Angina instável Icone para edição

Angina é um tipo de dor no peito causada pela redução do fluxo sanguíneo para o músculo cardíaco, o que deixa o coração sem oxigênio suficiente para desempenhar a sua função. Angina é um sintoma de doença arterial coronariana que normalmente é descrita como aperto, pressão, peso, endurecimento ou dor no peito.

Esta é uma doença relativamente comum, mas, às vezes, é difícil de diferenciá-la de outros tipos de dores no peito, como as que se originam de um desconforto ou indigestão. Apesar da angina ser uma condição de saúde caracterizada pela dor torácica, ela também pode, por vezes, ser sentida nos ombros, pescoço e braços.

Estima-se que 60% das dores torácicas não sejam originadas no coração ou pulmão, que 36% sejam originadas no sistema músculo esquelético, que 11% são anginas e, apenas 1,5% é a porcentagem correspondente ao número real de angina instável - que é uma situação de emergência.

A angina instável se diferencia dos demais tipos de angina por ser uma dor que acontece repentinamente e se torna pior com o tempo. Ela ocorre, aparentemente, sem uma causa específica, por exemplo, a pessoa pode estar descansando ou dormindo e de repente sentir os sintomas. O agravante é que a angina instável pode levar a um ataque do coração. Por esta razão um ataque de angina deve ser tratado como uma emergência médica e, ao sentir os sintomas, o paciente deve procurar um pronto socorro.

Sintomas:

O principal sintoma de angina instável é dor ou desconforto no peito, mas também pode ser sentido, algumas vezes, nos ombros, pescoço e braços. Além disso, ela pode passar a impressão que a pessoa está sofrendo um ataque cardíaco. Os demais sintomas incluem:

Além disso, se o paciente já foi diagnosticado com angina estável, ela pode acabar evoluindo para o tipo instável da doença, então é necessário ficar atento aos sintomas e procurar cuidado médico imediato no caso de qualquer mudança.

É importante ressaltar que essa condição pode levar a um ataque cardíaco (infarto).

Diagnóstico:

Para diagnosticar angina instável, o seu médico fará alguns testes físicos que incluem a verificação da pressão arterial. Além disso, ele pode pedir os seguintes exames:

Tratamento:

O tratamento para angina instável depende da gravidade da condição. Um dos primeiros tratamentos que o profissional pode recomendar é o uso de anticoagulantes como heparina ou clopidogrel. O médico ainda pode receitar medicamentos que ajudem a lidar com os outros sintomas da doença, como os usados para reduzir a pressão arterial, o colesterol, ansiedade ou arritmias.

Se o caso é mais grave, o médico pode recomendar procedimentos mais invasivos para tratar a angina estável, como angioplastias. Ele ainda pode inserir um pequeno tubo com a finalidade de manter a artéria aberta. Se o caso for ainda mais grave pode ser necessária a realização de uma cirurgia cardíaca para criar uma nova rota para o sangue fora da artéria bloqueada.

Além destes, é importante que o paciente siga outras recomendações médicas, tais como perder peso, fazer exercícios condizentes com a sua condição e de forma regular, largar o tabaco e adotar um estilo de vida mais saudável de um modo geral.

Complicações:

  • Ataque cardíaco (infarto).

Angina instável tem cura?

Angina instável é um sinal que as artérias estão se tornando muito finas ou entupidas, o que pode ocasionar um ataque cardíaco. Se não tratada, a doença pode levar a falhas no coração ou arritmias, e todas essas condições demandam cuidados para a vida inteira. Contudo, com uma vida mais saudável e regrada, é possível viver bem com a doença.

Prevenção:

Para prevenir a angina instável é necessário seguir os mesmos passos que melhorariam os seus sintomas caso já tivesse algum tipo de angina, tais como:

Ministério da Saúde

Associação Americana do Coração

Clínica Mayo

Healthline

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.