vou inventar uma desculpa para ficar em casa e comer”
  • “Estou com vergonha de mim mesmo por fazer isso, sei que é errado enquanto estou comendo, mas eu continuo. A comida está controlando minha vida”
  • “Eu como adequadamente diante dos outros, mas chego em casa e como muito quando ninguém está vendo”
  • “Vou sempre para a geladeira em busca de algo”.

Diagnóstico:

Como acontece com quase todas as doenças mentais não há um teste que indique definitivamente que alguém tem um transtorno de compulsão alimentar. Portanto, o diagnóstico é feito com base nos relatos do paciente, dos familiares e informações sobre a saúde mental e física do paciente.

O médico pode pedir exames para avaliar a saúde do paciente em geral, como testes laboratoriais. O médico também irá avaliar se o paciente tem outras doenças mentais associadas, uma vez que algumas condições podem estar associadas a compulsão alimentar.

Tratamento:

A primeira parte do tratamento envolve se consultar com um psiquiatra que tenha bom conhecimento sobre a compulsão alimentar. O tratamento é direcionado tanto para fatores físicos quanto emocionais.

Na parte emocional pode ser interessante trabalhar os seguintes pontos:

  • Como lidar de forma eficaz com os sentimentos
  • Como comer de forma confortável em diversas situações
  • Como lidar com a alimentação em comemorações como Natal
  • Manutenção de bons relacionamento pessoais
  • Ser capaz de dizer não a comida e a quem oferece a comida, quando necessário
  • Melhorar a autoestima.

Os medimentos utilizados dependem da quantidade de episódios de compulsão alimentar. Normalmentes eles não são orientados. Mas em certos casos podem ser utilizados remédios para controlar a ansiedade ou inibidores de apetite.

Complicações:

Pessoas com compulsão alimentar tem maior risco de desenvolver obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão e níveis de colesterol alto. Outras doenças mentais também podem surgir como a bulimia ou a depressão.

Compulsão alimentar tem cura?

Com tratamento adequado para compulsão alimentar pesquisas apontam que após seis anos cerca da metade dos indivíduos apresentaram melhora significativa, um terço apresentou um resultado intermediário e 6% tiveram um mau resultado.

Prevenção:

Ensinar as crianças e adolescentes a não se deixar afetar tanto pelos padrões de beleza impostos pela sociedade incentivando a boa autoestima do jovem ajuda a prevenir a compulsão alimentar. Explicar sobre os problemas dos distúrbios alimentares e ensinar bons hábitos alimentares também são formas de prevenir a compulsão.

Centro Nacional de Transtornos Alimentares dos Estados Unidos

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.