Alopecia areata Icone para edição

A alopecia areata é uma condição caracterizada pela perda de cabelos ou de pelos em áreas arredondadas ou ovais do couro cabeludo ou de outras partes do corpo, comumente chamada de “peladeira”. Em alguns casos, pode haver perda total de todos os pelos do corpo, inclusive cílios. Esse problema é comum em cerca de 1 a 2% da população.

Sintomas:

Apesar de ser caracterizada pela perda de cabelo, este é apenas um sintoma da alopecia areata. Algumas pessoas também podem sentir uma sensação de queimação ou coceira na região em que houve a queda. A alopecia areata é mais frequentemente observada no couro cabeludo, mas também pode ocorrer na barba, sobrancelhas, braços e pernas.

Os pontos onde houve a queda de cabelo são lisos e arredondados. Pode haver uma coloração rósea também na região.

Pode haver também alterações nas unhas: pequenas alterações no relevo da superfície da unha, com aspecto de “furinhos”, chamados depitting.

Há também a possibilidade de associação com outras doenças auto-imune, como lúpus, vitiligo e tireoidite.

Diagnóstico:

O diagnóstico pode ser feito pela simples aparência das áreas em que houve queda de cabelo, associado a um exame rápido e indolor chamado tricoscopia, realizado por dermatologistas, que facilita muito o diagnóstico. Em certos casos há necessidade de fazer biópsia da pele afetada para descartar outras possíveis causas.

Tratamento:

Se a perda de cabelo não for total, o cabelo pode crescer novamente dentro de alguns meses, sem tratamento. No entanto, o tratamento é recomendado em quase sempre todos os casos, pois geralmente a região em que ocorre queda não costuma mais nascer cabelo.

No entanto, mesmo no caso de perda de cabelos mais intensa, não está claro o quanto o tratamento pode ajudar a mudar o curso da situação.

Os tratamentos comuns e que estão disponíveis incluem:

Prognóstico:

Enquanto o tratamento está em curso, o paciente pode optar por disfarçar o problema usando uma peruca ou um chapéu.

Alopecia areata tem cura?

É comum a recuperação total dos cabelos, embora isso possa levar algum tempo, dependendo do paciente. No entanto, algumas pessoas também podem ter um resultado ruim, principalmente quando a pessoa afetada for jovem ou apresentar dermatite atópica e perda total de cabelos do couro cabeludo ou de pelos do corpo.

Além disso, se o tratamento não surtir efeito ao longo de muito tempo, pode ser ainda mais difícil para a recuperação.

Prevenção:

Evitar o estresse do dia a dia pode ser uma forma de prevenir alopecia areata, embora não se saiba exatamente até que ponto isso possa estar relacionado à sua ocorrência.

Clínica Mayo – organização sem fins lucrativos dos Estados Unidos que reúne conteúdos sobre doenças, sintomas, exames médicos, medicamentos, entre outros.

Sociedade Brasileira de Dermatologia – instituição que atua na promoção de ensino e pesquisa nas áreas de dermatologia clínica, cirúrgica, oncológica, cosmiátrica e hansenologia.

Academia Americana de Dermatologia - órgão que representa dermatologistas dos Estados Unidos e outros países da America, além de promover assistência ao paciente através da educação e pesquisa na área.

Fundação Nacional de Alopecia Areata (EUA) - organização sem fins lucrativos que serve à comunidade de pessoas afetadas pela doença

*As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo.
*Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos do profissional da saúde.