Bronquite Icone para edição

O que é Bronquite?

A bronquite é um processo inflamatório dos brônquios - as estruturas que levam o ar para os pulmões. Ela pode causar tosse com produção de muco e falta de ar.

A bronquite pode ser aguda ou crônica. A forma aguda da bronquite é muito comum e, geralmente, vem acompanhada de outras condições, como a gripe ou outro problema respiratório. No entanto, se você tiver crises repetidas de bronquite, você pode ter bronquite crônica, o que requer atenção médica.

Tipos

A bronquite pode ser dividida em dois tipos:

A bronquite aguda é um processo inflamatório agudo (ou seja, pontual) dos brônquios, em geral, associado a um processo infeccioso viral ou bacteriano. A bronquite aguda, também chamada de resfriado torácico, geralmente melhora em uma semana a 10 dias, sem efeitos duradouros, embora a tosse possa durar semanas.

É um processo inflamatório crônico dos brônquios, em geral, secundário ao uso do tabaco ou processo alérgico (a chamada bronquite asmática). A bronquite crônica pode durar às vezes por meses ou anos.

Causas

De acordo com Alexandre Okamori, alergologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o termo bronquite comumente é usado para denominar a asma, que é uma doença caracterizada por uma inflamação das vias aéreas, com limitação reversível de fluxo aéreo, com sintomas como tosse, falta de ar, chiado e pressão no peito. As causas podem variar entre os diferentes tipos:

Bronquite é geralmente causada por vírus. A doença costuma estar acompanhada de uma outra infecção viral respiratória, como gripes e resfriados. No início, ela afeta o nariz, a garganta e, depois, se espalha para os pulmões. Às vezes, pode-se contrair uma infecção bacteriana secundária nas vias respiratórias. Isso significa que uma bactéria infectou as vias respiratórias, além do vírus.

O fumo é o principal responsável pelo desenvolvimento da bronquite crônica. Poluição e a emissão de gases tóxicos no meio ambiente ou no ambiente de trabalho também estão entre as prováveis causas. A bronquite crônica é um tipo de Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Fatores alérgicos, como os desencadeados pela asma, também pode causar bronquite crônica.

Fatores de risco

Alguns fatores são considerados de risco por médicos. Segundo eles, eles podem ajudar no desenvolvimento de bronquite. Confira:

  • Fumo: o hábito de fumar pode elevar os riscos de uma pessoa desenvolver tanto a bronquite aguda quanto a crônica
  • -Imunidade baixa: este fator de risco costuma ser uma consequência de outra doença aguda, como a gripe, ou ainda de uma condição crônica, como Aids
  • -Idade: idosos, crianças pequenas e bebês têm mais riscos de contrair a infecção
  • -Exposição a agentes irritantes: as chances de contrair a doença é maior se você trabalha com gases ou outros agentes que possam causar irritação nos pulmões
  • -Refluxo gástrico: doenças que causam refluxo gástrico e azia podem aumentar as chances de a pessoa desenvolver bronquite.

Sintomas de Bronquite

Os sintomas da bronquite, tanto aguda quanto crônica, são:

  • Tosse com presença de muco
  • Ronco ou chiado no peito
  • Fadiga
  • Dificuldade para respirar e falta de ar
  • Febre e calafrios
  • Desconforto no peito.

Mesmo após o desaparecimento da bronquite aguda, você ainda pode ter uma tosse seca e incômoda que se estende por várias semanas.

Outros sintomas de bronquite crônica consistem em:

  • Inchaço nos tornozelos, pés e pernas
  • Lábios roxos devido ao nível baixo de oxigênio
  • Infecções respiratórias frequentes, como resfriados ou gripes.

Buscando ajuda médica

Procure um especialista se:

  • Tossir quase todos os dias ou tiver tosse que vai e volta com frequência
  • Estiver tossindo sangue
  • Tiver febre ou calafrios
  • Tiver febre baixa por três dias ou mais
  • Apresentar muco espesso e esverdeado, especialmente se tiver mau cheiro
  • Sentir falta de ar ou dor no peito
  • Se você tiver uma doença crônica subjacente, como doença cardíaca ou pulmonar.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar as alergias são:

  • Clínico geral
  • Pediatra
  • Alergista
  • Imunologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando seus sintomas começaram?
  • Seus sintomas são contínuos ou ocasionais?
  • Você já teve bronquite antes? Já durou mais do que três semanas?
  • Você esteve resfriado ou teve alguma infecção respiratória recentemente?
  • Seus sintomas tendem a piorar em algum horário?
  • Existe alguma coisa que parece melhorar ou piorar seus sintomas?
  • Você tem animais? Se sim, eles dormem com você?
  • Você fuma?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para bronquite, algumas perguntas básicas incluem:

  • Quais as prováveis causas para meus sintomas?
  • Existem outras prováveis causas?
  • Preciso fazer testes?
  • Eu preciso procurar um alergista?
  • Qual tratamento você recomenda?
  • Eu tenho outras condições de saúde, como posso conciliar elas?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Bronquite

Durante os primeiros dias de sintomas, pode ser difícil para o médico determinar a causa. Isso acontece porque os sintomas iniciais da bronquite são muito parecidos com os da gripe.

