Bicho de pé (Túngiase) Icone para edição

Tungíase é uma infecção de pele causada pela fêmea do parasita Tunga penetrans, também conhecido como bicho-de-pé. A tungíase está geograficamente restrita ao Caribe, África Subsaariana e América do Sul.

Pode ser encontrado somente em solos quentes, secos e arenosos, o bicho de pé dificilmente será encontrado em áreas urbanas ou locais de clima ameno ou frio. É importante, portanto, manter a atenção em crianças que vivem em comunidades carentes de recursos nas áreas rurais e urbanas do Brasil – local onde cerca de 60% dos pequenos são infectados com bicho de pé, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Sintomas:

A tungíase pode ter duas manifestações. Em um primeiro momento, haverá uma erupção cutânea na área afetada, como um caroço vermelho. Ele pode apresentar coceira, como uma urticária, ou apenas a manifestação na pele.

Em casos mais avançados – de infecções persistente, não tratadas ou associada a infecção de outros micro-organismo – pode haver:

  • Supuração
  • Ulceração
  • Necrose do tecido circundante
  • Deformação e a perda de unhas.

Diagnóstico:

O diagnóstico de bicho de pé pode ser feito apenas analisando a erupção. Não são necessários outros exames para confirmar o diagnóstico.

Tratamento:

O tratamento da tungíase consiste em eliminar o bicho de pé da pele e evitar infecções secundárias. As opções de tratamento são:

  • Crioterapia
  • Medicamentos antiparasitários tópicos, como pomadas ou cremes
  • Medicamentos antiparasitários orais
  • Remoção por pinça
  • Remoção por curetagem, caso o bicho de pé esteja cheio de sangue e não possa ser removido apenas com pinça.

Após a remoção do bicho de pé, antibióticos tópicos são aplicados à ferida. Antibióticos de largo espectro uma vacina para tétano também pode ser indicados para prevenir infecções secundárias.

Complicações:

Se não for tratada, a tungíase pode evoluir para necrose dos tecidos, quem nem sempre podem ser recuperados. Isso significa que pessoas infectadas e não tratadas podem sofrer um avanço da doença tão grande a ponto de perder partes da pele ou até mesmo dedos.

Há também o risco de a erupção causada pela tungíase ser porta para entrada de outros organismos, como bactérias. Um bom exemplo é o caso do tétano. Essas podem causar uma infecção secundária no local, tornando o tratamento mais difícil.

Bicho de pé (Túngiase) tem cura?

A tungíase dura entre quatro a seis semanas, porém, em áreas de risco as infecções podem ser frequentes e avançar para formas mais graves. Um mesmo indivíduo pode apresentar vários parasitas em diferentes estágios de desenvolvimento.

Prevenção:

A melhor forma de prevenir a túngiase é utilizar calçados fechados e inseticidas nas áreas afetadas.

Marcelo Mendonça, infectologista do laboratório Pasteur em Brasília

Organização Mundial da Saúde

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.