Aneurisma da aorta abdominal Icone para edição

Um aneurisma da aorta abdominal é uma dilatação (protuberância) dessa artéria na altura do abdômen.

A aorta é a maior artéria do corpo humano. Ela leva sangue do coração para todos os órgãos, passando pelo tórax e abdômen.

É uma doença grave, com altas taxas de mortalidade, mas com grandes chances de cura quando diagnosticado precocemente.

Cerca de 4% da população sofre com o problema e, em pessoas com mais de 60 anos, o percentual aumenta para 6%. Algumas vezes pode se apresentar em faixas mais jovens da população, mas é raro.

Sintomas:

Os aneurismas desenvolvem-se lentamente, geralmente ao longo de muitos anos e mais da metade dos doentes não apresenta sintomas. Pessoas diagnosticadas com essa condição relatam sinais de pulsação abdominal, dor na região lombar ou sensação de peso abaixo das costelas.

O mecanismo que leva à morte é uma rotura ou um buraco que se abre na parede da aorta abdominal, com consequente hemorragia vultosa, que pode matar em minutos. O paciente sangra, leva um choque chamado de hipovolêmico e vai a óbito.

Muitas vezes, o paciente não tem tempo hábil para chegar ao hospital. Então, o rompimento do aneurisma da aorta abdominal é um evento dramático. É o problema vascular de maior mortalidade que temos.

Diagnóstico:

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

Normalmente, o aneurisma da aorta abdominal é detectado por meio de exames de rotina. Em outros casos, durante a consulta médica, o especialista pode solicitar alguns exames para ter certeza da origem dos sintomas. Estes incluem:

  • Ultrassonografia abdominal com Doppler
  • Angiotomografia do abdômen e da pelve
  • Ressonância magnética.
  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas surgiram?
  • Os sintomas são ocasionais ou frequentes?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Você sente dores? Qual a intensidade?

Tratamento:

Há duas formas de tratar. Uma é o tratamento clínico, quando o aneurisma é fusiforme, ou seja, ambas as paredes da aorta estão dilatadas, mas é pequeno. Esse aneurisma requer acompanhamento e controle dos fatores de risco. A cada seis meses ou anualmente, o médico avalia a sua evolução.

A outra forma é cirúrgica. Neste caso, o paciente tem um aneurisma fusiforme maior, com diâmetros considerados perigosos pela literatura médica. Nestes casos, a cirurgia pode ser feita de duas maneiras: através de uma técnica convencional, com abertura da cavidade abdominal, ou de uma técnica minimamente invasiva chamada de cirurgia endovascular. Aqui, o acesso é pelas artérias femorais localizadas na virilha, com implantação de uma endoprótese, que evita que o sangue continue empurrando a parede já dilatada da aorta. Tem grandes vantagens, como diminuição do tempo de internação e menor incidência de complicações nos primeiros 30 dias. É uma técnica que veio revolucionar o tratamento do aneurisma da aorta abdominal.

Se o paciente apresentar hemorragia interna originária de um aneurisma da aorta abdominal, então, ele será submetido a uma cirurgia para reparar o dano.

Prognóstico:

O uso de medicamentos vendidos sem necessidade de prescrição médica em farmácias ajuda no tratamento e na recuperação de um aneurisma da aorta abdominal. O tratamento recomendado pelo médico é essencial para o paciente, a fim de evitar e prevenir uma ruptura do aneurisma.

Complicações:

Quando um aneurisma da aorta abdominal se rompe, trata-se de uma emergência médica. A dissecção aórtica ocorre quando a parte mais profunda da artéria se abre e o sangue vaza por meio da parede da artéria. Isso geralmente ocorre na aorta dentro do tórax.

Outras complicações decorrentes deste problema incluem:

  • Embolia arterial
  • Infarto
  • Choque hipovolêmico
  • Insuficiência renal crônica
  • Acidente vascular cerebral (AVC).

Aneurisma da aorta abdominal tem cura?

O resultado do tratamento geralmente é bom, especialmente em caso de cirurgia. No entanto, quando ocorre a ruptura do aneurisma, o caso é muito mais grave. Menos de 10% dos pacientes sobrevivem a um aneurisma da aorta abdominal rompido.

Para reduzir o risco de desenvolver aneurismas da aorta abdominal, mantenha uma dieta saudável para o coração, exercite-se, pare de fumar e reduza a tensão do dia a dia. Controle também seu colesterol por meio de medicamentos que o médico poderá lhe recomendar. Além disso, se lhe forem receitados medicamentos para pressão arterial ou diabetes, siga a orientação médica corretamente.

Prevenção:

Para reduzir o risco de desenvolver aneurismas da aorta abdominal, mantenha uma dieta saudável para o coração, exercite-se, pare de fumar e reduza a tensão do dia a dia. Controle também seu colesterol por meio de medicamentos que o médico poderá lhe recomendar. Além disso, se lhe forem receitados medicamentos para pressão arterial ou diabetes, siga a orientação médica corretamente.

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.