Cistite intersticial Icone para edição

Cistite intersticial é uma doença crônica que é caracterizada por dor na bexiga e pelve que vão desde um desconforto até uma dor severa. Apesar dela trazer graves incômodos e interferir na qualidade de vida, ela não está relacionada a problemas ou consequências graves para a saúde.

A bexiga se expande até que esteja cheia, que é quando os nervos da pelve enviam sinais para o cérebro que é hora de urinar. Isso cria uma urgência para a maioria das pessoas, mas quando ela tem cistite intersticial esses sinais ficam confusos. A pessoa sente necessidade de urinar com mais frequência, mas a bexiga não está cheia.

A cistite intersticial é mais comum em mulheres e pode interferir diretamente na qualidade de vida. Apesar de não existir um tratamento que realmente elimine a doença, medicamentos e outras terapias podem oferecer o alívio dos sintomas ao paciente.

Sinônimos

Síndrome da bexiga dolorosa.

Sintomas:

Os sinais e sintomas de cistite intersticial variam para cada pessoa e também mudam ao longo do tempo. Dentre os sintomas estão:

  • Dor na pélvis
  • Dor entre a vagina e o ânus em mulheres e, em homens, entre a bolsa escrotal e o ânus
  • Dor crônica na pelve
  • Micção frequente, frequentemente com pouca quantidade de urina, durante o dia e a noite
  • Dor ou desconforto conforme a bexiga se enche ou esvazia durante a micção
  • Uma necessidade persistente e urgente de urinar
  • Dor durante a atividade sexual.

A intensidade dos sintomas causados pela cistite intersticial variam muito, fazendo com que as pessoas com a doença passem por períodos em que eles são bem fortes e outros em que desapareçam por completo.

Apesar dos sintomas serem muito parecidos com os de uma infecção do trato urinário, na maioria dos casos de cistite intersticial o exame de cultura da urina não mostra a presença de nenhuma bactéria. Contudo, os sintomas podem se tornar mais intensos e sérios se uma pessoa com cistite intersticial pegar uma infecção do trato urinário.

Diagnóstico:

O diagnóstico de cistite intersticial é feito através de:

  • Análise dos sintomas do paciente, assim como de seu histórico médico. Nesse momento o médico pode solicitar o diário com as anotações da frequência de micção, quantidade de urina e de líquidos que consome
  • Exame pélvico e, as vezes, do ânus
  • Exame de urina (buscando por infecções)
  • Cistoscopia
  • Biópsia
  • Teste de sensibilidade ao potássio, em que o profissional insere duas soluções, uma com água e outra com cloreto de potássio na bexiga do paciente, uma de cada vez.Nesse momento, o paciente deve atribuir notas para dor e para a necessidade de urinar. Se o incômodo for muito maior com o cloreto de potássio pode ser que a pessoa tenha cistite intersticial, pois quando não há o problema as pessoas não conseguem notar diferença entre as duas soluções.

Tratamento:

Por ainda não ser conhecida a causa da cistite intersticial, o tratamento visa controlar a dor e melhorar a qualidade de vida do paciente. Contudo, pode ser necessário testar vários tratamentos diferentes ou até uma combinação deles até se conseguir achar a abordagem que alivie os sintomas. Dentre eles:

  • Mudanças na dieta, evitando cafés, chás e bebidas gasosas, por exemplo
  • Fisioterapia
  • Medicações orais
  • Estimulação nos nervos da bexiga
  • Uso de técnicas que distendem a bexiga
  • Medicações locais
  • Acupuntura
  • Cirurgia.

Prognóstico:

Não há cura para cistite intersticial, então o tratamento visa aliviar os sintomas para aumentar a qualidade de vida do paciente. É necessário ter sempre o acompanhamento médico para verificar se os tratamentos estão surtindo esse efeito ou não e qual funciona melhor para cada caso.

Apesar de não ser comprovado, muitos pacientes relatam melhorias significativas alterando (aos poucos) a dieta para excluir alimentos que possam causar irritação na bexiga. Então pode ser bom ter acompanhamento com um nutricionista também.

O paciente deve tomar ainda mais cuidado para não contrair infecções do trato urinário, pois elas podem agravar os sintomas ou gerar situações mais sérias.

De acordo com o que já foi estudado, não há ligação entre a cistite intersticial e o câncer ou a problemas de fertilidade.

Complicações:

A cistite intersticial pode causar várias complicações. Dentre elas:

  • Redução da capacidade da bexiga
  • Baixa qualidade de vida, uma vez que algumas pessoas com a doença chegam a urinar 60 vezes por dia
  • Problemas na intimidade sexual do casal
  • Estresses emocionais, inclusive a depressão.

Prevenção:

Não há formas conhecidas e comprovadas de se prevenir o aparecimento da cistite intersticial.

  • Sociedade Brasileira de Urologia
  • Associação Portuguesa de Urologia
  • Mayo Clinic.

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.