Arritmia Icone para edição

Uma arritmia é um distúrbio do batimento ou ritmo cardíaco, como batimento muito rápido, muito lento ou irregular.

Tipos:

Quando o coração bate mais rápido que o normal, o paciente tem aquilo que os médicos chamam de taquicardia.

Quando acontece o contrário, ou seja, quando os batimentos são mais lentos do que deveriam, o caso é de bradicardia.

Muitas vezes, o paciente pode apresentar batimentos cardíacos irregulares, sem representar necessariamente um padrão, seja ele mais rápido ou mais lento que o normal.

Existem diversos tipos de arritmia. Veja:

Sintomas:

Muitas vezes, a arritmia não manifesta nenhum sintoma. Acontece muito, por exemplo, de o médico descobrir a arritmia antes mesmo do paciente, durante exames de rotina.

No entanto, pode acontecer de você sentir alguns sintomas. Conheça-os:

Diagnóstico:

Primeiramente, o médico deverá lhe fazer perguntas ou solicitar alguns exames para identificar causas para uma possível arritmia, como outras condições cardíacas, hipertensão, diabetes e problemas na tireoide. Depois, ele pedirá para que você suceda à realização dos seguintes exames:

Se o diagnóstico não for possível por meio desses exames, o médico poderá pedir outros:

Tratamento:

Há tratamentos específicos para os diferentes tipos de arritmia. Em geral, taquicardia e bradicardia não são tratados da mesma forma.

Quando a arritmia é grave, é necessário tratamento urgente para restaurar o ritmo normal do coração. Isso pode ser:

Podem ser utilizados medicamentos para evitar a recorrência de uma arritmia ou interromper uma arritmia. Esses medicamentos são denominados drogas antiarrítmicas.

Algumas delas têm efeitos colaterais e nem todas as arritmias respondem bem à medicação.

Em último caso, o paciente poderá ser submetido à cirurgia. Há dois procedimentos cirúrgicos disponíveis para tratar arritmia. Um deles ocorre por meio de cirurgia cardíaca aberta (embora seja muito raramente utilizado hoje em dia). O outro, mais comum, é a ablação por cateter. Neste, a arritmia pode ser corrigida por meio de uma microcirurgia, em que são realizados dois furos de agulha na perna e são introduzidos cateteres muito finos que vão até o coração para curar a arritmia.

Prognóstico:

Muitos casos de arritmia estão relacionados a outras condições no coração, então algumas mudanças de estilo de vida serão necessárias para preservar o coração de maiores problemas. Para começar:

Complicações:

Arritmia pode levar a complicações mais graves, como:

Arritmia tem cura?

O resultado depende de diversos fatores:

Alguns tipos de arritmias poderão constituir risco à vida se não forem tratadas imediata e adequadamente. Para bradicardias tratadas com um marca-passo permanente, o resultado costuma ser satisfatório. Algumas taquicardias graves são tratadas com ablação por cateter ou com implante de cardiodesfibrilador implantável (semelhante a um marca-passo que também trata arritmias rápidas).

Prevenção:

Realizar ações para evitar a doença da artéria coronária pode reduzir a chance de desenvolver uma arritmia. Essas práticas consistem em:

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Cardiologia

Instituto do Coração (Incor)

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.