No entanto, o diagnóstico pode ser realizado a partir de uma boa história da doença, verificando os sintomas e seu início, história de alergia na família e outros quadros alérgicos e resposta aos tratamentos, e também com exames que possam auxiliar na confirmação do diagnóstico.

Exames

Além de um exame físico tradicional, o especialista poderá solicitar que você realize os seguintes exames:

  • Raio X torácico, onde fica o pulmão
  • Tomografia de tórax
  • Exame de expectoração
  • Testes de funcionamento do pulmão
  • Oximetria do pulso.

Tratamento de Bronquite

Os principais objetivos do tratamento da bronquite aguda e crônica são aliviar os sintomas e facilitar a respiração. Uma das melhores maneiras de tratar a bronquite aguda e crônica é remover a fonte de irritação e danos aos pulmões.

Se os sintomas da bronquite não desaparecerem, seu médico pode prescrever a você um inalador para abrir as vias respiratórias, caso você esteja com chiado no peito.

Se você tiver bronquite aguda, seu médico pode recomendar repouso, muitos líquidos e aspirina (para adultos) ou paracetamol para tratar a febre.

Antibióticos geralmente não são prescritos para bronquite aguda. Isso ocorre porque eles não funcionam contra vírus - a causa mais comum de bronquite aguda. No entanto, se o seu médico achar que você tem uma infecção bacteriana, ele ou ela pode prescrever antibióticos.

Se você tem bronquite crônica e também foi diagnosticado com DPOC pode precisar de medicamentos para abrir as vias aéreas e ajudar a eliminar o muco. Estes medicamentos incluem broncodilatadores (inalados) e esteróides (inalados ou comprimidos).

Se você tem bronquite crônica, seu médico pode prescrever oxigenoterapia, este tratamento pode ajudá-lo a respirar mais facilmente e fornece ao seu corpo o oxigênio necessário.

Saiba mais: Entenda tudo que você precisa saber sobre broncodilatadores

Medicamentos para Bronquite

Os medicamentos mais usados para o tratamento de bronquite são:

  • Acebrofilina
  • Acetilcisteina
  • Aires
  • Aerolin
  • Aminofilina
  • Amoxicilina + Clavulanato de Potássio
  • Antux
  • Ares
  • Asmofen
  • Astro
  • Atrovent
  • Azitromicina
  • Bactrim
  • Bisolvon
  • Broncho-Vaxom
  • Bacteracin e Bacteracin-F
  • Bamifix
  • Betatrinta
  • Bricanyl
  • Brometo de Ipratrópio
  • Bromidrato de Fenoterol
  • Clavulin
  • Clindamicina
  • Cefanaxil
  • Claritromicina
  • Clindamin-C
  • Clocef
  • Diprospan
  • Duoflam
  • Flanax
  • Fluimucil
  • Fenergan Expectorante
  • Fluimucil (xarope)
  • Fluitoss
  • Foraseq
  • Franol
  • Koide D
  • Ipratropio
  • Leucogen
  • Levofloxacino
  • Loxonin
  • Meticorten
  • Mucosolvan
  • Novamox 2x
  • Predsim

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Bronquite tem cura?

Na bronquite aguda, os sintomas costumam desaparecer de sete a dez dias. Entretanto, uma tosse seca e cortada pode se arrastar por vários meses.

A chance de recuperação é muito baixa em pessoas com bronquite crônica avançada, por isso a detecção e o tratamento precoces, combinados com a interrupção do hábito de fumar, melhoram significantemente a chance de um excelente resultado no tratamento.

Complicações possíveis

Tanto a bronquite aguda quanto a crônica podem originar uma pneumonia. Se você sofre de bronquite crônica, tem mais chances de apresentar infecções respiratórias recorrentes. Você também pode desenvolver:

  • Crises de chiado (broncoespasmo)
  • Evolução para DPOC
  • Enfisema
  • Insuficiência cardíaca no lado direito do coração
  • Hipertensão pulmonar.

Convivendo/ Prognóstico

Algumas medidas podem ajudar o paciente a lidar melhor com a doença, podendo lhes trazer alívio também. Veja:

  • Não fume
  • Beba bastante líquido
  • Repouse
  • Faço uso de medicamentos que não precisam de receita médica em caso de febre
  • Use um umidificador ou vaporizador no banheiro.

Prevenção

Algumas medidas podem prevenir a ocorrência de bronquite. Conheça e previna-se:

  • Não fume
  • Tome a vacina contra a gripe e a vacina pneumocócica anualmente
  • Reduza sua exposição à poluição do ar e a agentes químicos que possam causar irritação aos pulmões
  • Deixe o quarto e a casa bem arejados, evite objetos que possam acumular pó, coloque capa no colchão e travesseiro
  • Faça atividades físicas
  • Lave as mãos frequentemente a fim de evitar a disseminação de vírus e de outras infecções.

Alexandre Okamori, alergologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

João Geraldo Houly, pneumologista do Hospital Santa Paula

Mayo Clinic. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/bronchitis/symptoms-causes/syc-20355566

National Heart, Lung and Blood Institute. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/bronchitis

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Disponível em: https://sbpt.org.br/portal/publico-geral/doencas/

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.