Botulismo Icone para edição

Botulismo é uma doença bacteriana rara, porém grave. A bactéria causadora dessa condição pode entrar no organismo por meio de machucados ou pela ingestão de alimentos contaminados, principalmente enlatados e os que são preservados inadequadamente.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as toxinas de botulismo são algumas das substâncias mais letais conhecidas pela medicina.

Tipos:

Há três formas de botulismo. Conheça-as:

Todos os tipos de botulismo são fatais e são considerados emergências médicas.

Sintomas:

O período de incubação da bactéria causadora do botulismo, geralmente, varia de algumas horas até oito dias. O tempo de incubação depende muito da quantidade de toxina liberada dentro do organismo e do tipo da doença:

Se o botulismo infantil está relacionado à ingestão de alimentos contaminados, como o mel, os problemas geralmente começam dentro de 18 a 36 horas após a toxina entrar no corpo do bebê. Os sinais e sintomas incluem:

Como no caso do botulismo infantil, os sintomas de botulismo alimentar começam tipicamente algumas horas após a toxina entrar no corpo, mas pode variar durar até vários dias, dependendo da quantidade de toxina ingerida. Sintomas de botulismo alimentar incluem:

A maioria das pessoas que são usuárias de drogas injetáveis desenvolvem botulismo por feridas. Em geral, é difícil estimar quanto tempo leva para os sinais e sintomas se manifestarem depois que a toxina entra no corpo nesses casos. No entanto, ao penetrar a corrente sanguínea por meio de um machucado na pele, por exemplo, as toxinas se espalham muito mais rapidamente pelo corpo.

Diagnóstico:

O processo de diagnóstico, geralmente, começa com um exame físico feito pelo próprio médico no consultório. Nele, o especialista poderá detectar sinais de:

Podem ser realizados, também, exames de sangue para identificar a toxina no organismo e exame de fezes, além de exames laboratoriais no alimento suspeito de conter a bactéria transmissora de botulismo.

Tratamento:

O principal objetivo do tratamento de botulismo é controlar os sintomas e evitar eventuais complicações. A hospitalização é exigida em quase todos os casos, pois botulismo pode levar a problemas respiratórios e eles costumam ser fatais. Para esses casos, uma sonda poderá ser inserida por meio do nariz ou da boca para o interior da traqueia, proporcionando uma passagem para o oxigênio se for necessário. O paciente pode necessitar de um aparelho de respiração artificial também. Além disso, os pacientes com dificuldade para deglutir podem receber líquidos intravenosos.

Em geral, o tratamento para botulismo é feito por meio de medicamentos específicos, chamados antibotulínicos, que agem diretamente contra a toxina liberada pela Clostridium botulinum.

Os médicos devem comunicar às autoridades estaduais de saúde sobre pacientes com botulismo, para que os alimentos contaminados possam ser recolhidos.

Algumas vezes, o médico poderá prescrever antibióticos, mas eles nem sempre ajudam no tratamento.

Prognóstico:

Durante todo o processo de tratamento, o paciente deverá permanecer no hospital para acompanhamento médico dos sintomas e para prevenir possíveis complicações.

Complicações:

A toxina botulínica afeta o controle motor e, por essa razão, pode levar a diversas complicações. Ela pode levar à insuficiência respiratória, que, no geral, é a forma mais comum de morte causada por botulismo. Outras complicações podem incluir:

Botulismo tem cura?

O tratamento imediato reduz significativamente o risco de morte do paciente, mas é preciso acompanhamento médico. Além disso, o processo de recuperação é lento e depende de como o sistema imunológico reage para eliminar a toxina do corpo.

Prevenção:

Toda atenção é pouca, por isso adote algumas medidas para evitar a contaminação pela bactéria causadora do botulismo.

Sociedade Brasileira de Infectologia

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.