Cisto sebáceo Icone para edição

O cisto sebáceo (conhecido também como cisto epidérmico, nome mais correto) caracteriza-se como um nódulo de tamanho variável, único ou múltiplo, de coloração da pele normal, esbranquiçados ou amarelados. A consistência pode ser dura, elástica, às vezes, com flutuação quando inflamado. Em alguns cistos observam-se um ponto central representando uma obstrução da unidade pilosebáceo que, à expressão elimina um material esbranquiçado (queratina). Esses cistos são benignos e podem aparecer em qualquer região do corpo, sendo mais comuns na face, no pescoço e no tronco. Os cistos traumáticos são mais frequentes nas palmas, plantas e nádegas.

Os cistos são encontrados em adultos em ambos os sexos. Algumas doenças genéticas podem acompanhar estes tipos de cistos.

Sintomas:

Os cistos sebáceos não apresentam sintomas, exceto quando se inflamam podem acompanhar-se de dor no local.

Diagnóstico:

Os médicos fazem o diagnóstico com facilidade pelo exame clinico do paciente, através da palpação. O diagnóstico pode ser confirmado pela histopatologia (o cisto é examinado ao microscópio mostrando as alterações histopatológicas características).

Tratamento:

O tratamento definitivo é cirúrgico com anestesia local para a retirada do cisto e da cápsula e sutura com fio mononylon. A recidiva pode acontecer se a cápsula não for retirada por completo. Se ocorrer inflamação e dor a drenagem é indicada. Quando apresentar infecção bacteriana a antibioticoterapia oral pode ser indicada. A injeção de Corticosteroide (cortisona) dentro do cisto pode diminuir o tamanho, prevenir a inflamação e dor.

Os cistos tem crescimento lento, assintomático não sendo possível diminuir a sua progressão, mas podemos ajudar a prevenir a formação de cicatrizes e infecções adotando algumas medidas simples, como:

Prognóstico:

Os cistos tem crescimento lento, assintomático não sendo possível diminuir a sua progressão, mas podemos ajudar a prevenir a formação de cicatrizes e infecções adotando algumas medidas simples, como:

Complicações:

As complicações que podem ocorrer na evolução de um cisto são: ruptura, infecção bacteriana, aumento de tamanho por trauma e dor. Os cistos sebáceos geralmente tem evolução benigna e a transformação maligna é rara, mas foram descritos casos de conjunção com tumores malignos (Carcinomas).

Cisto sebáceo tem cura?

Cistos grandes e dolorosos podem interferir nas suas atividades diárias e prejudicar a autoestima, podendo também afetar a aparência.

Se tratado corretamente, as chances de um cisto sebáceo evoluir para uma complicação mais grave são muito pequenas. Às vezes, o cisto não exige tratamento, mas o paciente pode optar se a presença dele estiver incomodando.

Prevenção:

Não há como prevenir o surgimento de cistos sebáceos.

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Rivitti, EA, Manual de dermatologia clinica de Sampaio e Rivitti.Editora Artes Médicas, 2014.

Fitzpatrick’s Dermatology in General Medicine.The MacGraw-Hill Companies, 2008.

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.