Catalepsia Icone para edição

O que é Catalepsia?

A catalepsia é uma condição, na grande maioria das vezes, transitória, na qual o paciente apresenta uma incapacidade total para mover os membros, a cabeça ou até falar. Em alguns casos, os eventos de catalepsia podem ser confundidos com a morte, pois a respiração também é afetada. Um episódio de catalepsia pode durar desde minutos a alguns dias, porém, habitualmente, dura entre 1 a 10 minutos.

Normalmente, a catalepsia é desencadeada pela excitação emocional. A perda dos movimentos podem ocorrer devido à incapacidade de regular o sono e os estados de vigília.

Durante o estágio REM (rapid eye movement = movimento rápido dos olhos) do sono, há uma perda natural do tônus ??muscular. No caso da catalepsia, essa característica do sono REM ocorre subitamente durante o dia, causando fraqueza ou paralisia total, mesmo quando a pessoa permanece acordada durante o episódio.

Os ataques podem variar em gravidade, desde uma breve sensação de fraqueza até um total colapso físico. (1,2)

No século XIX, já existiam descrições de casos de pessoas que foram enterradas vivas quando, na verdade, estavam passando pela catalepsia patológica, o que atualmente não seria possível levando em consideração o conhecimento clínico e técnico para realizar um diagnóstico preciso. (1)

A catalepsia é uma característica associada para auxiliar no diagnóstico da narcolepsia, o qual envolve: sonolência excessiva diurna, cataplexia, alucinações hipnagógicas-hipnopômpicas e sono REM - com movimentos rápidos e bruscos dos olhos enquanto estamos dormindo.

A narcolepsia é uma doença rara e a catalepsia é um fenômeno normal e comum em paciente com privação de sono, sono irregular, uso de drogas e álcool entre outros.

Tipos

A catalepsia pode ser dividida em dois tipos: (1)

A catalepsia patológica tem sinais e sintomas relacionados a algumas doenças como esquizofrenia, depressão grave, alcoolismo. Ela também pode aparecer na abstinência de anfetaminas como cocaína e como efeito colateral de antipsicóticos.

A catalepsia projetiva, também conhecida na medicina como paralisia do sono, é um fenômeno natural, temporário e benigno do ser humano onde há uma incapacidade total para mover os membros, a cabeça ou falar, ocorrendo ao adormecer ou mais comumente ao despertar e o paciente se mantém consciente. Pode ser acompanhada de uma incapacidade para respirar e por alucinações variadas em cerca de 50% dos casos, dura em média 2 minutos.

Saiba mais: Paralisia do sono: como acontece, diagnóstico e tratamento

Causas

As causas da catalepsia ainda permanecem desconhecidas. Contudo, o distúrbio apresenta uma prevalência na população geral de 2,5% a 40%, sendo possível acontecer episódios isolados na adolescência ou em associação com privação de sono, uso de álcool, estresse, drogas e sono irregular. (1)

Fatores de risco

Os fatores de risco ainda permanecem desconhecidos pela ciência. No entanto, algumas condições que podem aumentar o risco:


Sintomas de Catalepsia

Quando a pessoa despertar depois do sono e tentar: (1)


Podem ocorrer outros sintomas como:


Formas de induzir o "despertar":


Buscando ajuda médica

Os ataques de sono decorrentes da catalepsia já são, por si só, motivos mais que suficientes para buscar ajuda médica. Se você apresentar perda dos movimentos durante o dia ou ataques frequentes durante o sono é essencial procurar um especialista imediatamente.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a catalepsia são:


Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:


O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:


Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para catalepsia, algumas perguntas básicas incluem:


Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Catalepsia

O diagnóstico é clínico, ou seja, baseado nos sintomas indicados pelo paciente. Só são necessários exames para excluir outros diagnósticos diferenciais, como, por exemplo, epilepsia.

Tratamento de Catalepsia

O tratamento para catalepsia pode depender da gravidade dos sintomas, desta forma os tratamentos requerem o uso de alguns antidepressivos ou agentes hipnóticos que podem auxiliar na consolidação do sono. Entretanto, a melhor forma de tratar o distúrbio é manter o sono regular ou evitar privação de sono. (1, 3)

Medicamentos para Catalepsia

Os medicamentos mais usados para o tratamento de narcolepsia são:


Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Catalepsia tem cura?

Não há cura para a catalepsia, pois não se trata de uma doença, mas sim de um fenômeno natural. Contudo, com medicamentos e adaptações no estilo de vida é possível controlar os sintomas.

Complicações possíveis

Se não for devidamente tratada, a catalepsia pode causar algumas complicações na qualidade de vida, desempenho acadêmico, profissional e social. (1)

Saiba mais: Distúrbios do sono podem afetar a memória e a concentração

Convivendo/ Prognóstico

Além do tratamento médico, feito basicamente com medicamentos, modificações no estilo de vida também são importantes para controlar os sintomas da narcolepsia. Confira algumas medidas que você pode adotar: (3)


Prevenção

Evitar sempre os fatores desencadeantes:


(1) Juliana Amm, neurologista do Hospital Santa Paula

(2) Narcolepsy and Overwhelming Daytime Sleep Society of Australia

(3) National Sleep Foundation

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.